29 de novembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais

Destaques

Voltada ao atendimento emergencial, unidade é a quarta entregue nos últimos dois meses. GDF investe R$ 6,5 milhões para ampliar serviços de saúde

IAN FERRAZ, DA AGENCIA BRASÍLIA I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

Foi entregue nesta quinta-feira (18) a quarta das sete Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) construídas pelo Governo do Distrito Federal (GDF). O novo serviço de emergência em saúde está localizado no Riacho Fundo II, na QN 31, conjunto 3, lote 1.

Todas as UPAs estão sob a administração do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF) | Fotos: Renato Araújo /Agência Brasília

Assim como as outras três unidades (Ceilândia, Paranoá e Gama), a do Riacho Fundo II também terá capacidade de 4,5 mil atendimentos por mês. O investimento do GDF foi de R$ 6,5 milhões. Todas as UPAs estão sob a administração do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF).

“Governo é para atender a população. Fizemos a escolha das UPAs de forma pensada, para criar uma base de atendimento à população. Fomos nos locais onde não havia o atendimento. Aqui, são milhares de pessoas que vão deixar de andar quilômetros para buscar atendimento e em outras cidades para serem atendidos aqui”, destaca o governador Ibaneis Rocha.

Para atender a população 24h por dia, foram contratados 146 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos e outros colaboradores. “Esse equipamento auxilia e aproxima a saúde da população. Uma UPA que atende urgência e emergência ajuda a desafogar os hospitais, e ela chega com a farmácia abastecida, equipamentos e profissionais. A cobertura de atendimento no território se aproxima dos 90%”, aponta o secretário de Saúde, Manoel Pafiadache.

Sobre a UPA

A UPA possui uma área de 1,2 mil metros quadrados e conta com dois leitos de atendimento crítico emergencial na sala vermelha; seis leitos de observação e um leito de isolamento na sala amarela; dez poltronas de medicação/inalação e reidratação na sala verde; e três consultórios, além de sala para classificação de risco. A unidade também conta com internet gratuita pelo Wi-Fi social, projeto da Secretaria de Ciência e Tecnologia.

“Essas UPAs foram construídas em plena pandemia e, mesmo diante de tantas dificuldades, inclusive de falta de material, elas foram entregues e vão oferecer um bom serviço à população”, pontua o diretor-presidente do Iges-DF, Gislei Morais.

Para atender a população 24h por dia, foram contratados 146 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos e outros colaboradores. “Esse equipamento auxilia e aproxima a saúde da população

O Iges-DF equipou a unidade para realizar exames laboratoriais de urgência, eletrocardiografia e raio-X. O equipamento de raio-X e o laboratório não são obrigatório nas UPAs, conforme normatização do Ministério da Saúde, mas o instituto decidiu oferecer mais esses serviços.

Morador do Riacho Fundo II, o bombeiro militar Pedro Henrique de Lima Carlos, de 29 anos, comemora a chegada do equipamento público. “Acho excelente, pois nós que trabalhamos na área da saúde sabemos a importante de uma UPA, principalmente por estar perto de casa”, diz.

Mais investimentos

O governo tem investido em outras estruturas para a população do Riacho Fundo II e região. Uma das obras em andamento é a do viaduto que corta o Recanto das Emas e o Riacho Fundo II, na DF-001.

Também foi entregue uma Unidade Básica de Saúde (UBS), onde foram aplicados R$ 8,2 milhões em uma grande estrutura capaz de atender 28 mil pessoas com sete equipes da saúde é um número ainda maior se ampliado o número de equipes.

“Estamos transformando uma cidade-dormitório, que não tinha nada, em cidade-moradia. O viaduto, por exemplo, era esperado há 20 anos”, afirma Ibaneis Rocha. “Há mais de duas décadas o Riacho Fundo II esperava por esses equipamentos. O Riacho Fundo II era esquecido, conhecido como cidade-dormitório. E agora ganhou escolas e equipamentos de saúde”, acrescenta a administradora Ana Maria da Silva.

Investimentos em torno de R$ 1 milhão estão sendo feitos no reforço da iluminação pública. A população do Riacho Fundo II também vai contar com a liberação de meio milhão de reais destinados à administração regional para obras de manutenção.

GALERIA DE FOTOS

     

Fotos: Renato Araújo /Agência Brasília

Empresários e moradores do Distrito Federal poderão participar do programa ‘adote um abrigo’, lançado pela Secretaria de Transporte e Mobilidade. O programa abrange as paradas de ônibus do transporte público coletivo, utilizados para embarque e desembarque dos passageiros. A portaria nº 138, de 15 de setembro de 2021, que institui o programa, foi publicada no Diário Oficial (DODF) desta quinta-feira (16) e já está em vigor.  

O programa de cooperação vai permitir que os interessados possam construir, adequar, substituir ou assumir a manutenção de paradas de ônibus. Serão oferecidos para adoção cerca de 2.700 paradas de coletivos com abrigos de concreto e 565 pontos com placas de sinalização.   A adoção poderá ser feita por empresa ou cidadão. Quem assumir a parada de ônibus poderá instalar placas com mensagens indicativas de cooperação, onde serão publicados os dados do parceiro e da cooperação celebrada com o GDF. Os interessados poderão escolher entre adotar uma única parada ou assumir um conjunto de abrigos de sua livre escolha.

  Para o subsecretário de Terminais da Secretaria de Transporte e Mobilidade, Ronivaldo Bento Costa, a ampliação dos serviços ofertados pelo poder público, por meio da iniciativa privada ou pela população é positiva, pois, além de melhorar a infraestrutura, confere identidade própria a cada região administrativa ou localidade. “É importante esse cuidado, pois os abrigos de passageiros compõem a infraestrutura de transporte e são mobiliários essenciais para oferecer conforto e segurança aos seus usuários”, acrescenta.

Para adotar um abrigo, o empresário ou morador deverá manifestar interesse por meio de requerimento que precisa ser protocolado na Semob. Se a proposta for aprovada, é preciso assinar o termo de cooperação com a Secretaria. Os serviços só poderão ser iniciados após a publicação no Diário Oficial do DF. O prazo de adoção é de até 48 meses e a renovação só será possível após avaliação técnica dos serviços realizados nesse período.   Os empresários ou moradores interessados poderão conhecer detalhes do programa por meio dos documentos que estão publicados no site da Semob.

Além da portaria, o modelo de termo de cooperação, os modelos de abrigo e o detalhamento dos serviços referentes à construção ou manutenção de abrigos estão disponíveis no link https://semob.df.gov.br/adote-um-abrigo/.  
 

Os meses de novembro e dezembro ficarão marcados pela realização da V Conferência de Cultura do Distrito Federal, coordenada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) e pelo Conselho de Cultura do Distrito Federal (CCDF). 

A V Conferência de Cultura do Distrito Federal tem por objetivos, definidos em discussões no CCDF, promover o debate entre artistas, produtores, gestores, investidores, comunidade em geral do DF e demais protagonistas da cultura, valorizando a diversidade das expressões e o pluralismo das opiniões; propor estratégias para o fortalecimento das políticas públicas de cultura como centro dinâmico do desenvolvimento sustentável; propor estratégias para a consolidação dos sistemas de participação e controle social como subsídios para a gestão das políticas públicas de cultura. Também serão objeto de discussão estratégias para o fortalecimento do Sistema de Arte e Cultura do Distrito Federal.

As pré-conferências de cultura nas macrorregiões administrativas, das quais sairão das quais sairão diagnósticos e propostas da sociedade para o setor cultural, serão realizadas entre os dias 12 e 19 de novembro, pela plataforma Zoom Reuniões.

Nesse contexto, solicito apoio dessa Administração Regional, bem como do Gerente de Cultura, no sentido de realizar ampla divulgação da V Conferência de Cultura em seus canais oficiais e em suas redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp etc.).

Os indicados deverão se inscrever através do site http://vconferenciadeculturadf.com.br/?page_id=98.

Obra foi vistoriada, neste domingo (31), pelo governador em exercício, Paco Britto. Os próximos passos serão escavação, drenagem e pavimentação

LUCÍOLA BARBOSA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: ROSUALDO RODRIGUES

A segunda etapa da concretagem da laje na obra do viaduto do Recanto das Emas/Riacho Fundo II termina neste domingo (31), conforme estava previsto no cronograma do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) – responsável pela construção e fiscalização do empreendimento. Com esta etapa pronta, os próximos passos referentes à continuidade da obra serão escavação, grampeamento do solo, drenagem e pavimentação.

O governador em exercício, Paco Britto, foi conferir de perto o andamento das obras, neste domingo (31): “Agradeço ao governador Ibaneis Rocha, que possibilitou tudo isso”, frisou | Fotos: Vinicius de Melo/Agência Brasília

Caso não ocorra nenhum imprevisto – com o início do período chuvoso, o Distrito Federal está em alerta em relação às chuvas torrenciais -, a previsão é que o viaduto seja entregue à população em julho de 2022, beneficiando cerca de 200 mil motoristas da região.

“Em breve, começaremos a escavar este viaduto tão sonhado. Sonho que está sendo realizado pelo DER, em prol da população”Paco Britto, governador em exercício

Todo esse processo foi conferido de perto, na manhã deste domingo (31), pelo governador em exercício, Paco Britto, acompanhado dos filhos Cristiano e Flávio. No canteiro das obras do viaduto, Paco foi recebido pelo superintendente de obras do DF, Cristiano Cavalcante, e pelo engenheiro Eli Câmara, ambos do DER; e, também, pelo administrador regional, Carlos Dalvan.

A construção do viaduto chegou aos 50% de execução, com a finalização desta segunda etapa da concretagem – a primeira fase começou no dia 12 deste mês. “Em breve, começaremos a escavar este viaduto tão sonhado. Sonho que está sendo realizado pelo DER, em prol da população. Estamos trabalhando 100% para o DF. Agradeço ao governador Ibaneis Rocha, que possibilitou tudo isso”, frisou Paco, após conferir o resultado e cumprimentar os trabalhadores.


O investimento na construção do viaduto é de R$ 30,9 milhões e a previsão é de que seja entregue à população em julho de 2022

De acordo com o engenheiro Eli Câmara – executor do contrato firmado entre o DER e o consórcio de empresas da obra do viaduto -, 100 pessoas desse consórcio trabalham diariamente na obra. Ainda segundo ele, em cada fase foram utilizadas 850 m3 de concreto, perfazendo um total de 1.700 m3 nas duas etapas. Até o momento, em toda a obra, foram utilizados 2.400 m3 de concreto e 400 toneladas de ferro.

“O tempo frio [como estava na manhã deste domingo] ajuda na ‘cura’ do concreto”, explicou, enquanto mostrava o trabalho dos operários e dos dois caminhões-bomba, que jogavam concreto na laje.

Desvio

A obra foi iniciada em maio deste ano pela construção das marginais para o desvio dos veículos. Para melhoria no fluxo de veículos, o trânsito foi liberado, uma vez que a pista do lado do Riacho Fundo II está pronta e o trânsito no sentido Samambaia está desviado.

Além da população do Recanto das Emas e do Riacho Fundo II, serão beneficiados os moradores das cidades de Samambaia, Gama e Santa Maria, e algumas cidades do entorno do DF. O investimento na construção do viaduto é de R$ 30,9 milhões.

A Consulta Pública 004/2021 trata de obter subsídios e informações adicionais referente a minuta de resolução que reajusta a Tabela de Preços Públicos a serem cobrados pelo prestador de serviços de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos do Distrito Federal (SLU), na execução de atividades de gerenciamento dos resíduos de grandes geradores, de eventos, da construção civil.

A Consulta Pública 004/2021, que trata do reajuste da Tabela de Preços Públicos a serem cobrados pelo SLU, receberá as contribuições, até o dia 28 de outubro de 2021, pelo endereço eletrônico cp_04_2021@adasa.df.gov.b;

Ainda será possível, até a data limite do evento, o envio das contribuições ao Protocolo Geral da ADASA, Setor Ferroviário, Parque Ferroviário de Brasília, Estação Rodoferroviária, Térreo, Ala Norte, CEP: 70631-900, Brasília-DF.

Os documentos, para análise do público em geral, estão disponibilizados na página da Agência, na aba específica para as Audiências e para as Consultas Públicas: www.adasa.df.gov.br/audiencias-publicas.

Ressaltamos que a participação social durante o processo decisório da Adasa é muito importante, pois possibilita que a Agência direcione esforços para melhor atender aos anseios de todos.

Maiores informações poderão ser obtidas por meio do telefone (61)3961-4900, pelo e-mail: ouvidoria@adasa.df.gov.br ou ainda na página da Adasa: www.adasa.df.gov.br.

Outubro é o mês de reforçar a luta contra o câncer de mama. Para sensibilizar as mulheres na prevenção do câncer de mama e a população sobre o aumento alarmante dos feminicídios em todo o Distrito Federal, a Administração do Riacho Fundo II mobilizou mulheres – e até homens -, destacando a importância da prevenção.

Foi realizada a 1ª Caminhada de conscientização sobre os temas, que contou com a participação da população, equipes da Administração Regional e do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil e da secretária de esporte Gisele Ferreira.

O grupo participou de um aulão de Zumba no estacionamento da QN 7A, em seguida foram em direção ao Espaço Solidário do Riacho Fundo II. Lá, os participantes assistiram uma palestra sobre o Câncer de mama e colo de útero, ministrada pela palestrante Gabriela Hallik. Por lá, foram oferecidos diversos atendimentos para a comunidade, bem como atendimentos oftalmológicos, atendimento de reabilitação pós-Covid, spa dos pés, massagem, limpeza de pele entre outros. Ao final houve sorteio de brindes aos participantes.

A caminhada teve apoio da Secretaria de Esportes e Lazer, Secretaria da Mulher, Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil, Logtel Internet, Policia Militar, Unopar, Drogaria Nacional, Hospital da Catarata, projeto Só Vem e Dance, Panificadora Saborella, Eritaqui Pizza e Burguer e Instituto Brasil Oriente.

 

.GALERIA DE FOTOS:

.

Fotos: ALEX ALVES / ASCOM SEL-DF

Governo adquiriu 720 peças a serem distribuídas entre dez unidades para aulas especiais e formação de banda

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: RENATA LU

Instrumentos musicais, como flautas, surdos e clarinetes, foram entregues pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF) aos alunos do Centro de Ensino Fundamental 1 (CEF 1), do Riacho Fundo II, nesta terça-feira (26). O material – nessa unidade, 72 instrumentos – será utilizado em aulas de música e para formação de banda entre os estudantes, nos horários contrários das aulas.

O CEF 1 do Riacho Fundo II atende mais de 2 mil estudantes do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos e foi um dos primeiros a receber o modelo de gestão compartilhada, em julho de 2020 |  Foto: SSP-DF

Ao todo, foram adquiridos 720 instrumentos, que estão sendo distribuídos entre os dez colégios cívico-militares. Além do CEF 1 do Riacho Fundo, o Centro de Ensino Fundamental 407, de Samambaia, e o Centro Educacional 1, da Estrutural, receberam o material.

“A música contribui para o desenvolvimento integral do aluno, desde a socialização e a criatividade até aspectos como a fala e a respiração. É uma iniciativa que agrega ainda mais qualidade ao processo de ensino e aprendizagem”Hélvia Paranaguá, secretária de Educação

As aulas de música são essenciais para o desenvolvimento cognitivo dos alunos, que poderão participar da formação seguindo critérios como apresentar bom comportamento e rendimento escolar.

“O enfrentamento à criminalidade é um tema transversal. Engloba ações de repressão e de prevenção, que são igualmente importantes e necessárias, na qual as escolas de gestão compartilhada se enquadram. Desta forma, buscamos, além de reduzir a criminalidade, prestar um serviço público de qualidade”, ressalta o secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo.

Para a secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, as aulas irão contribuir com o desenvolvimento pedagógico dos alunos. “A música contribui para o desenvolvimento integral do aluno, desde a socialização e a criatividade até aspectos como a fala e a respiração. É uma iniciativa que agrega ainda mais qualidade ao processo de ensino e aprendizagem”.

A criação de uma banda de música faz parte da tradição das escolas militares, como explica o subsecretário de Gestão Compartilhada, coronel Alexandre Ferro. “As bandas de música fazem parte da identidade da escola cívico-militar e, além disso, possibilitam o desenvolvimento do potencial dos alunos com as aulas de música”, completa.

A diretora da instituição, Edilma, acredita que, com a entrega dos instrumentos, a escola avança mais uma etapa no modelo cívico-militar. “Não foi apenas uma entrega, mas um despertar para ressignificar o hábito de vida dos mais de 1,7 mil alunos matriculados no ensino fundamental”, relata.

O secretário executivo de Gestão Integrada, Agnaldo Mendonça; o comandante-geral da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), coronel Márcio Vasconcelos; do Corpo de Bombeiros do DF, Rogério Dutra, e os deputados federais Celina Leão e Júlio César participaram da cerimônia.

Ao todo, foram adquiridos 720 instrumentos, que estão sendo distribuídos entre os dez colégios cívico-militares | Foto: SSP-DF

CEF 1

A escola atende mais de 2 mil estudantes do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e foi uma das primeiras a receber o modelo de gestão compartilhada, em julho de 2020.

“Integrar a música na vida escolar foi um ganho muito grande para essa comunidade escolar. Participei da solenidade e vi os olhinhos deles brilhando. A música estimula o convívio social, a autoestima e eles vão se sentir importantes, ter orgulho em saber tocar um instrumento, em fazer parte de uma banda”Paula Vanessa Santos, mãe de aluno e supervisora da escola

Para a supervisora da escola e também mãe de um dos alunos do 6º ano, Paula Vanessa Santos, integrar a música na vida escolar dos meninos foi um ganho muito grande para a comunidade escolar. “Hoje participei da solenidade e vi os olhinhos deles brilhando”, afirma.

“A música estimula o convívio social, a autoestima e eles vão se sentir importantes, ter orgulho em saber tocar um instrumento, em fazer parte de uma banda. Além disso, a música estimula a concentração, o raciocínio e a criatividade”, diz Paula Vanessa.

Mãe de Benício Santos, a supervisora contou como o filho se sentiu: “Ele ficou muito feliz com a possibilidade de participar das aulas. Ele é um pouco tímido e a música vai ajudar a trabalhar esse lado dele”.

Cívico-militar

O modelo de compartilhamento de ensino é uma parceria entre a SSP-DF e a Secretaria de Educação. Desta forma, a Segurança é responsável pela gestão disciplinar, empregando o efetivo da Polícia Militar do DF (PMDF) e do Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF) na coordenação de atividades extracurriculares e nas ações disciplinares voltadas à formação cívica, moral e ética do corpo discente, objetivando o bem-estar social.

Já a Secretaria de Educação responde pela gestão administrativa e pedagógica das escolas e pelo cumprimento da proposta pedagógica, conforme a Lei de Diretrizes Educacionais. Atualmente, mais de 16 mil alunos estão nas 10 unidades que adotaram o modelo.

Saiba quais são as escolas:

Centro Educacional 3 de Sobradinho;
Centro Educacional 308 do Recanto das Emas;
Centro Educacional 1 da Estrutural;
Centro Educacional 7 da Ceilândia;
Centro Educacional Condomínio Estância III de Planaltina;
Centro Educacional 1 do Itapoã;
Centro de Ensino Fundamental 19 de Taguatinga;
Centro de Ensino Fundamental 1 do Núcleo Bandeirante;
Centro de Ensino Fundamental 407 de Samambaia
Centro de Ensino Fundamental 1 do Riacho Fundo II.

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Evento realizado pelo projeto Égide em parceria com a Administração do Riacho Fundo II, reuniu mais de 50 crianças no Espaço Solidário do Riacho Fundo II. A sexta-feira foi de atividades destinadas às crianças da cidade, em comemoração o Dia das Crianças, com evento gratuito onde aconteceram palestra, apresentação de balé, música, dança distribuição de brinquedos, entre outras atrações. O diferencial da festa foi à apresentação da peça teatral “Joana e Os Saltimbancos". A peça traz um alerta e orienta – de forma divertida – sobre a violência e abuso sexual contra a criança.

"Hoje foi um dia especial, só temos que agradecer, quem ganhou foi a cidade, as crianças saíram daqui saltitantes, felizes e mais do que isso, com a mensagem do combate à violência que é muito importante", ressaltou, o chefe de gabinete Rafael Mazzaro, que esteve representando a administradora da cidade, Ana Maria.

De acordo com a idealizadora do projeto, Cristiane Oliveira, "Joana e Os Saltimbancos" nasceu depois de tantas denúncias de crianças que sofreram violência e abuso sexual. "Eu senti que eu tinha que fazer algo para ajudar as crianças, porque muitas das vezes o próprio abusador é o pai, o tio, alguém da própria família, e a criança não sabe como se defender, então a gente trouxe o projeto égide que quer dizer proteção, segurança para as crianças e começamos aqui no Riacho Fundo II, a cidade do meu coração", explica, Cristiane Oliveira.

As crianças ainda foram beneficiadas com a Campanha do dia das crianças – “Vem Brincar comigo”, promovida pela Primeira-Dama, Mayara Noronha. Foram entregues mais de 200 brinquedos e livros para as crianças carentes, cujas famílias não tem condições de comprar um presente e proporcionar para essas crianças momentos únicos de alegria.

A entrega de brinquedos também ocorreram em mais duas localidades da região administrativa; foram entregues 50 brinquedos para à criançada na QN 8, e mais 50 na quadra poliesportivas do Caub II.

GALERIA DE FOTOS:
Pode ser uma imagem de criança e em pé
Pode ser uma imagem de 4 pessoas e pessoas em pé
Pode ser uma imagem de 2 pessoas, pessoas em pé e texto
Pode ser uma imagem de texto
 

Reunindo atletas de várias cidades satélites, o torneio tem como principal objetivo incentivar a prática do esporte na região do Riacho Fundo II e também, proporcionar integração entre as competidoras de voleibol feminino.
O torneio foi dividido em duas etapas, no sábado (16), a fase classificatória e no domingo (17), as quartas de finais, semi-finais e final. Foram 11 equipes femininas, totalizando um número de 60 atletas, que estiveram participando da competição, que no final de semana premiou as seguintes equipes:

1° Beats
2° Ataca
3° UPV

O torneio aconteceu na quadra poliesportiva da Escola Classe 2 e contou com o apoio da Administração Regional do Riacho Fundo II, Secretaria de Esportes e Lazer, Deputada Federal Celina Leão, Logtel Internet, Escola Classe 02, Libravo, Força Federal e Grupo De Capoeira Corda Preta.
O organizador do torneio, Mestre Tony, é adepto e praticante da modalidade e já está na sua 14° edição de torneios de vôleibol ( Masculino e Feminino). “As palavras são de gratidão, tudo ocorreu dentro do esperado, Deus sempre me abençoando e permitindo que eu possa dar continuidade em fomentar o esporte na cidade", comenta, Mestre Tony. "Que venha a 2° Edição – Somente Elas e o 14° do Torneio de Vôlei 4×4", comena, Tony.

 

GALERIA DE FOTOS:
Pode ser uma imagem de 4 pessoas, pessoas em pé e ao ar livre
Pode ser uma imagem de 8 pessoas e pessoas em pé
Pode ser uma imagem de 12 pessoas, pessoas em pé e ao ar livre
Pode ser uma imagem de 7 pessoas, pessoas em pé, ao ar livre e texto
Pode ser uma imagem de 5 pessoas, pessoas em pé e ao ar livre
Pode ser uma imagem de 7 pessoas, pessoas em pé e ao ar livre

 

“A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) e a Administração Pública” é o tema da 2ª edição do GovTech, evento 100% virtual e gratuito promovido pela Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF), em parceria com o Instituto Direito para um Estado Melhor (IDEM); a Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAPDF); o Parque Tecnológico de Brasília (BIOTIC); a Secretaria de Economia do DF, por meio da Escola de Governo do Distrito Federal (EGOV); e o Banco de Brasília (BRB).

Durante os dias 19 e 22 de outubro de 2021, o GovTech – 2ª Edição reunirá corpo de palestrantes multidisciplinar, do Brasil e do exterior, para debater os principais pontos da Lei que dispõe sobre o sobre o tratamento de dados pessoais, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.

A abertura do evento, no dia 19 de outubro, contará com aula magna do ministro do Superior Tribunal de Justiça Ricardo Villas Bôas Cueva, que discorrerá sobre o tema “Proteção de dados e direito à informação – limites e possibilidades à luz da Lei de Acesso à Informação e da Lei Geral de Proteção de Dados”.

Ao longo de sua programação, o GovTech DF 2ª Edição tem como objetivo examinar, com profundidade, os principais impactos que a LGDP impõe na esfera pública. Para isso, o evento contará com palestras de representantes da União Europeia, e dos governos de Portugal e da Suécia, de forma a debater o contexto mundial de proteção de dados pessoais.

Na sequência, estão previstos painéis que irão abordar a relação jurídica entre a LGPD e as startups, bem como uma visão sobre conformidade para negócios inovadores. Haverá, ainda, debate sobre questões relacionadas à governança e compliance, além do uso de inteligência artificial para adequação à LGPD.

 

Os desafios da adequação da Administração Pública à LGPD e a ocorrência de incidentes de segurança também fazem parte da programação do evento, que será encerrado com mesa redonda para apresentação de casos reais.

O GovTech – 2ª Edição será transmitido ao vivo pelo canal da PGDF no YouTube. Para receber certificado pela participação, é preciso se inscrever antecipadamente no link disponível abaixo.

GovTech – 2ª Edição

Data: 19 a 22 de outubro de 2021

Inscrições: https://bit.ly/pgdfgovtech2

Transmissão: https://bit.ly/canaldapgdf

 

Confira a programação:

DIA 19/10
19h – Mesa de Abertura
19:45h – Aula Magna " Proteção de Dados e Direito à Informação – limites e possibilidades à luz da Lei de Acesso à Informação e da Lei Geral de Proteção de Dados"
20:30h – Encerramento

DIA 20/10
09h – Abertura
09:15h – Painel 1: "Painel Internacional"
Presidente da Mesa: Renata Zuquim
Tema: "Dicotomia entre Gestão Pública e proteção de dados dos usuários"
Tema: "Gestão dos dados sensíveis em educação e saúde"
Tema: "A experiência da Swedish Authority for Privacy Protection "
10:45h – Painel 2: "LGPD e o ecossistema de tecnologia (startups)"
Tema: "O impacto da LGPD e o esforço de accountability para a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal: os direitos do titular a proteção de seus dados pessoa is versus a Lei de Acesso a Informação no 72.527/2077"
Tema: "Proteção de dados pessoais: uma visão sobre conformidade para negócios inovadores" 
Tema: "Impactos da LGPD nas startups"
12:15h Encerramento

 

DIA 21/10
09h – Abertura
09:15h – Painel 3: "Governança, Compliance e Boas Práticas em LGPD"
Tema: "Da Privacidade e da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais"
Tema: "Proteção de Dados: próximos passos e desafios"
Tema: "Utilização de inteligência artificial pelo Poder Público e os cuidados que devem ser tomados para adequação à LGPD"
10:45h – Painel 4: "ANPD – Regulamentação da LGPD e a Administração Pública"
Tema: "Especificidades da proteção de dados na Administração Pública"
Tema: "Agentes de Tratamento na AP"
Mesa Redonda – "ANPD e Outros Órgãos de Competência Sancionatória"
12:15h Encerramento

 

DIA 22/10
09:15h – Painel 5: "Desafios da Adequação da Administração Pública à LGPD"
Presidente da Mesa: Bruno Portela
Tema: "LGPD e o compartilhamento de dados pessoais no âmbito da Administração Pública"
Tema – "Tredestinação no Tratamento de Dados Pessoais pela Administração Pública"
Tema – "Desafios para harmonizar a Transparência Pública e a Proteção de Dados, e o Papel do Encarregado no atendimento dos Direitos dos Titulares"
10:45h – Painel 6 – "Incidentes de Segurança e a Administração Pública"
Tema: "Acessos Não Autorizados e Divulgação"
Tema: "Sequestro – Ransomware "
Mesa Redonda – "Casos reais"
12:15h Encerramento

 

Via que margeia a DF-001 no sentido Gama/Santa Maria é aberta aos veículos. Obra atingiu 45% de execução e aliviará o intenso trânsito na região

RAFAEL SECUNHO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: SAULO MORENO
Com 45% dos serviços do Viaduto do Recanto da Emas executados, o fluxo de veículos no local ganha mais fluidez a partir da liberação da via marginal no sentido Gama/Santa Maria | Fotos: Renato Araújo/Agência Brasília

A construção do Viaduto do Recanto das Emas dará mais um passo importante neste fim de semana: a conclusão da via marginal à rodovia DF-001 no sentido Gama/Santa Maria. Com 1,3 km de extensão, a pista está sendo liberada para o fluxo de veículos hoje (9) e contribuirá para o avanço das obras. O elevado atingiu agora em outubro 45% de execução.

A marginal do lado do Riacho Fundo II foi a primeira a ficar pronta e o trânsito no sentido Samambaia foi alterado. Agora, o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) libera a via feita do outro lado, do Recanto das Emas, após o fim da pavimentação e sinalização. Assim, será intensificada a escavação da trincheira por onde vão passar os carros na parte de baixo dos viadutos.

Além de uma passagem segura e com qualidade para a população das duas cidades, o elevado também vai beneficiar moradores do Riacho Fundo, Samambaia, Gama, Santa Maria e municípios do entorno

Segundo o engenheiro do DER e fiscal da obra, Eli Câmara, a expectativa é que o tráfego melhore na região . “Quando liberamos a primeira marginal, do lado do Riacho Fundo 2, o trânsito já deu uma boa melhorada. Agora, não será diferente”, aposta. “E vale lembrar que as marginais não são desvios, mas fazem parte de todo o conjunto da obra”, pontua Eli.

Com investimento de R$ 30,9 milhões, provenientes de recursos do Governo do Distrito Federal (GDF), a construção do viaduto deve durar um ano e gera cerca de 400 empregos. Um consórcio de empresas terceirizadas executa as reformas desde maio. Segundo o engenheiro, a concretagem da laje já se inicia na próxima semana.

O local, por onde circulam cerca de 60 mil veículos todos os dias, passará por uma transformação. Hoje, a entrada e saída de veículos tanto do Recanto quanto do Riacho Fundo II é feita por um balão e gera enormes engarrafamentos.

Além de uma passagem segura e com qualidade para a população das duas cidades, o elevado também vai beneficiar moradores do Riacho Fundo, Samambaia, Gama, Santa Maria e municípios do entorno.

Empolgação dos moradores

Administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria Silva ressalta que trata-se de uma melhoria esperada há mais de dez anos pela população. “A gente percebe que, desde a inauguração da via marginal, os moradores se empolgaram e ganharam qualidade de vida”, observa.

“O pessoal do Condomínio 4 inclusive começou a cuidar das margens da rodovia e limpar a sujeira que ficava ali próxima aos muros do conjunto habitacional. Foi muito positivo”, alegra-se a gestora.

Obra chegou a 50% de execução e previsão é entregar em julho. GDF investe R$ 30,9 milhões e gera 400 empregos

CATARINA LIMA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: SAULO MORENO
Com uma grande extensão, a laje do elevado do viaduto está sendo concretada em duas etapas e, após concluída está fase, será iniciada a escavação do túnel | Fotos: Tony Oliveira/Agência Brasília

Até o fim deste mês, a obra do viaduto do Recanto das Emas chega à metade. Nesta terça-feira (12), foi finalizada a concretagem da primeira fase da laje do elevado. Agora terá início a segunda fase, que está prevista para ficar pronta no dia 31 de outubro. Dentro do cronograma, a previsão do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) – responsável pela construção – é de que o viaduto seja entregue à população em julho de 2022. O órgão avalia que aproximadamente 200 mil motoristas sejam diretamente impactados pelo equipamento.

“O restante do trabalho será feito até o final do mês. O que deixa todos animados. É mais uma etapa que estamos terminando. As próximas são escavação e pavimentação”Eli Câmara, engenheiro do DER

“A laje tem o lado A e o lado B. Hoje, estamos concretando o lado A. Assim que finalizarmos, vamos começar a montar a armadura do lado B”, afirma Guízella Paloma, que integra a equipe de engenharia da construção. Segunda ela, a concretagem foi feita em duas etapas devido à grande extensão e pela existência de uma junta de dilatação, que impede a colocação do concreto em uma única fase. A técnica explicou ainda que a próxima etapa será o grampeamento do solo e, a seguir, a escavação do túnel.

De acordo com Eli Câmara, engenheiro do DER, responsável direto pela obra, na concretagem da primeira fase foram colocados 850 metros cúbicos de concreto, que correspondem à metade da laje. “O restante do trabalho será feito até o final do mês. O que deixa todos animados. É mais uma etapa que estamos terminando. As próximas são escavação e pavimentação”, explica Eli.

Para o administrador do Recanto das Emas, Carlos Dalvan, o ritmo da obra agrada moradores da região. “A comunidade está otimista porque a cada dia que passa podemos ver a obra em estágios mais definidos. As melhorias, as intervenções já estão proporcionando impacto positivo no trânsito”, avalia.

A obra foi iniciada em maio deste ano pela construção das marginais para o desvio dos carros. A pista do lado do Riacho Fundo II está pronta e o trânsito liberado, o que melhora o fluxo de veículos.

Além do Recanto das Emas e do Riacho Fundo, serão beneficiadas as cidades de Samambaia, Gama e Santa Maria, e algumas cidades do entorno do DF. O investimento na construção do viaduto é de R$ 30,9 milhões e está gerando 400 empregos.

Secretaria de Saúde vai aproveitar a estrutura e adaptar local para escola de formação dentro da Atenção Primária

IAN FERRAZ, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: CHICO NETO

Inaugurada no mês passado, a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Riacho Fundo II é uma das maiores estruturas da Atenção Primária do DF. Tem capacidade para receber até dez equipes de saúde, o que significa entre 35 e 40 mil atendimentos por mês. Com toda essa estrutura, o Governo do Distrito Federal (GDF) também pensa em grandes projetos para o local, entre estes o de transformar a unidade em um polo de estudos.

A UBS do Riacho Fundo II pode receber até dez equipes de saúde, o que possibilita realizar de 35 a 40 mil atendimentos por mês | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Brasília

É o que explica o coordenador de Atenção Primária do DF, Fernando Erick Damasceno: “A UBS 5 do Riacho Fundo II será o quinto equipamento de saúde da região. Ela é uma UBS muito grande, com uma ampla estrutura física. A pretensão é fazer de lá um polo de UBS escola, com bastante educação. Será a UBS mais importante do território, e vamos expandi-la até o fim do ano”.

Segundo o gestor, cerca de 60% das UBSs são cenários de ensino, e o governo pretende qualificar mais esse ambiente, que segue diretrizes curriculares das faculdades.  “Queremos criar polos fortes, que serão cenários de ensino da graduação, da pós-graduação e também das residências médicas”, detalha.

“A quantidade de vidro, salas bem colocadas compõem uma obra de altíssimo nível que entregamos à população”Governador Ibaneis Rocha

“Essas UBSs maiores, com melhores condições, acabam influenciando melhores práticas. Isso se transforma em incentivo aos preceptores – que desenvolvem o trabalho junto aos estudantes e residentes – para continuarem dentro de uma carreira acadêmica.  Estimula, de modo geral, o desenvolvimento do serviço”, acrescenta Damasceno.

Estrutura de excelência

Localizada na QS 09, conjunto 01, lote 01, a nova UBS contou com investimento de R$ 8,2 milhões. São consultórios e salas que receberam mobílias, macas comuns e ginecológicas, computadores, equipamentos para avaliação de sinais vitais, balança antropométrica e equipamentos para nebulização, entre outros. A UBS do Riacho Fundo II ocupa terreno de 9,7 mil m2 quadrados e tem área de 2,1 mil m2 edificados.

“Estive lá há alguns dias e fiquei encantado com a qualidade da obra”, lembra o governador Ibaneis Rocha. “A quantidade de vidro, salas bem-colocadas compõem realmente uma obra de altíssimo nível que entregamos à população.”

Já os serviços e consultas oferecidos contam com uma grande lista – do acolhimento ao cadastramento, passando pela assistência de enfermagem, médica e multiprofissional e atenção à saúde da gestante, da criança, adolescente, mulher, homem, LGBT e idoso. Há previsão para em breve dispor de assistência odontológica, vacinação, realização de testes rápidos contra covid-19 e entrega de medicamentos e insumos.

“O DF nunca teve tantas equipes completas, tantos equipamentos e obras”Fernando Erick Damasceno, coordenador de Atenção Primária

A UBS do Riacho Fundo II também faz acompanhamento dos beneficiários do programa Bolsa Família, de pacientes com doenças crônicas, tratamento de hanseníase e tuberculose e ainda o teste diagnóstico e acompanhamento de doenças como dengue, zika, febre amarela e outras viroses.

“Estou satisfeito de, logo nos primeiros dias da minha gestão, participar de uma inauguração da Atenção Básica, de uma UBS que é uma das maiores do Brasil”, comemora o secretário de Saúde, Manoel Pafiadache. “Aqui nós temos sala de agentes comunitários, de coleta de exames, sala de farmácia e muito mais.”

Curativos, retiradas de pontos, troca de sondas, suturas e pequenos procedimentos também estão no rol de serviços, bem como o planejamento familiar, a colocação de dispositivo intrauterino (DIU) e a entrega de preservativos e contraceptivos. Também estão previstos o teste rápido de gravidez e o acompanhamento de pré-natal, entre tantos outros serviços.

“Há duas décadas esperávamos por esse equipamento público tão importante para a população”, reforça a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria. “Ele será de grande valia para os moradores e para os profissionais que vão nos atender.”

A nova UBS contou com investimento de R$ 8,2 milhões: consultórios e salas receberam mobílias, computadores e equipamentos para nebulização, entre outros

Mais equipes

Paralelamente à abertura de novas UBSs, o GDF trabalha para atingir o seu maior número de equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF) da história. Até o fim do ano, a Saúde deverá ter 635 equipes, chegando à inédita cobertura de 83% de todo o território. Isso será possível com o credenciamento de mais 151 equipes junto ao Ministério da Saúde, além das 484 credenciadas já existentes, que serão distribuídas em todas as UBSs existentes na capital federal.

“O DF nunca teve tantas equipes completas, tantos equipamentos e obras”, aponta Erick Damasceno. “Em 2019, a nossa cobertura girava em torno de 63%, e pensar uma Atenção Primária que alcança 83% de cobertura é um grande avanço. O DF precisava muito disso, e estamos realizando.”

Quando procurar uma UBS?

A unidade básica de saúde é também conhecida como posto, centro de saúde ou clínica da família. Esses estabelecimentos de Atenção Primária oferecem exames, consultas e acompanhamento médico, entrega de medicamentos, troca de curativos e aplicação de vacinas.

Leia também

Site internacional destaca UBS 5 do Riacho Fundo II

As UBSs são o caminho indicado para casos de sintomas leves de gripe, tontura, dor abdominal, mal-estar, diarreia, vômito e conjuntivite, além de tratamento e acompanhamento de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). Tais unidades também acolhem e acompanham casos de gestação, hipertensão, diabetes e obesidade.

As UBSs não oferecem o atendimento de pronto-socorro, exclusivo para casos de emergências. Em casos graves ou complexos, pacientes são encaminhados para uma unidade de pronto atendimento (UPA) ou hospital.

site da Secretaria de Saúde dispõe de informações sobre todas as UBSs. O usuário pode descobrir qual unidade deve procurar, bem como o endereço, o horário de atendimento, a abrangência e o tipo de atendimento daquele espaço por meio da Sala de Situação.

Primeira oficina presencial da revisão do Pdot será no CAIC de Santa Maria, às 8h30


O debate sobre o futuro do Distrito Federal começa neste sábado (2/10), com a primeira oficina temática da revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) – ferramenta essencial de planejamento urbano, que definirá as políticas públicas territoriais e ambientais para os próximos dez anos.

A oficina vai ocorrer tanto de forma presencial como virtual. Na primeira opção, a reunião vai começar a partir das 8h30, no Centro de Atenção Integral à Criança (CAIC) de Santa Maria, localizado na Entrequadra 215/315, lote B.
Serão convidados os moradores de Santa Maria, Riacho Fundo II, Recanto das Emas e Gama. As inscrições para participar de forma presencial poderão ser feitas pelo site do Pdot, preenchendo o formulário com nome, CPF, e-mail para contato e a cidade onde mora.
Já o debate virtual será feito pela plataforma Zoom. Ele ocorrerá simultaneamente ao presencial e será transmitido, no dia do evento, pelo canal no Youtube da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), chamado de Conexão Seduh. Nele terá as mesmas dinâmicas da reunião presencial.
A ideia é a população discutir os principais desafios enfrentados em sua cidade, com atividades e questionamentos que serão propostos aos participantes.

“Essa é uma oportunidade importante para a comunidade ser ouvida e levar suas demandas. É um convite para todas as entidades, lideranças comunitárias, associações de bairro, setor produtivo e todos aqueles que queiram contribuir para o processo de construção da revisão do Pdot”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira.

Vagas
Ao todo, serão 100 vagas disponíveis para a participação presencial no CAIC de Santa Maria, onde será feita a primeira oficina temática da revisão do Pdot.

“A oficina é limitada a 50% da capacidade do local, em respeito às regras de distanciamento impostas durante a pandemia”, explicou a secretária executiva de Planejamento e Preservação (Seplan), Giselle Moll.

Regras
Os inscritos deverão se apresentar no local com seu documento de identificação até às 8h, ou seja, meia hora antes do início da reunião.
Faltando 15 minutos para o início do evento, serão liberados os lugares não ocupados pelos inscritos para aqueles que não fizeram inscrição prévia. Não será ultrapassado o número total de 100 pessoas.
Os não inscritos deverão pegar senha no local e se manterem em fila para o caso de serem convidados para preencher uma vaga. Neste caso, será feita uma chamada por senha, que se não for atendida, seguirá para a próxima e, assim, sucessivamente.

Oficinas
Ao todo, serão sete oficinas temáticas organizadas pela Seduh, sempre aos sábados, nos períodos da manhã e tarde. Elas vão ser promovidas em uma Região Administrativa que representa um grupo de cidades, intitulada Unidade de Planejamento Territorial (UPT).
“A Administração Regional de cada UPT também vai disponibilizar uma sala onde vai ser transmitida online a reunião, para aqueles que não puderem ir presencialmente”, informou Giselle Moll.

 

Confira abaixo o cronograma com as sete oficinas:

Informações Leandro Cipriano / Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação

Obras vão beneficiar dois mil moradores da região. Com piso tátil, o caminho será ainda melhor para cerca de 40 deficientes visuais 

LÚCIO FLÁVIO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

Cerca de mil metros de passeio com acessibilidade estão sendo construídos nas quadras QN 16, 18, 19 e 20 do Riacho Fundo II. Iniciadas há quase dois meses, as obras, quando concluídas, vão beneficiar dois mil moradores da região. Mas um público em especial, o de deficientes visuais que residem no local – cerca de 40 -, está ainda mais feliz com as melhorias.

Para os irmãos Leandro e Leonardo Moreno da Silva, há mais de dez anos moradores do setor, as calçadas com piso tátil direcional vão fazer diferença na mobilidade de toda a comunidade de deficientes visuais. “Não tinha nada para nós nesse sentido que pudesse melhorar o acesso à quadra de esporte ou mesmo às paradas de ônibus. Quando chega a chuva, fica mais perigoso com o risco de acidente por conta das poças de lama”, lamenta Leonardo, 37 anos, que trabalha como técnico em informática.

O irmão dele, que é massoterapeuta e também deficiente visual, destaca que a obra terá um significado ainda maior. “É um benefício para todos os moradores, não apenas para nós, mas também para os idosos com dificuldade de locomoção, grávidas, enfim, todos”, comenta Leandro, de 33 anos.

As calçadas com piso tátil direcional vão fazer diferença na mobilidade de toda a comunidade de deficientes visuais | Foto: Lúcio Bernardo Jr/Agência Brasília 

Cerca de 16 homens de empresa terceirizada contratada pela Novacap trabalham no local. Máquinas como caminhão betoneira e pá mecânica ajudam nos serviços, que se encontram na fase de concretagem. O valor do investimento, originário de emenda parlamentar do deputado distrital Iolando Almeida, é de R$ 100 mil.

As obras começaram na praça da quadra de esporte da QN 16, passando pelas QNs 18 e 19, até chegarem à QN 20, na altura da Avenida N3. As primeiras ações foram a retirada de árvores, seguidas por nivelamento da área do local da construção. Na manhã desta sexta-feira (24), operários faziam a concretagem e instalação dos pisos táteis. Nove rampas de acessibilidade serão construídas ao longo do percurso.

“É uma obra de grande valor para esses portadores de necessidades especiais e demais moradores dessas quadras. Era uma demanda de mais de dez anos que agora vai favorecer o deslocamento de milhares de pessoas”, destaca a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva. Leonardo Moreno reforça: “Para quem não é cego, os pontos de referências são as cores, placas, prédios. Os pisos táteis são a referência da visão que a gente não tem”.

 

Leia também

Sai lista para bancas da Feira Permanente do Riacho Fundo II

Estão sendo colocadas no local seis manilhas com cerca de 8 metros de comprimento e 62 centímetros de diâmetro, o que aumentará a vazão do córrego Capão Preto, que escoa sob a pista| Foto: GDF Presente

Tubulações para recuperar pontilhão em estrada rural do Riacho Fundo II

Site internacional destaca UBS 5 do Riacho Fundo II

Com 80 anos bem-vividos e bastante lúcida, a aposentada Francisca Silva de Medeiros atravessa quase todos os dias a QN 16 para pegar ônibus na QN 20. Sempre tem dificuldade de se locomover pela região por conta da inexistência de passeios que facilitam a circulação dos pedestres. Ficou superanimada com o que viu.

“Estava precisando, principalmente para pessoas de idade como eu”, agradece. O presidente da Novacap, Fernando Leite, reitera: “São melhorias que vão proporcionar melhor acessibilidade e qualidade de vida aos moradores dessas quadras”. E aproveita para anunciar uma boa notícia: “Em breve, outros investimentos serão levados ao local”.

Ação integrada do governo prepara cidades para o retorno das chuvas; via dá acesso à escola com 380 alunos em período integral

HÉDIO FERREIRA JÚNIOR, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: RENATA LU

A enxurrada de um temporal que caiu no início do ano no Riacho Fundo 2 comprometeu a via de acesso à Escola Classe (EC) Ipe (Israel Pinheiro), no Caub 1. Na estrada vicinal que liga a região administrativa ao Park Way, o pontilhão (espécie de ponte de terra) foi arrastado e as manilhas obstruídas por galhos e folhas de árvores.

Estão sendo colocadas no local seis manilhas com cerca de 8 metros de comprimento e 62 centímetros de diâmetro, o que aumentará a vazão do córrego Capão Preto, que escoa sob a pista| Foto: GDF Presente

Atento ao preparo das cidades para as chuvas, com retorno previsto nas próximas semanas, o Governo do Distrito Federal (GDF) acionou uma força tarefa de recuperação da estrada vicinal no trecho que fica a cerca de 500 metros da unidade de ensino. Estão sendo colocadas seis manilhas – unidas de duas em duas – com cerca de 8 metros de comprimento e 62 centímetros de diâmetro, o que aumentará a vazão do córrego Capão Preto, que escoa sob a pista.

A EC Ipe atende cerca de 380 alunos, de 6 a 10 anos, em período integral. Na unidade de ensino não chega o transporte coletivo e os estudantes têm acesso às aulas por meio do transporte escolar do GDF

As obras são executadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), com suporte da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, já que se trata de uma área rural de proteção ambiental e nascentes. O GDF Presente, programa de benfeitorias do governo, contribui com a mão de obra do projeto Mãos Dadas, enquanto a Administração Regional do Riacho Fundo II com caminhões e uma máquina de nivelamento do terreno.

“Aproveitamos também para desobstruir as folhas que estavam bloqueando a passagem de água nas quatro manilhas de alvenaria, com 45 centímetros de diâmetro cada, já existentes sob o pontilhão”, informa o coordenador de licenciamento e obras da Administração Regional do Riacho Fundo II, Isaias Carvalho.

Segundo a diretora da EC Ipe, que atende cerca de 380 alunos, a estrada de terra, se estiver mantida em ordem, atende plenamente a população que depende dela pra se locomover | Foto: GDF Presente

Mais segurança nas chuvas

Administradora Regional do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, lembra que o estrago vinha colocando em risco a segurança dos carros que passam por lá diariamente. “Inclusive a do transporte da produção rural e a das crianças levadas e trazidas da escola”, alerta.

“Além disso, beneficia os moradores e chacareiros que transitam pela via diariamente, além das crianças no acesso à escola neste semestre de volta às aulas”, completa o coordenador do Polo Sul que atende a região pelo GDF Presente, Carlos Alberto Alves.

A EC Ipe atende cerca de 380 alunos, de 6 a 10 anos, em período integral. A maioria deles mora nos Caub 1 e 2, no Riacho Fundo II e alguns até no Park Way. Na unidade de ensino não chega o transporte coletivo e os estudantes têm acesso às aulas por meio do transporte escolar do GDF.

De acordo com a diretora da escola, Gleisy Regina Lino, a comunidade está satisfeita com as intervenções – previstas para serem concluídas ainda esta semana. “A estrada, mesmo que de terra, se tiver mantida a ordem e a estrutura, já atende plenamente toda a população que depende dela para se locomover”, comemora. Confira outras ações do GDF Presente:

Uniformes, capacetes, escudos, selas e outros itens da Guarda Presidencial Dragões da Independência serão apresentados para a comunidade encerrando o Setembro Cívico

Alunos do Educandário de Maria visitam a exposição dos Dragões da Independência, na Administração do Riacho Fundo II. Foto: Cláudio Gerber/Setur-DF

O turismo cívico pedagógico do Distrito Federal ganha força nas regiões administrativas do DF. Objetos da Guarda Presidencial Dragões da Independência ficarão expostos na Administração Regional do Riacho Fundo II até o próximo dia 30. “Dragões, Tradição e História” apresentam objetos, como uniformes, capacetes, escudos, selas e outros itens da Guarda Presidencial Dragões da Independência para a comunidade, de forma inédita, fora do Plano Piloto.

A ação só foi possível por meio de parceria entre a Secretaria de Turismo do DF, o 1º Regimento de Cavalaria de Guardas, vinculado ao Comando Militar do Planalto, e a Administração do Riacho Fundo II. A abertura aconteceu na tarde desta sexta-feira (24) e contou com a presença da secretária de Turismo, Vanessa Mendonça; da administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva; do representante do 1º Regimento de Cavalaria de Guarda (RCG) e chefe da Sessão de Comunicação Social do Exército, tenente-coronel Glauco Soares Vieira; do representante do 2º Batalhão da PMDF, tenente Gilvan, e do comandante do 27º da PMDF. Estavam presentes ainda alunos da 5ª série do Centro de Ensino Lobo Guará e do Educandário de Maria. A cerimônia de abertura contou ainda com apresentação da Banda do 1º RCG, que tocou os hinos do Brasil e de Brasília, além de muitas músicas populares.

Secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, fala na abertura da exposição dos Dragões da Independência, na Administração do Riacho Fundo II. Foto: Cláudio Gerber/Setur-DF

A secretária Vanessa Mendonça destacou os Acordos de Cooperação Técnicas que foram assinados com as prefeituras de Cláudio (MG), Casimiro de Abreu e Vassouras (RJ), São Luiz (Ma), Pirenópolis (GO) e Recife (PE), para implementar o turismo cívico-pedagógico. A parceria vai permitir que alunos dessas cidades venham a Brasília conhecer monumentos e a história do Brasil, em complemento ao ensino da sala de aula.

“É importante que primeiramente os alunos do Distrito Federal tenham a oportunidade de conhecer elementos significativos da nossa história, como os Dragões da Independência, responsáveis pela guarda presidencial, e os nossos monumentos. O nosso governo trabalha integrado e sempre em busca de promover a melhoria na qualidade do ensino e das oportunidades que despertem o amor pela capital federal”, afirmou a secretária.

Patriotismo

Secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, na abertura da exposição dos Dragões da Independência, na Administração do Riacho Fundo II. Foto: Cláudio Gerber/Setur-DF

O tenente-coronel Glauco Vieira falou que da importância de levar a exposição “Dragões, Tradição e História” para as regiões administrativas como uma oportunidade de despertar nos alunos a admiração pelos símbolos nacionais. “Eu agradeço à Secretaria de Turismo e ao Governo do Distrito Federal, pela oportunidade de apresentarmos aqui a exposição do regimento que, diariamente, realiza treinamentos para a garantia da lei da ordem, e para a proteção das guardas palacianas. Este momento é muito importante para criarmos e desenvolvermos nas crianças o patriotismo de amarmos os símbolos nacionais, a nossa bandeira, o nosso hino que é de todos os brasileiros”, disse.

Secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, e o tenente-coronel Glauco Vieira na abertura da exposição dos Dragões da Independência, na Administração do Riacho Fundo II. Foto: Cláudio Gerber/Setur-DF

“É um momento único e esperado pela nossa comunidade. Aqui nunca aconteceu algo tão oportuno e importante para a nossa cidade e hoje podemos presentear aos nossos alunos essa exposição tão rica, que reafirma o nosso patriotismo”, falou a administradora Ana Maria da Silva.

Para a professora da 5ª série do Centro de Ensino Fundamental do Riacho Fundo II, Carollyne Dias de Araújo, este é um momento de valorização histórica e cultural para os alunos. “Muitos dos nossos alunos não têm a oportunidade de conhecer o centro de Brasília, o eixo monumental e as atrações da cidade. A exposição está trazendo peças históricas, uma banda do Exército e muitos nunca presenciaram isso antes, então, para eles, tudo isso é conhecimento e riqueza de informação de um conteúdo que se estende para a sala de aula. Quando trazemos a prática e a vivências para eles, tudo se torna incrível porque eles passam a ter, além da folha e da escuta, eles passam a ter a visão”, afirmou professora.

Alunos do Centro de Ensino Lobo Guará durante a abertura da exposição dos Dragões da Independência, na Administração do Riacho Fundo II. Foto: Cláudio Gerber/Setur-DF

A aluna do Educandário de Maria, M. F. S. S, disse, encantada, que é a primeira vez que tem a oportunidade de ver objetos do Exército Brasileiro. “Gostei de ver os capacetes com penas coloridas e as peças usadas pelos cavalos, e também gostei de ver os militares tocando a flauta e trompete. Quando eu crescer, quero ser veterinária, por isso eu gostei de ver o que os cavalos usam”, declarou.

Fanfarra do 1º RCG se apresenta na abertura da exposição dos Dragões da Independência, na Administração do Riacho Fundo II. Foto: Cláudio Gerber/Setur-DF

Antes de chegar ao Riacho Fundo II, a exposição ficou por dos dias 14 a 20 na Casa de Chá, na Praça dos Três Poderes e recebeu a visita de centenas de pessoas. A exposição estará aberta à visitação dos moradores e turistas, na sede da Administração Regional até o próximo dia 30, encerrando as celebrações do Setembro Cívico. Quem não teve a oportunidade, poderá conhecer a história da mais tradicional unidade de Cavalaria do Exército Brasileiro e a sua participação nos momentos históricos da nação.

Fonte: ASCOM Secretaria de Turismo

Relação dos habilitados publicada no DODF está no site da Secretaria de Governo do DF

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: SAULO MORENO

Está disponível no site da Secretaria de Governo a lista dos habilitados e dos inabilitados no processo licitatório para ocupação de bancas da Feira Permanente do Riacho Fundo II. O material foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quinta-feira (23).

“A publicação do resultado inicial da licitação dos boxes da feira do Riacho Fundo II configura um importante passo no processo seletivo para ocupação da feira, cuja edificação foi restaurada pela Novacap e será utilizada pela primeira vez por aqueles que apresentaram as melhores propostas de preços”Valmir Lemos, secretário executivo das Cidades

A concorrência pública visa selecionar pessoas físicas para a exploração comercial de 108 boxes e contou com 148 interessados, dos quais 64 foram habilitados. Confira aqui a lista.

“A publicação do resultado inicial da licitação dos boxes da feira do Riacho Fundo II configura um importante passo no processo seletivo para ocupação da feira, cuja edificação foi restaurada pela Novacap e será utilizada pela primeira vez por aqueles que apresentaram as melhores propostas de preços”, afirma o secretário executivo das Cidades, Valmir Lemos.

A licitação segue na etapa de interposição de recurso do julgamento das propostas de preço. O prazo vai até o próximo dia 30 para manifestação dos participantes. Em seguida, de 8 a 15 de outubro, abre-se o período para a comissão de licitação julgar os recursos das propostas. Em 22 de outubro será publicado, no DODF, o resultado sobre a interposição de recursos.

De acordo com o cronograma, a homologação do processo licitatório será em 23 de novembro e a assinatura do Termo de Permissão de Uso Qualificada, em 30 de novembro.

Encerrada a licitação, a Secretaria Executiva das Cidades iniciará novo processo para ocupação, caso haja bancas remanescentes.

Novas licitações à vista

O secretário de Governo, José Humberto Pires, explica que esse é o primeiro processo de licitação feito no governo Ibaneis para ocupação desses espaços públicos. A Subsecretaria de Mobiliário Urbano e Apoio às Cidades, vinculada à Secretaria Executiva das Cidades e responsável pelo procedimento, tem trabalhado dentro de todo critério da legislação vigente para não prejudicar nenhum cidadão interessado em desenvolver sua atividade na Feira Permanente do Riacho Fundo II.

“Nós pegamos este processo com problemas e tivemos que encerrar o que foi feito no governo passado. A razão da demora é para que dê segurança jurídica a todas as pessoas à luz da legislação”, afirma.

José Humberto informa que outras licitações serão feitas para mobiliários públicos que tenham espaços desocupados e a pasta já está preparando mais três editais voltados a feiras.

 

De acordo com o secretário, o objetivo é revitalizar as feiras do ponto de vista estrutural, da qualificação dos feirantes e, sobretudo, transformá-las em verdadeiros comércios, em que as atividades possam ser desenvolvidas com a sinergia necessária, sem boxes fechados ou sendo usados indevidamente.

O processo ocorre em parceria com a Administração Regional de Riacho Fundo II, que tem contribuído com apoio organizacional para a execução de etapas do edital.

Todas as informações sobre a licitação estão disponíveis no menu principal do site da Segov, na aba “Licitações” – “Processos Segov”.

*Com informações da Secretaria de Governo do DF

O governador Ibaneis Rocha dedicou a manhã de sexta-feira(17), para cumprir uma série de compromissos no Riacho Fundo II. O ponto de chegada do governador, foi na QS 18, onde foi recepcionado pela senhora Maria Paixão e o senhor Márcio, moradores da região há 19 anos.

Acompanhado da deputada federal Celina Leão, da administradora da cidade Ana Maria e do chefe de gabinete e administrador interino Rafael Mazzaro, reuniu-se com lideranças comunitárias e moradores da localidade, que reclamaram da lentidão da obra, da poeira, falta de água e energia na QS 18, Riacho Fundo II. 


Na ocasião, o governador Ibaneis Rocha falou sobre algumas obras já em andamento na cidade: "Estamos passando por um problema seríssimo, que é essa questão da pandemia, mas não deixamos a cidade parar, em plena pandemia, nós começamos o viaduto Recanto das Emas, Riacho Fundo II, fizemos a entrega de uma das mais belas UBS do Distrito Federal, aqui no Riacho Fundo II. Estamos construindo moradias para as pessoas, estamos realmente construindo a infraestrutura de uma cidade, escola sendo construídas, dando condições para que a população do Riacho Fundo II possa morar aqui e ter toda qualidade de vida. Quem acompanha as obras do governo, tá vendo que existe um trabalho muito sólido, muito forte, no sentido de levar benefícios para população. Sobre as obras da 3° etapa, vou pedir celeridade, exatamente porque está se aproximando o período das chuvas e queremos evitar o máximo de transtorno possível para a população”, comentou o chefe do Executivo. 

De acordo com a administradora Ana Maria, Riacho Fundo II está de cara nova. "Riacho Fundo II, na atual gestão do governador Ibaneis, se tornou outra cidade! Uma cidade, onde agora as pessoas estão apostando, está crescendo, ninguém vai mais precisar se deslocar para se divertir, estudar ou trabalhar em outra cidade", comenta Ana Maria.   

A comitiva se deslocou até a QC 02, na Igreja Batista Betel, onde o governador ouviu as demandas expostas pelos pastores da região, entre elas a regularização dos templos religiosos.

O pastor anfitrião Abimaci, deu boas vindas ao governador e toda comitiva, ressaltando a importância da proximidade entre a fé cristã e as autoridades. "Nós temos vários objetivos e necessidades que só alcançaremos com essa comunhão, com esse ajuntamento, essa unidade", frisou. 

O governador Ibaneis Rocha, acompanhado da deputada Celina Leão, da Secretária de Esporte Gisele Ferreira e da Administradora da cidade Ana Maria, encerrou a série de compromissos na QN 12, na Paróquia Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, onde foram recebidos pelo padre João Donuzet. 

“Desejo as boas-vindas a Ibaneis Rocha, nosso governador”.  
João Donizete fez um duplo agradecimento. Primeiro pela visita, depois pela garantia de que a unidade paroquial, que se estendem em onze capelas comunitárias, possam ser contempladas com a regularização fundiária, pela ajuda do Governo do Distrito Federal. “A gente quer manter essa parceria”, observou o religioso.

Quando Ibaneis fez um breve discurso acerca da regularização fundiária dos templos religiosos em todo Distrito Federal.
"Estamos passando por um grande processo de regularização dos templos religiosos do Distrito Federal, aprovamos uma legislação de dar agilidade, modernidade com as leis das igrejas e nós estamos conseguindo avançar muito, na questão da regularização fundiária dos templos religiosos", frisou, Ibaneis Rocha.

Para deputada Celina Leão, o governador tem ajudado a resolver os problemas da cidade. "Tenho certeza, que mais essa demanda da regularização fundiária, da legalização dos templos, vamos ter ajuda do nosso governador Ibaneis, para que isso se resolva", comenta deputada.

Em seguida, o governador foi presenteado com a imagem da Nossa Senhora da Medalha Milagrosa. Na ocasião foram concedidos dois certificados; de Parceira do Bem, para empresa Logtel Internet e certificado de honra ao mérito, pela gloriosa conquista da medalha de ouro paralímpica na modalidade Golbol para o atleta e morador do Riacho Fundo II, Leomon Moreno.

EDIÇÃO: Dênio Alves, Ascom RA-RFII | IMAGENS: EdmundoCine 

 

Após entregar unidade no Paranoá Parque, governo inaugura mais uma no Riacho Fundo II, que será capaz de realizar até 28 mil atendimentos mensais

IAN FERRAZ, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: SAULO MORENO

“Estive aqui há alguns meses e fiquei impressionado com a qualidade desta obra. É uma obra de altíssimo nível para cuidar da população. Estamos trazendo sete equipes aqui para atender a comunidade”Governador Ibaneis Rocha

Menos de um mês após entregar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no Paranoá Parque, o Governo do Distrito Federal (GDF) volta a inaugurar mais uma, desta vez no Riacho Fundo II. As portas foram abertas à população nesta quarta-feira (1) com a presença do governador Ibaneis Rocha e secretários de governo.

A nova unidade está localizada na QS 09, Conjunto 01, Lote 01. Possui capacidade de atender até 28 mil pessoas com sete equipes da Saúde da Família. Segundo a Secretaria de Saúde, a estrutura é diferenciada: tem mais que o dobro de área construída que as tradicionais unidades. Com o espaço extra, é possível alcançar até dez equipes de médicos e técnicos de saúde, o que, no futuro, permite um atendimento de 35 a 40 mil pessoas.

A cerimônia de inauguração da UBS no Riacho Fundo II pelo governador Ibaneis Rocha contou ainda com as presenças da deputada federal Celina Leão, do presidente da Câmara Legislativa, deputado Rafael Prudente, além dos deputados distritais Valdelino Barcelos e Jaqueline Silva | Fotos: Joel Rodrigues/Agência Brasília

Na obra, o GDF investiu R$ 8,2 milhões e gerou 200 empregos. Já está equipada e pronta para atender a população. As instalações já contam com mobiliário de consultórios, macas comum e ginecológica, computadores, equipamentos para avaliação de sinais vitais, balança antropométrica, equipamentos para nebulização, entre outros. Tudo isso distribuído dentro do edifício, que possui área construída de 2,1 mil metros quadrados, num terreno de 9,7 mil metros quadrados.

“Estou satisfeito de logo nos primeiros dias da minha gestão participar de uma inauguração da Atenção Básica, de uma UBS que é uma das maiores do Brasil. Aqui nós temos sala de agentes comunitários, de coleta de exames, sala de farmácia e muito mais”General Manoel Pafiadache, secretário de Saúde

O governador Ibaneis Rocha lembrou do esforço de construir e finalizar a UBS, além de elogiar a estrutura. “Estive aqui há alguns meses e fiquei impressionado com a qualidade desta obra. É uma obra de altíssimo nível para cuidar da população. Estamos trazendo sete equipes aqui para atender a comunidade”, destacou.

Já o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, reforçou que a unidade é “uma das maiores UBSs do Brasil”. “Estou satisfeito de logo nos primeiros dias da minha gestão participar de uma inauguração da Atenção Básica, de uma UBS que é uma das maiores do Brasil. Aqui nós temos sala de agentes comunitários, de coleta de exames, sala de farmácia e muito mais”, comemora.

Erguida pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), a UBS conta com recursos provenientes de operação de crédito de R$ 67 milhões remanescentes da execução de obras de infraestrutura do empreendimento Parque do Riacho, no Riacho Fundo II.

Segundo o presidente da Codhab, Wellington Luiz, o governo “fez em tempo recorde essa UBS que teve problemas por erros de gestões passadas”, recordou.

Além das unidades do Paranoá Parque e do Riacho Fundo II, o GDF também inaugurou uma UBS no Jardim Mangueiral, em 2021, e prepara outros lançamentos em Ceilândia (QNR 2), no Vale do Amanhecer (Planaltina) e no Buritizinho (Sobradinho II).

A inauguração da UBS contou ainda com as presenças da deputada federal Celina Leão, do presidente da Câmara Legislativa, deputado Rafael Prudente, além dos deputados distritais Valdelino Barcelos e Jaqueline Silva.

Mais obras

O governo tem investido em outras estruturas para a população do Riacho Fundo II e região. Uma das obras em andamento é a do viaduto que corta o Recanto das Emas e o Riacho Fundo II, na DF-001. Também está sendo erguida uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) na região, que está 87% executada.

Investimentos em torno de R$ 1 milhão estão sendo feitos no reforço da iluminação pública. A população do Riacho Fundo II também vai contar com a liberação de meio milhão de reais destinados à administração regional para obras de manutenção.

“Faremos todo o asfaltamento daqui até o Balão do Periquito. Temos o viaduto, que já está com 30, 35%. Temos muita coisa boa para entregar à população”, enumerou Ibaneis Rocha.

 

GALERIA DE FOTOS:

O processo seletivo para as vagas não preenchidas no primeiro processo eletivo do Conselho Distrital de Segurança Pública (Condisp), ocorrido entre os meses de fevereiro e maio, terá início neste mês. As inscrições serão abertas a partir do dia 23 de agosto e poderão ser feitas até o dia 15 de setembro.

O edital com as regras e os prazos foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal, desta sexta-feira (13/8). Como no primeiro  processo seletivo, toda a tramitação ocorrerá de forma virtual em função da pandemia.

No total, seis vagas poderão ser preenchidas. São elas: Entidades de caráter associativo ou sindical representantes dos praças da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) – 1 vaga; Entidades ou organizações da sociedade civil –  2 vagas; Núcleos de estudo e grupos de pesquisa – 1 vaga; Conselhos comunitários – 2 vagas.

A Portaria SSP/DF n.º 110, de 27 de julho de 2021 (66642988), a qual disciplina o processo de eleição para a composição das vagas não preenchidas do Conselho Distrital de Segurança Pública – Condisp.

 O processo seletivo direciona-se às entidades ou organizações da sociedade civil, núcleos de estudo, grupos de pesquisa e conselhos comunitários do Distrito Federal cuja finalidade esteja I – Entidades de caráter associativo ou sindical representantes das praças da PMDF (uma vaga);

II – entidades ou organizações da sociedade civil (duas vagas);

 III – núcleos de estudo e grupos de pesquisa (uma vaga); e

IV – Conselhos comunitários (duas vagas).

As inscrições devem ocorrer entre os dias 23/08/2021 e 15/09/2021, conforme instruções que podem ser conferidas na página oficial desta Pasta (www.ssp.df.gov.br).

 

Iniciativa visa arrecadar brinquedos e livros infantis para crianças em situação de vulnerabilidade. Doações podem ser feitas até 30 de setembro

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: ROSUALDO RODRIGUES
Banner da campanha Vem Brincar Comigo 2021

Começou a arrecadação de brinquedos e livros infantis da edição 2021 da campanha Vem Brincar Comigo, do Governo do Distrito Federal (GDF). A iniciativa, que está na terceira edição, tem objetivo de fazer um Dia das Crianças mais feliz para crianças do DF em situação de vulnerabilidade social.

A partir desta segunda-feira (30) até o dia 30 de setembro, será possível realizar doações nas administrações regionais, batalhões do Corpo de Bombeiros, órgãos do GDF, Palácio do Buriti e anexo, e também na sede na Defesa Civil do DF, no SIA Trecho 6 Lotes 25/35 Edifício Excellence Business Center.

No ano passado, a campanha idealizada pela primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, e coordenada pela Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância, Anucha Soares, vinculada à Chefia de Gabinete do Governador, arrecadou mais de 40 mil itens.

 

De acordo com Mayara Noronha Rocha, nesta terceira edição, a campanha visa bater o recorde de arrecadação do ano passado. “Quando sociedade civil, empresariado e servidores públicos unem esforços com o propósito de fazer o bem ao próximo, é possível levarmos esperança para milhares de crianças que não podem ter um brinquedo”, enfatizou a secretária.

Devido aos protocolos e medidas de segurança sanitárias, recomenda-se a higienização dos itens doados com água e sabão ou álcool 70%. Além disso, para facilitar a identificação e a manipulação do item, recomenda-se que os donativos sejam acondicionados em sacos transparentes.

 

Segundo Anucha Soares, subchefe de Políticas Sociais e Primeira Infância, o processo de higienização das doações foi implementado o ano passado, devido à pandemia, e continua sendo adotado. “A doação é um ato de amor, carinho e respeito ao próximo. Portanto, partindo desse pressuposto, pedimos que os itens doados estejam em condições de serem utilizados, bem como higienizados”, ressalta.

As informações sobre a Vem Brincar Comigo podem ser acompanhadas por meio da página da campanha, no portal do GDF.

*Com informações da Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância

A vacinação contra a Covid-19, no Distrito Federal, começou no dia 19 de janeiro. Até o momento, o DF já recebeu 2.057.480 doses de imunizantes. A distribuição ocorreu da seguinte forma:

 

 

Os números da vacinação no DF podem ser obtidos no Vacinômetro:

 

 


O Caminho da vacina

 

 


A vacina contra a Covid-19 é aplicada, neste momento, nos seguintes integrantes do grupo prioritário:

 

 

O cadastramento para gestantes e puérperas sem comorbidades será aberto às 15h desta segunda-feira (21) e o agendamento será aberto na quarta-feira (23). A vacinação começa na quinta.

 

O agendamento para quem tem entre 49 e 59 anos foi encerrado e a Secretaria de Saúde aguarda a chegada de mais doses para retomar a marcação pelo site.

 

Dúvidas no agendamento? Saiba mais no vídeo abaixo:

 

 

Saiba mais:

 

                

                 

                 

 


 

Todo cidadão entre 18 e 59 anos, com as seguintes doenças pré-existentes apresentadas abaixo, deverá se cadastrar para posteriormente agendar a vacinação, conforme liberação de vagas a serem anunciadas no site da Secretaria de Saúde.

 

 

O cadastramento está disponível para todo cidadão que apresentar alguma comorbidade apresentada acima. O sistema da Secretaria de Saúde irá reconhecer, através do CPF do usuário, se ele é portador de alguma comorbidade, no caso de haver registro de atendimentos no SUS. Não havendo esse reconhecimento, o usuário poderá se cadastrar, no entanto, deverá apresentar um laudo médico quando for vacinar após um agendamento que será anunciado. Importante esclarecer que os dados informados devem ser comprovados, pois o cidadão declara estar prestando informações verdadeiras.

 

Veja quem já pode agendar:

 

 

Consulte os CIDs e demais especificações de cada comorbidade aqui.

 

Mais informações, acesse www.saude.df.gov.br/vacinacomorbidades.

 

Gestantes e puérperas com comorbidades podem se vacinar em 24 pontos de vacinação sem agendamento prévio. 

No entanto, é necessário levar documento que comprove que faz parte do grupo e relatório médico indicando qual a sua comorbidade.

Veja os locais para vacinação:

 

 


Pode ser uma imagem de ao ar livre e texto
A Administração Riacho Fundo II realizou no último final de semana, em parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação e a OSC Programando o Futuro, o Drive Thru do Resíduo Eletrônico O evento ocorreu no sábado e domingo, das 10h às 16h, no Estacionamento em Frente à Administração Regional.
 

Nenhuma descrição de foto disponível.
Equipamentos eletrônicos, como computador, impressoras, telefones, carregadores e eletrodomésticos, foram descartados com segurança no ponto de coleta.

A administradora da cidade, Ana Maria, agradeceu a parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação e aos voluntários do Reciclotech. "Essa é a primeira vez que o evento acontece em nossa cidade, onde a população teve a oportunidade de descartar de maneira adequada seus resíduos, contribuindo para que nossos jovens possam estudar com o material coletado, uma vez que os equipamentos que apresentarem condições de uso serão direcionado para alunos de escolas públicas da nossa cidade", ressalta, Ana Maria.

Pode ser uma imagem de 1 pessoa, em pé, área interna e texto

Pode ser uma imagem de 1 pessoa, carro, ao ar livre e texto que diz "Drive-Thru Drive Thru do Lixo Eletrônico Ciáncia म GDF Riacho Fundo Sede da Adm. Regional 10/7e11/7 10h às 16h Não pode ir? Solicite coleta domiciliar!* 99231-1923 *Acoleta caravana Riacho Fundo| durante mediante disponibilidade equipe. green eletron futuro fapd A Administração GDF reciclotech"

O que fazer com os seus equipamentos eletrônicos que não possuem mais condições de uso? Sabia que eles ainda podem promover a inclusão digital de alunos de baixa renda? A Administração do Riacho Fundo II realizará, nos dias 10 e 11, das 10h às 16h, o Drive Thru do Resíduo Eletrônico, em parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, a OSC Programando o Futuro e a Green Eletron. Separe seus equipamentos eletrônicos, como computador, impressoras, telefones, carregadores e eletrodomésticos, e descarte com segurança. Para isso basta levá-los para o estacionamento da Administração Regional, além de descartar de maneira adequada seus resíduos, você estará contribuindo para que jovens possam estudar com o material doado, uma vez que os equipamentos que apresentarem condições de uso serão recondicionados e posteriormente doados.

O Drive Thru do Lixo Eletrônico faz parte do RECICLOTECH, que alinha capacitação profissional de jovens, recondicionamento de resíduos eletrônicos, doação de equipamentos, educação ambiental e preservação do meio ambiente.

 

Serviço:
Drive Thru do Lixo Eletrônico
Dias: 10 e 11 de julho
Horário: 10h às 16h
Local: Riacho Fundo II – 1A Etapa QN 7A Cj 6 – Riacho Fundo II, Brasília – DF,
Informações: 61. 99231-1923 (Valéria)

 

A Defensoria Pública do Distrito Federal elaborou uma cartilha sobre a violência doméstica e familiar contra a mulher: mitos e verdades.

Trata-se de material extremamente robusto e qualificado, construído por defensora que atua há anos de maneira direta na área em questão, utilizando dados e informações atualizadas e sensivelmente úteis.
O trabalho apresenta de maneira didática e objetiva respostas às principais dúvidas extraídas dos atendimentos e entrevistas com réus em processos de violência doméstica e familiar contra a mulher.A pesquisa, criteriosamente elaborada, traduz informações gerais sobre a Lei Maria da Penha, com suas devidas especificidades que comportam definições teóricas da norma, até aplicações práticas. O trabalho desenvolve de maneira louvável o esclarecimento do público alvo sobre as mais diversas características da lei, sua extensão e aplicação.

A cartilha, no que se refere a dúvidas sobre a Lei Maria da Penha, trabalha a diferenciação do que é mito e do que é verdade no contexto da lei e de sua aplicação. A abrangência se estabelece acerca das dúvidas sobre a figura da vítima e as diversas características que operam conjuntamente para a incidência da norma, os contextos em que os mais variados tipos de violência acontecem, bem como suas modalidades e em que circunstâncias elas se caracterizam de modo a atrair a aplicação da referida lei. Esclarece pontos sobre a vítima transexual e a incidência da norma dissociada da orientação sexual, conquanto que esta seja do gênero feminino ou se identifique com ele, cumulado à vulnerabilidade.

O trabalho também apresenta a evolução dos direitos das mulheres no Brasil, construindo uma linha do tempo desde a Constituição de 1824 até os dias atuais. O trabalho apresenta também uma importante reflexão sobre evolução da mulher no mercado de trabalho e encerra com uma chamada à mudança de mentalidade, avanços significativos têm sido construídos no decorrer dos tempos, “a ordem jurídica já preconiza a igualdade de gênero, o que falta para que ela seja vivenciada na prática? É necessária uma mudança de mentalidade.”

 

>> Clique aqui para acessar a cartilha

 

Administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria, solicita agilidade nos projetos para início da obra de duplicação da via N3, mais conhecida como 100 Dimensão.

A administradora esteve na manhã desta segunda-feira (31/5), na Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), reunida com o coordenador da Região Sul, Iro Depieri e o diretor da Diretoria de Urbanização, André Vaz, para verificar o andamento do projeto e solicitou junto a diretoria, agilidade na conclusão do projeto para a duplicação da via N3, tendo em vista, que já tem indicação de recurso proveniente de emenda parlamentar para a execução da obra e que a mesma, é muito aguardado por toda a região.


De acordo com a diretoria, já foram concluídos os projetos de dimensionamento, drenagem e sondagem, faltando apenas o projeto de pavimentação e orçamento.

A previsão é que logo em breve, a população receberá mais essa boa notícia!

 

Com intuito de receber denúncias anônimas ou não, a Secretaria de Administração Penitenciária criou um canal direto entre a GFIC e a Sociedade.

     O novo canal serve para denunciar internos que não estão cumprindo medidas determinadas pela justiça que defere prisão domiciliar, medida protetiva, trabalho externo ou saídas temporárias (saidão).

    O seu apoio é determinante para o fiel cumprimento da execução Penal.

LIGUE E DENUNCIE
61 3361 0384
61 9 9268 6155

Denuncia.gfic@seape.df.gov.br

A partir desta quarta (5), Codeplan inicia coleta de dados da PDAD 2021. Informações ajudarão na gestão do governo local

Tem início, nesta quarta-feira (5), a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD). Serão coletadas informações sobre os moradores de todas as 33 regiões administrativas (RAs) do Distrito Federal, a fim de subsidiar e orientar de forma qualificada o planejamento governamental.

Nesta edição do estudo tem novidades. Além das questões tradicionais, entre as perguntas do questionário há algumas voltadas aos animais domésticos e segurança alimentar. Também será entregue um questionário facultativo para cada indivíduo da família sobre questões de gênero.

Realizada a cada dois anos, a PDAD é efetuada por amostra de domicílios urbanos – selecionados mediante critérios de probabilidade. No entanto, ela avança por cada uma das 33 RAs da capital federal, e sua frequência bianual possibilita um acompanhamento da evolução das condições de vida dos brasilienses.

Para o secretário de Economia, André Clemente, as políticas públicas necessárias para atender a população devem ter base em evidências. “O Estado, para atender a população, precisa definir suas políticas públicas; e, para que surtam efeitos e atinjam seu objetivo, essas políticas precisam de base científica, base técnica e muita articulação e engajamento para viabilizar as entregas”, destaca.

“A PDAD, como as outras pesquisas da Codeplan, como PMAD (Pesquisa Metropolitana por Amostra de Domicílios) e PED (Pesquisa de Emprego e Desemprego), nos ajuda a obter os dados necessários para subsidiar o GDF na estruturação de políticas públicas”, resume o  presidente da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan), Jean Lima. “São pesquisas  baseadas em evidências, permitindo delinear melhor os cenários e construir políticas mais eficazes”, completa.

A fim de oferecer um diagnóstico detalhado da situação atual do DF, os pesquisadores da Pdad 2021, devidamente identificados com crachá, visitarão cerca de 35 mil domicílios na capital federal.

Etapas
A pesquisa será feita em quatro fases, sendo a primeira, que consiste no planejamento, realizada em 11 meses. Já a segunda fase, de coleta/aplicação dos questionários, demanda cinco meses enquanto a terceira – organização de dados e análises de consistência – levará três meses. A última fase, prevista para dezembro de 2021, consiste na divulgação dos dados amostrais.

Os questionários são sobre domicílios e moradores e ambos divididos em blocos. Os blocos B, C e D são compostos por perguntas de cunho domiciliar e segurança alimentar. Já os blocos E, F, G, H, I e J são de especificidades dos moradores, como saúde individual, educação, trabalho, entre outros indicativos.

O secretário de Governo, José Humberto Pires, reforça: “É importante que a população receba os pesquisadores. Não há nenhum risco, uma vez que eles não entram nos domicílios e também não solicitam dados pessoais, como bancários ou CPF”.

Reportagem: Agência Brasília*
Foto: Acácio Pinheiro, Agência Brasília
Edição: Chico Neto, Agência Brasília
(*) Com informações da Codeplan.

Estrutura será montada com a utilização de 7,2 mil toneladas de concreto e outras 200 de ferragem, divididas em 196 estacas

FLÁVIO BOTELHO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

As obras de construção do viaduto de acesso ao Recanto das Emas e Riacho Fundo II avançam a cada dia. Além da implementação das vias marginais nos dois sentidos da DF-001, os operários também trabalham na fundação das estruturas elevadas, que são feitas de ferragens e concreto depositado no interior do solo.

Operários também trabalham na fundação das estruturas elevadas, que são feitas de ferragens e concreto depositado no interior do solo | Foto: Paulo H carvalho / Agência Brasília

Esta etapa da obra não interfere no trabalho feito nas vias marginais e vai preparar o terreno para a implementação do túnel que será escavado por baixo do viaduto. Ao todo, serão utilizadas 7.200 toneladas de concreto e 200 toneladas de ferragem nas 196 estacas que compõem toda a fundação.

O investimento do Governo do Distrito Federal (GDF) para a realização do viaduto foi de R$ 30,9 milhões, que geraram em torno de 400 empregos no canteiro de obras

O investimento do Governo do Distrito Federal (GDF) para a realização do viaduto foi de R$ 30,9 milhões, que geraram em torno de 400 empregos no canteiro de obras. Toda a execução do projeto está à cargo do DER/DF. Estima-se que cerca de 60 mil veículos trafeguem pela região diariamente.

O diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/DF), Fauzi Nacfur, explica qual é a função das estruturas elevadas para o viaduto. “Em cima dessas fundações vai uma laje, que justamente vai dar suporte pro pessoal que está passando embaixo. Quando ela estiver pronta, a gente estima em torno de dois meses, começamos a escavar a trincheira embaixo”, afirma.

“Estamos construindo um viaduto trincheira, que significa que ele vai ‘mergulhar’. Cada estaca dessa vai servir de base para apoiar uma laje de concreto. Quando tudo isso estiver pronto, começamos a escavação dos dois encabeçamentos. Vai ficar parecido com o túnel do aeroporto”, finaliza Nacfur.

Morador do Recanto das Emas desde 1994, o assessor jurídico Elias da Silva relata que o viaduto era uma demanda antiga da população da cidade e enumera os benefícios que a obra vai trazer. “Aqui já aconteceram vários acidentes com vítimas, pessoas foram atropeladas. Com a chegada do viaduto, vai reduzir tanto a questão do trânsito, que é caótico, como melhorar a segurança da população”, ressalta.

No início desta semana, o governo inaugurou o Complexo Viário Governador Roriz, um conjunto de 23 viadutos e quatro pontes que formam a Ligação Torto-Colorado e o Trevo de Triagem Norte construído com um investimento de R$ 220 milhões, beneficiando cerca de 100 mil motoristas que trafegam pela região diariamente.

 

GALERIA DE FOTOS

Programa ‘Turismo em Ação’ entregou carteiras aos artesãos da comunidade e mapeou pontos de interesse para consolidar atividade na região

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: RENATA LU

A caravana do Turismo em Ação – programa itinerante da Secretaria de Turismo (Setur) – deixou um legado que já está transformando o Riacho Fundo II em uma rota do turismo, ressignificando as experiências de seus moradores e visitantes. Localizado na administração regional da cidade, o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), em funcionamento desde o dia 11 deste mês, está alavancando a cadeia turística na região.

Na entrada da antiga residência de campo presidencial, um painel imenso do artista Athos Bulcão – o maior dele fora do Plano Piloto. Uma verdadeira joia arquitetônica que impressiona qualquer visitante| Foto: Divulgação/Setur

Além da inauguração do espaço, o Turismo em Ação entregou ainda 14 carteiras nacionais para os artesãos da comunidade, um documento que funciona como um registro profissional e permite com que esses trabalhadores possam atuar em eventos nacionais e internacionais.

“O objetivo dos CATs é fazer essa conexão e informar ao turista que, na cidade para onde ele vai, tem um atendente qualificado para dar as informações que ele precisa para conhecer essas potencialidades”Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

Para a administradora regional do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, o CAT vai ajudar o turista que deseja conhecer a região e fomentar a economia social: “Neste espaço, o turista recebe todas as informações necessárias sobre os pontos turísticos da nossa cidade, produtos e serviços, como o artesanato. Além disso, consegue esclarecer qualquer dúvida sobre o Riacho Fundo II.

O turista também encontra dicas de roteiros e calendários dos eventos anuais, já que somos um centro grandioso de turismo com atuações nas mais diversas áreas, como a religiosa, rural, cultural, entre outras”. O CAT do Riacho Fundo segue os padrões estabelecidos pela Setur, com atendimento diário das 9h às 18h, inclusive aos finais de semana e feriados.

“Nós sabemos que, para além do turismo arquitetônico, cívico ou náutico, temos as regiões administrativas, que possuem verdadeiras joias turísticas. O objetivo dos CATs é fazer essa conexão e informar ao turista que desembarca na rodoviária que, na cidade para onde ele vai, tem um atendente qualificado para dar as informações que ele precisa para conhecer essas potencialidades. Estamos conectados. Os pontos turísticos do Riacho Fundo II serão promovidos, por exemplo, no CAT do aeroporto”, destacou a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça.

Unicidade

Para o secretário executivo do Esporte, Márcio Rogério, o morador do Riacho Fundo II tem recebido um trabalho de excelência realizado pela administração local, o que tem sido potencializado por ações do GDF e, em especial, pelas secretarias de Esporte e Turismo. “Essas ações que estão sendo entregues ao Riacho Fundo II vêm a calhar com tudo o que estamos pensando para a transformação da cidade. A unicidade é o fortalecimento de tudo isso, e o GDF se fortalece quando estamos trabalhando juntos; o esporte e o turismo são coirmãos”, completou.

“Tudo o que tem sido feito aqui, incluindo o curso do CAT, me fez valorizar ainda mais a minha cidade e o que temos em nossas mãos”Eliane Rodrigues da Silva, certificada pelo curso de atendimento do CAT

Durante a inauguração do CAT, Vanessa Mendonça ressaltou que a Setur trabalha, diuturnamente, em prol do desenvolvimento do setor, e que Brasília é muito mais que todos imaginam. “Com o trabalho desenvolvido pelo governador Ibaneis Rocha, somos hoje reconhecidos como um dos destinos turísticos mais procurados, inclusive, tendência para 2021”, afirmou.

Para Eliane Rodrigues da Silva, uma das agraciadas com o Certificado de Qualificação do Curso de Atendimento do CAT, todas as ações do governo e do Turismo em Ação despertaram um novo olhar para as belezas do Riacho Fundo II e do seu potencial turístico. “Tudo o que tem sido feito aqui, incluindo o curso do CAT, me fez valorizar ainda mais a minha cidade e o que temos em nossas mãos. Esse conhecimento nos permitiu ir além e nos reinventar nesse momento tão difícil de pandemia”, destacou.

Fungetur

Durante as ações do Turismo em Ação, a titular da Setur ressaltou a importância do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) para o fomento de atividades do turismo, inclusive o artesanato, por meio da linha de crédito histórica junto ao Banco de Brasília (BRB). A instituição financeira é responsável por operar o repasse de R$ 521 milhões feito pelo Ministério do Turismo. “Estamos indo a cada uma das regiões administrativas para falar desse recurso e colocá-lo à disposição da comunidade”, disse a secretária.

A subsecretária de Promoção e Marketing da Setur, Daniele Faria Lopes, aproveitou a ocasião para conversar com os empresários e artesãos sobre a necessidade de um novo olhar para reconhecer que o turismo pode fortalecer a identidade local. “O turismo é esse movimento de pessoas vindo para cá para conhecer a nossa história, a gastronomia, a cultura, o artesanato, consumir e gerar renda local. É uma indústria com alto poder de transformação e a população precisa se apropriar dos produtos do turismo”, reforçou.

Carteira do Artesão

“A Carteira Nacional do Artesão vai me dar visibilidade e abrir muitas portas, pois é uma forma de oficializar o trabalho do artesão”Ana Kássia de Silva Ramos, artesã

No encerramento de cerimônia de inauguração do CAT, a Setur fez a entrega de 14 unidades da Carteira Nacional do Artesão. Vanessa Mendonça ressaltou que o documento é a certificação da qualidade do artesanato produzido e abre a oportunidade para que os artesãos participem de feiras locais e nacionais. Além disso, ela colocou à disposição da comunidade artesã o caminhão do artesanato, para levar a produção a todas as feiras das quais a Setur participa nem Brasília ou em outras cidades.

A artesã Ana Kássia de Silva Ramos, 37 anos, tem quatro filhos. Veio de Fortaleza (CE) para o Riacho Fundo II em busca de melhoria das oportunidades profissionais. Com dez anos de experiência com macramê, Ana Kássia foi uma das 14 artesãs a receberem o documento. “A Carteira Nacional do Artesão vai me dar visibilidade e abrir muitas portas, pois é uma forma de oficializar o trabalho do artesão. E esse trabalho está sendo cada vez mais bem-visto pela sociedade, porque é uma energia materializada no produto que a gente trabalha e faz com muito carinho e amor, além de ser peça exclusiva”.

Pontos turísticos

A caravana do Turismo em Ação percorreu pontos turísticos ainda pouco conhecidos na região do Riacho Fundo II, como a Mesa do JK, o Instituto de Saúde Mental (ISM) e a Capela São Paulo Apóstolo. O objetivo foi identificar as melhorias que precisam ser feitas, como acesso, sinalização e infraestrutura, para entrar em ação e incentivar o turismo local.

Mesa do JK: espaço perfeito para um encontro com a natureza | Foto: Divulgação/Setur

A Mesa do JK foi construída há mais de 60 anos pelo ex-presidente Juscelino Kubitschek para reuniões em que precisava de privacidade e tranquilidade. A estrutura está dentro da Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie) da Granja do Ipê e fica a 35 km do Plano Piloto. O local guarda um tesouro de beleza natural e exuberante no Riacho Fundo II e é um espaço perfeito para um encontro com a natureza.

Ainda dentro da Granja Riacho Fundo, é possível conhecer a residência de campo de ex-presidentes como Ernesto Geisel, Tancredo Neves e José Sarney, uma verdadeira joia arquitetônica que impressiona qualquer visitante. Na entrada da antiga casa principal, há um painel imenso do artista Athos Bulcão – o maior dele fora do Plano Piloto.

Além disso, a estrutura possui detalhes em madeira, pedras, janelas imensas, cobogós e mobília que remontam à história de Brasília e do Brasil. No espaço, muito arborizado, inclusive com imensas espécies de araucária, há um lago e uma piscina com cascata natural. Em 1987, o ex-presidente José Sarney doou o local para a Secretaria de Saúde, que fundou o Instituto de Saúde Mental (ISM). Atualmente, o ISM abriga 34 pacientes residentes e atende mais dois mil pacientes portadores de doenças psiquiátricas.

A caravana do Turismo em Ação também conheceu de perto a Capela São Paulo Apóstolo, que foi construída toda em madeira, em 1958, pelo ex-prefeito de Brasília, Israel Pinheiro. Os cuidados estão sob a responsabilidade da zeladora Maria Zita Ferreira Cassimira. A filha, Hellen Amanda Ferreira Cassimira, é a coordenadora da Pastoral do Dízimo e da Liturgia e assumiu a função de guia turística da igreja.

“Eu cresci aqui dentro, meus pais são zeladores da capela e minha mãe me ensinou a cuidar daqui. É muito significante para mim transferir essa história para outras pessoas que, muitas vezes, nem sabem dela. Essa iniciativa da Setur é muito importante, não só para a comunidade do Riacho Fundo II, mas para toda a nossa capital”, destacou Amanda Cassimira.

“Nós temos um propósito e vamos fazer juntos. A construção de um roteiro do Riacho Fundo II e a inauguração do Centro de Atendimento ao Turista vão transmitir experiências, como essa que estou vivenciando agora, de ouvir uma história linda como a contada pela Amanda. Isso dá significado ao turismo local, e temos de valorizar ações humanizadas como essa”, finalizou Vanessa Mendonça.

*Com informações da Setur

Este é o terceiro ano em que o GDF une esforços com a sociedade civil para aquecer os que mais precisam.

O inverno começa oficialmente no dia 21 de junho, mas o Distrito Federal já enfrenta baixas temperaturas. Pensando nisso, a Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância, em parceria com a Secretaria de Governo, Vice-Governadoria, Corpo de Bombeiros Militar e Defesa Civil do Distrito Federal, lançou a Campanha do Agasalho Solidário 2021.

O objetivo é arrecadar itens de combate ao frio, como cobertores, casacos, meias, luvas e gorros para pessoas em situação de vulnerabilidade social. As doações poderão ser entregues no Palácio do Buriti e no prédio anexo, bem como em todos os Batalhões do Corpo de Bombeiros. A campanha receberá doações até o dia 30 de junho.

De acordo com os protocolos sanitários para evitar a propagação da covid-19, a recomendação é que os donativos sejam lavados e entregues em sacos plásticos para facilitar a identificação e a triagem. Todos as peças serão imediatamente entregues às famílias em situação de vulnerabilidade do Distrito Federal.

Segundo Mayara Noronha Rocha, primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social do DF, estão sendo intensificados os atos de amor ao próximo por meio de campanhas de solidariedade. Com a pandemia, muitas famílias se encontram em situação de vulnerabilidade social, e a campanha vem aquecer aqueles que sentem frio. “Esse é um momento de pensarmos de forma coletiva e, assim, nos mobilizarmos para ajudarmos aqueles que mais precisam”, concluiu Mayara.

Para Anucha Soares, a parceria com o Corpo de Bombeiros Militar e com a Defesa Civil beneficiará o cidadão que quiser realizar a doação próximo de sua residência, já que há batalhões por todo o DF. E com a experiência da Defesa Civil  os donativos serão entregues para aqueles que mais precisam. “Estamos trabalhando de forma integrada para garantir celeridade e resultados à população. Quem tem fome e frio tem pressa”, concluiu Anucha Soares.

Perto de você

“O CBMDF se sente mais uma vez honrado em participar em conjunto com a Subchefia de Políticas Sociais e outras secretarias de Estado desta importante ação solidária. A ajuda ao próximo está no DNA do Corpo de Bombeiros que, por meio dos seus militares e das suas unidades espalhadas por todo o Distrito Federal, poderão auxiliar na promoção da cidadania auxiliando os mais necessitados neste momento de pandemia”, comentou o coronel William Augusto Ferreira Bomfim, comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal.

*Com informações da Subchefia de Políticas Sociais e Primeira Infância- Agência Brasília.

Consulta pública sobre a minuta do decreto está aberta até 31 de maio 

AGÊNCIA BRASÍLIA* I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON


A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) abriu, nesta terça-feira (11), uma consulta pública que vai durar até 31 de maio. O objetivo é a população dar sugestões à proposta de decreto para demarcar nove áreas caracterizadas como Parcelamentos Urbanos Isolados (PUIs) – espaços urbanos consolidados inseridos em áreas rurais. Esse é o primeiro passo para iniciar o processo de regularização fundiária nesses locais, que beneficiará um total de 5.015 habitantes.

Os interessados poderão fazer suas contribuições à minuta do decreto e enviá-las ao e-mail direg@seduh.df.gov.br. Assim que as sugestões sejam analisadas e aprovadas pela equipe técnica da Seduh, elas poderão ser acrescentadas ao texto final.

Cinco das novas áreas ficam em Ceilândia e são: Núcleo Urbano 9 do Incra 9; Projeto Integrado de Colonização e Reforma Agrária (Picag) 3/372; Quintas do Amarantes; Residencial Monte Verde; e Vista Bela. As demais são: Cooperfruit, em Brazlândia; Granja Modelo II, no Riacho Fundo II; Granjas Reunidas Asa Branca, no Gama; e Morada Quintas do Campo, no Paranoá.

Juntos, os terrenos somam 288,05 hectares – o equivalente a 288 campos de futebol. Os parcelamentos foram sinalizados pelo Plano Diretor de Ordenamento Territorial (Pdot) de 2009, mas aguardavam pela demarcação das poligonais, que são preliminares e deverão ser aprovadas em conjunto com um projeto urbanístico.

De acordo com a diretora de Regularização Fundiária da Seduh, Denise Gouvea, com o processo de demarcação “será possível entender melhor a estrutura de cada local, o que contribuirá para uma futura regularização, que ainda envolve outras benfeitorias, como implementação de infraestrutura básica e equipamentos públicos”.

Regularização urbana

O Parcelamento Urbano Isolado é uma categoria de assentamento para regularização fundiária urbana definida no Pdot, aprovado pela Lei Complementar n° 803, de 2009.

“O Pdot de 2009 sinalizou 28 Parcelamentos Urbanos Isolados para serem demarcados. A Seduh já demarcou 12 antes da atual gestão. Agora, com mais nove, ficaria 21 parcelamentos demarcados”, informou Denise Gouvea.

Toda a informação necessária para subsidiar a consulta pública da população, como a minuta do decreto, mapas e fotos das áreas, está disponível no site da Seduh.

* Com informações da Seduh

Programa da Setur vai inaugurar Centro de Atendimento ao Turista (CAT) e estruturar o setor na cidade, entre outras medidas

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: MÔNICA PEDROSO

Região administrativa localizada a 30 quilômetros do centro da capital, o Riacho Fundo II tem vocação turística nos mais variados segmentos: turismo religioso, rural, cultural, de esportes, de aventura e gastronômico. E para potencializar ainda mais as belezas naturais, os atrativos e consolidar os pontos turísticos, o Turismo em Ação desembarca na região nesta terça-feira (11).

Durante o Turismo em Ação será criado o Conselho Regional do Turismo Sustentável da Região Administrativa do Riacho Fundo II | Foto: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

O programa itinerante da Secretaria de Turismo vai inaugurar o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), criar o Conselho Regional do Turismo Sustentável, levar oportunidades ao empresariado local, além de impulsionar os atrativos locais para colocar a cidade na rota do turismo.

“A região tem diversos atrativos para seus moradores e visitantes. E a nossa gestão, com um novo olhar, vai ressignificar e estruturar cada vez mais essa cidade tão importante para o DF“Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

“A região tem diversos atrativos para seus moradores e visitantes. E a nossa gestão, com um novo olhar, vai ressignificar e estruturar cada vez mais essa cidade tão importante para o DF. Esse é o compromisso do Turismo em Ação que não só vai revelar os atrativos locais, mas levar todas as condições necessárias, especialmente ao empresariado local, para que se possa explorar a capacidade de geração de emprego e renda do setor do turismo dentro do Riacho Fundo II”, ressalta Vanessa Mendonça, secretária de Turismo do DF.

A inauguração do Centro de Atendimento do Turista (CAT) dará início a uma série de agendas públicas e visitas técnicas. Localizado na administração regional da cidade, o novo espaço seguirá os padrões dos outros CATs já existentes na capital, com atendimento todos os dias da semana, inclusive feriados e finais de semana, das 9h às 18h.

Para a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, o CAT será a porta de entrada para os visitantes, responsável por levar todas as informações sobre os pontos turísticos da cidade, dos produtos, serviços e artesanato. Além disso, será um espaço onde o turista contará com dicas de roteiros e calendário de eventos anual. “A nossa região possui um potencial turístico grandioso nas mais variadas áreas. E o CAT será um espaço que vai agregar ainda mais valor, despertando o interesse do turista que quer conhecer e desbravar Riacho Fundo II, além de fomentar a economia local”, afirma Ana Maria Silva.

Fungetur

Durante o Turismo em Ação, a equipe da Setur vai esclarecer todas as dúvidas dos empresários e artesãos sobre o Fundo Geral do Turismo (Fungetur), que estabeleceu uma linha de crédito histórica junto ao Banco de Brasília (BRB), instituição financeira responsável por operar o repasse de R$ 521 milhões feito pelo Ministério do Turismo. Eles também serão orientados quanto às condições para o crédito e, principalmente, sobre a importância de estarem inscritos no Sistema de Cadastro de Pessoas Físicas e Jurídicas que atuam no turismo, o Cadastur.

Na ocasião também serão entregues 14 novas carteiras aos artesãos do Riacho Fundo cadastrados à Setur

É essa inscrição, inclusive, que garante diversas vantagens e oportunidades de negócios aos seus cadastrados como incentivos para participar de programas e projetos do Governo Federal e de programas de qualificação, promovidos e apoiados pelo Ministério do Turismo, sem contar o apoio em eventos, feiras e ações.

Vale destacar que, graças ao Fungetur, empresários e artesãos têm acesso aos menores juros praticados no mercado financeiro. O recurso pode ser usado tanto para obras civis de implantação, modernização, ampliação e reforma, aquisição de bens, máquinas e equipamentos, sem contar que pode ser usado para fortalecer o capital de giro de negócios.

“O Fungetur foi uma grande conquista do nosso setor e vê-lo saindo do papel, ajudando os empreendedores e empresários que impulsionam o trade turístico na capital, é uma realização. Resultado de um trabalho feito de forma integrada por um governo que atua, diuturnamente, para consolidar Brasília como um destino turístico”, destaca a secretária Vanessa Mendonça.

Carteira Nacional do Artesão

Na ocasião também serão entregues 14 novas carteiras aos artesãos do Riacho Fundo cadastrados à Setur. O documento habilita o artesão em todo o Brasil e oferece ainda a possibilidade de participação em eventos locais, nacionais e internacionais. Entre 2019 e 2020, 1.466 novas carteiras foram emitidas e 725 renovadas.

Conselho do Turismo

Outra ação do programa itinerante será a criação do Conselho Regional do Turismo Sustentável da Região Administrativa do Riacho Fundo II, que será discutida em reunião com representantes da sociedade civil, empresários e representantes do governo. O conselho, quando instituído por decreto, terá papel de desenvolver ações de conscientização turística e ambiental, contribuir para a formação e capacitação de profissionais que atuam no setor turístico, bem como intervir para captação de investimentos.

“É importante que todos encarem a atividade turística como um vetor econômico pela vocação que as cidades do DF têm para atrair investimentos e gerar emprego e renda. São 52 atividades que o segmento abarca. O turismo tem o poder, como poucos segmentos da economia, de resolver o problema do desemprego de maneira criativa”, ressalta a secretária de Turismo.

Pontos turísticos

Pouca gente sabe, mas é no Riacho Fundo que fica a Mesa JK. A equipe da Secretaria de Turismo fará uma visita técnica para estruturar e qualificar esse lugar histórico onde o presidente Juscelino Kubitschek se reunia para almoçar com a equipe de governo na época de implantação de Brasília.
De lá a comitiva da Setur-DF segue para o Instituto de Saúde Mental da cidade, local onde era a antiga residência oficial de JK, e encerra o Turismo em Ação visitando a Capela São Paulo Apóstolo.

Serviço – Turismo em Ação
Início da agenda
Horário: 9h
Local: Administração Riacho Fundo II
Endereço: QN 7A, Conjunto 06, Lote 01/02 – Riacho Fundo II, Brasília – DF

*Com informações da Setur

Pode ser uma imagem de 3 pessoas, pessoas sentadas e texto

Demanda antiga dos moradores do Riacho Fundo I e II, a pavimentação de via de ligação entre as duas regiões administrativas foi tema de audiência pública remota da Câmara Legislativa na manhã desta segunda-feira (3). Atualmente, a estrada é precária e se encontra dentro de uma área de proteção ambiental (APA) de responsabilidade do Ibram. A proposta discutida na audiência é a construção de uma pista alternativa, margeando o Parque Ecológico do Riacho Fundo e desativando a via que passa pela área de conservação.

A proposta agradou a muitos moradores, que clamam por “progresso”. Dalva de Almeida, do Educandário de Maria, por exemplo, reclamou dos buracos da pista atual e disse que a alternativa “é de suma importância para o progresso da nossa sociedade”. O empresário Gustavo Resende concordou e acrescentou: “Não vejo impactos ruins, a população tem de entender que poderemos gerar mais empregos e dignidade”.

Contudo, a proposta não é consensual. Moradores e alguns empresários da Avenida Sucupira, por onde passará a pista pavimentada, defendem que o alto fluxo de veículos poderá inviabilizar o comércio na localidade. “O acesso de entrada e saída ficará inviável. As pessoas não terão como parar os carros para fazer compras”, argumentou João Dimmy. Ele ainda reclamou que a grande quantidade de monóxido de carbono vai afastar as pessoas da pista de cooper do parque. Outros ainda manifestaram preocupação com a infraestrutura de águas pluviais naquela área.

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e sentada
À frente da discussão desta manhã, o presidente da Comissão de Transporte e Mobilidade Urbana da CLDF, deputado Valdelino Barcelos (PP), garantiu que a proposta será melhor discutida com toda a população, “sem atropelar nada”. E ponderou que a construção da via alternativa “dará mais segurança e comodidade”.

A proposta

O chefe da Seção de Projetos da Novacap, Elias Maia El Zayek, explicou que a via em debate terá cerca de 2km e ficará fora dos limites do parque ecológico. O projeto, além de pavimentação, prevê uma ciclovia mista com o passeio, o cercamento entre a via e o parque, e obra de drenagem atendendo às exigências da Adasa.

Como não passa pelo parque e tende a causar menos impactos ambientais, o processo de licenciamento pelo Ibram tende a ser mais célere. Segundo informou o superintendente Alisson Neves, o órgão já está em contato com a Novacap e as administrações regionais: “Estamos trabalhando para permitir avançar de forma sustentável e com o menor impacto possível. A perspectiva da via sem conflito com o parque é muito importante”. E continuou: “Sabemos da expectativa da comunidade, só estamos aguardando alguns documentos relacionados”.

Pode ser uma imagem de 2 pessoas e texto
A administradora do Riacho Fundo I, Ana Lúcia Melo, reforçou a importância do projeto e pediu a ajuda de todos. Ela ainda apontou que, enquanto a alternativa não sai do papel, estão sendo realizadas manutenções paliativas na via que já existe. Por sua vez, a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, defendeu que a nova pista vai permitir um deslocamento “mais ágil e seguro, sem buracos e atoleiros”.

Também presentes à audiência pública, o líder do governo na CLDF, deputado Hermeto (MDB), se colocou à disposição para “ajudar da melhor forma possível, obedecendo as legislações e ouvindo a comunidade”; e o ex-parlamentar Rôney Nemer argumentou que “toda obra traz desconforto, alguns serão contra, mas depois todos vão agradecer”.

Fonte: Denise Caputo – Agência CLDF

 

 

Não são apenas implantação de quebra-molas, melhoria no asfalto, reconstrução de calçadas que estão transformando as condições de vida dos moradores dos condomínios da 4° etapa. Alguns deles também estão ficando com um visual mais atraente em seus principais acessos, às margens dos condomínios – onde a Novacap está realizando um trabalho de paisagismo, com colocação de 10 mil m² de grama, até então, só havia lama e acúmulo de mato.


Alguns desses espaços já estão prontos. Além de gramas, a 4° etapa ganhou também, quebras-molas que irá aumentar ainda mais a segurança no trânsito e para os pedestres da região.

Regis Costa de Souza, síndico do Condomínio 19, Residencial Versalhe,, afirma que estas obras que ocorrem na região, trarão inúmeros benéficos para a cidade. "Nós moradores da QN 31 só temos a agradecer por essa ação movida pela administração do Riacho Fundo II e toda sua equipe, uma solicitação que veio nos trazer um bem-estar, onde existia resto de obras e sujeira agora é um local limpo e gramado que com certeza nos trará muitos benefícios, cidade limpa e sinônimo de saúde e povo civilizado", comenta.


A equipe continuará trabalhando no local nas próximas semanas. A administradora Ana Maria que, esteve acompanhando de perto os serviços, ressalta que, "além de realçar a beleza desses locais com o plantio de gramas, estamos implantando quebra-molas para aumentar a segurança de motoristas e pedestres que trafegam pela região. “Pedimos que a população desses locais nos ajude a preservar as áreas revitalizadas. Queremos que isso faça o morador se sentir feliz por ter uma área tão bonita perto de onde mora”, frisou Ana Maria, acrescentando que a intenção é avançar para outros espaços semelhantes.

𝐎 𝐑𝐅𝟤 𝐓𝐄𝐌 𝐎𝐁𝐑𝐀 𝐓𝐎𝐃𝐎 𝐃𝐈𝐀!

 

GALERIA DE FOTOS:

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: CHICO NETO

Postes e luminárias danificadas e lâmpadas queimadas estão sendo reparados em todo o Distrito Federal, por meio do Mutirão de Iluminação da CEB. Na semana que começa nesta segunda-feira (8), a ação da companhia contemplará Esplanada, Vila Planalto, Lago Norte, Varjão, Brazlândia, Candangolândia, Riacho Fundo e Riacho Fundo II.

A participação da comunidade no mutirão tem sido de extrema importância para a companhia. As administrações regionais também têm um papel fundamental para o sucesso do projeto, e podem informar, pelo Call Center 116, Opção 4, quais pontos de luz não estão funcionando.

As equipes da CEB trabalham 24 horas por dia, sete dias por semana, para atender aos chamados da população.

Aguardada há mais de dez anos pelos moradores da cidade, construção deve ser concluída em um ano e gerar cerca de 400 empregos

IAN FERRAZ, DA AGÊNCIA BRASÍLIA I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

 

Pode ser uma imagem de 3 pessoas, pessoas em pé, ao ar livre e texto que diz "雨 ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO RIACHO FUNDO Il GDF tpdap"
A construção do tão aguardado viaduto do Recanto das Emas teve início nesta sexta-feira (5). A obra, esperada pela população há mais de dez anos, vai resolver os problemas de trânsito em uma região por onde trafegam diariamente cerca 60 mil veículos.

O investimento é de R$ 30,9 milhões, provenientes de recursos do Governo do Distrito Federal (GDF) que vão possibilitar a geração de cerca de 400 empregos. Na manhã desta sexta, o governador Ibaneis Rocha esteve no local para o lançamento dos trabalhos, que têm previsão de durar um ano até a conclusão.

“A obra é muito importante e vai beneficiar uma população enorme aqui do Recanto das Emas e do Riacho Fundo, além do pessoal que visita a cidade e vai até o Gama. Estamos trabalhando desde o início do governo para liberar essa obra, que se inicia hoje e que certamente vai entrar para história de toda a região. Estamos muito felizes com isso”, disse o governador Ibaneis Rocha.

“Estamos trabalhando desde o início do governo para liberar essa obra, que se inicia hoje e que certamente vai entrar para história de toda a região. Estamos muito felizes com isso”Governador Ibaneis Rocha

O chefe do Executivo local assegurou também que será feito o recapeamento de vias na região. A obra é executada pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) e consiste em um viaduto a ser erguido no entroncamento do Recanto das Emas com o Riacho Fundo II. O local, que hoje consome tempo dos motoristas que ficam presos no trânsito, em breve será mais uma passagem segura e com qualidade para a população.

Além dos moradores do Recanto das Emas, a obra será feita num trecho da Estrada Parque Contorno (DF-001) que também vai beneficiar quem vem do Riacho Fundo, Riacho Fundo II, Samambaia, Gama e Santa Maria.

“Esse entroncamento é muito importante, porque liga o Recanto das Emas ao Riacho Fundo. Hoje, iniciamos as obras pelas vias marginais para que a gente possa desviar o trânsito para essas vias e iniciar a obra da estrutura do viaduto. É uma obra complexa que vai dar desgaste, mas pedimos a compreensão da população”, destacou o diretor-geral do DER-DF, Fauzi Nacfur Júnior.

“A ideia é sempre melhorar a mobilidade da cidade. Sabemos que essas obras que trazem maior fluidez, então o investimento nesse tipo de infraestrutura é importante”, pontuou o secretário de Mobilidade, Valter Casimiro.

Morador do Recanto das Emas há três anos, o comerciante Antônio Araújo, 48 anos, comemora o início das obras. “Vai melhorar muito aqui para nós moradores do Recanto das Emas, do Riacho Fundo e também do Gama. Já vi muitos engarrafamentos e acidentes nesse tempo que moro aqui, então o viaduto vem em boa hora”, acredita.

 

GALERIA DE FOTOS

Pode ser uma imagem de 1 pessoa, em pé, ao ar livre e texto
Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé e ao ar livre
Pode ser uma imagem de 2 pessoas, pessoas em pé e céu
Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé e ao ar livre
 

A participação social é um instrumento previsto na Constituição Federal, que permite que os cidadãos opinem e participem de processos decisórios importantes na esfera pública. Para ouvir o que as pessoas têm a dizer sobre desenvolvimento sustentável, o Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), lançou uma consulta pública para receber contribuições para os Planos de Mitigação e de Adaptação às Mudanças do Clima. O espaço está aberto até o dia 7 de março.
As contribuições devem ser feitas pelo preenchimento de formulário, e enviadas para o endereço secex@sema.df.gov.br.

De acordo com o secretário Sarney Filho, a participação da população do DF, principal afetada pelas mudanças do clima e destinatária da prestação de serviços públicos, é essencial para complementar esse processo. “Por isso, queremos receber da sociedade civil organizada, do setor privado e da academia propostas que poderão ser abordadas no processo de revisão do Plano de Mitigação e do processo de Implementação das Ações previstas na CDD-Contribuição Distritalmente Determinada”, afirma.
O Plano de Adaptação aborda a identificação de impactos, mapeamento de vulnerabilidades e de ações com foco nos eventos climáticos extremos ligados aos recursos hídricos, em especial. Já o Plano de Mitigação apresenta propostas com o objetivo de criar atividades para reduzir a emissão de gases causadores do efeito estufa, contribuindo assim, para a recuperação sustentável da economia pós-pandemia, gerando mais empregos, energia limpa e qualidade de vida.

A iniciativa conta com o apoio do Projeto CITinova (Planejamento Integrado e Tecnologias para Cidades Sustentáveis), do Global Environment Facility – GEF, coordenado nacionalmente pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, executado pela Secretaria do Meio Ambiente do GDF, com o apoio do PNUMA e CGEE.

Acesse aqui os documentos.<http://www.sema.df.gov.br/consulta-publica/>
 

Assessoria de Comunicação
Secretaria do Meio Ambiente

A estrada rural que liga o Riacho Fundo II à Escola Classe Ipê , bem como a estrada Sucupira, que dar acesso ao Riacho Fundo I, que sofreram impactos das chuvas dos últimos dias, passarão por uma série de melhorias. Os trabalhos para nivelamento da via, recuperação de trechos intrafegáveis, fechamento de buracos e limpeza nas bacias de contenção, terão previsão para iniciar na próxima segunda-feira (01/3). A ação contará com o apoio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (SEAGRI-DF), Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), Serviço de Limpeza Urbana(SLU) e Administração Regional do Riacho Fundo II, entre outros órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF). As vias fazem parte do trajeto diário de alunos da Escola Classe IPÊ e para o escoamento da safra dos agricultores da região.

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé, ao ar livre e texto que diz "ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO RIACHO FUNDO Il GDF Étempodeação."
A administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria, juntamente com o coordenador de licenciamento, obras e manutenção, Oséias de Paulo, representantes da Secretaria de Agricultura e DER, estiveram em vista às regiões, para discutir um plano emergencial de recuperação das estradas que sofreram impactos das fortes chuvas.

Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé, carro e ao ar livre
O Subsecretário de Abastecimento e Desenvolvimento Rural, Odilon Vieira Junior, destaca que a força-tarefa mobilizará as forças de trabalho e de máquinas para garantir os reparos emergenciais o mais breve possível.

A administradora, comenta que a cada chuva são várias ocorrências. "A Administração Regional recebe várias demandas para arrumar as estradas para que o produtor possa escoar sua safra”.

Ana Maria, garante que a força-tarefa para recuperação das estradas começará pelos pontos mais críticos. “Sempre que necessário, estamos fazendo a manutenção das estradas rurais da cidade, mas devido às fortes chuvas dos últimos dias, sofreram bastante, agora com esse trabalho integrado com os órgãos do GDF, estaremos trabalhando ao máximo para darmos conta de todas às demandas que a comunidade rural vem reivindicando a respeito de melhorias para as referidas estradas e, graças ao apoio do GDF e as equipes envolvidas, estaremos atendendo as solicitações, começando pelos pontos mais críticos’’, frisou.

"Após a estiagem das chuvas, será feito um trabalho de alargamento do pontilhão, para torná-lo mais eficiente no escoamento das águas, completa, Ana Maria.

Podem participar da formação ofertada pela FUNAB servidores estáveis do Distrito Federal com ensino superior completo que façam parte do banco de instrutores da Escola de Governo – EGOV. Resultados serão divulgados no Dia 26 de fevereiro 

A Fundação Universidade Aberta do Distrito Federal – FUNAB abre seleção para o “Curso de  Formação Inicial em Metodologias Ativas – Aprendizagem Baseada em Problemas”. As inscrições acontecem exclusivamente pelo link inscricao.funab.edu.br, de 10 a 24 de fevereiro. Podem se candidatar às vagas servidores públicos estáveis do Distrito Federal regidos pela Lei Complementar nº 840/2011 que contem  com ensino superior completo e façam parte do banco de instrutores da Escola de Governo – EGOV. As aulas serão ministradas em ambiente 100% virtual. O resultado oficial da seleção será divulgado na página da Fundação, no dia 26 de fevereiro.

A formação será realizada entre os dias 01 de março e 01 de abril, de segunda a sexta-feira, das 19h às 22h30 e, aos sábados das 8h30 às 12h. Serão ofertadas 75 vagas para o curso, que contará com certificação de 85 horas-aula. As ferramentas digitais utilizadas para o curso são as plataformas Jitsi, Google Meet e Classroom. Para obter a certificação é necessário que os participantes tenham o registro de 75% de presença nas aulas, além de aprovação na avaliação final do curso.

 

Mais sobre as Metodologias Ativas
Nesse processo de “ensinagem”, o estudante é o personagem principal e maior responsável pelo processo de aprendizagem, diferente dos modelos conhecidos e tradicionais. Sendo assim, o objetivo desse modelo de ensino e aprendizagem é incentivar que a comunidade acadêmica desenvolva neles a capacidade de aprender a aprender de maneira autônoma e participativa. Incita a formação profissional baseada em práticas desenvolvidas a partir do diálogo com o mundo do trabalho.

Mais sobre a FUNAB
A criação da Fundação Universidade Aberta do Distrito Federal – FUNAB foi autorizada pela Lei nº 5.141, de 31 de julho de 2013. Ela materializa o esforço de constituição e ampliação de uma política de educação superior pública em nível distrital, colocando a instituição na qualidade de mantenedora dessa oferta, com a finalidade de ministrar educação superior, desenvolver pesquisas e promover atividades de extensão universitária. A atuação da FUNAB se orienta a partir das necessidades do DF/ RIDE e prioriza a inclusão daquelas localidades com menor acesso à educação superior pública.  Confira mais em: http://www.funab.se.df.gov.br/

 

Serviço

Inscrições para o Curso de Metodologias Ativas
Período:
 De 10 a 24 de fevereiro
Link para inscrição: inscricao.funab.edu.br
Divulgação do resultado: 26 de fevereiro
Contato: (61) 98292-8194
ascom.funab@gmail.com

Estimativa da Secretaria de Saúde é vacinar cerca de 42 mil pessoas nessa faixa etária

JOHNNY BRAGA E CRISTINA SOARES,
DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

A partir da próxima segunda-feira (1º/2), o Governo do Distrito Federal vai ampliar o público da vacinação contra a Covid-19 no Distrito Federal. Serão vacinados os idosos acima de 80 anos, cujo público estimado é de 42.355 pessoas, de acordo com dados da Codeplan. As vacinas serão aplicadas em 36 salas, sendo 30 em unidades básicas de saúde já existentes e outras seis em locais estratégicos, como escolas e ginásios.


O primeiro dia de vacinação para esse público vai começar, excepcionalmente, a partir das 13h. Confira os locais aqui.

“O horário escolhido para o primeiro dia é para que tenhamos tempo hábil durante a manhã para abastecer todas as unidades, uma vez que as vacinas serão direcionadas das redes de frio regionais para as salas de vacina”, afirma o Coordenador da Atenção Primária, Fernando Érick Damasceno.
O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, disse que essa é uma etapa importante do processo de vacinação no Distrito Federal. “Estamos cuidando de uma população que tem alto percentual de agravamento da Covid-19, com sequelas graves, e um percentual elevado de óbitos”, lembrou Okumoto, acrescentando que esse era um desejo do governador Ibaneis para que esse público seja atendido e, assim que chegarem novas doses de vacinas, possa ser ampliado também para idosos acima de 70 anos.


DF recebeu 41,5 mil doses da Covishield – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

O secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Petrus Sanchez, explica que a Secretaria de Saúde irá avaliar “o cenário nesse primeiro momento e, se houver necessidade, já estaremos prontos para abrir novas unidades. A intenção é otimizar a força de trabalho nesses pontos para dar agilidade no processo de vacinação”.

Mais doses
O Distrito Federal tem a perspectiva de receber, na próxima semana, uma nova remessa de vacinas do Ministério da Saúde. De acordo com o quantitativo, a expectativa é ampliar gradativamente a vacinação para novos públicos. Os próximos a serem contemplados serão:

  • idosos a partir de 75 anos;
  • pacientes acamados, com dificuldade de locomoção, perfil AD1, com idade superior a 18 anos, assistidos pela rede pública e privada e um cuidador por grupo familiar;
  • pacientes de home care privado, com idade superior a 18 anos, e um cuidador familiar.


Vacina covishield desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AztraZeneca – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

O Distrito Federal já recebeu duas remessas da vacina CoronaVac – produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac -, totalizando 125.160 doses. Também foram recebidas 41,5 mil doses da vacina Covishield – desenvolvida pela universidade inglesa de Oxford, com a farmacêutica sueco-britânica AstraZeneca. As unidades já estão aplicando a primeira dose das duas vacinas.

Cerca de 5% das doses das vacinas são reservadas tecnicamente para repor eventuais perdas. No caso da vacina CoronaVac, o intervalo entre a primeira e segunda doses é curto, de 14 a 28 dias, e metade das doses recebidas são reservadas para a segunda aplicação. Já com a vacina Covishield, esse intervalo é de até 90 dias.
Até a noite desta sexta-feira (29), o DF já tinha vacinado 44.315 pessoas do grupo prioritário.

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé
Nesta quinta-feira (28/01) a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria, recebeu as visitas dos secretários de Governo, José Humberto Pires, do secretário executivo das cidades, Valmir Lemos e do presidente da Novacap, Fernando Leite, para o recebimento simbólico da obra de melhoria na Feira Permanente da cidade. O projeto, foi entregue pela gestão passada, com falhas na execução, como a falta do tanque de amortecimento de águas pluviais, a falta de portas dos boxes, de individualização dos hidrômetros e de comunicação visual. Além dessas intervenções e correções necessárias, a feira recebeu um espaço de convivência e urbanização do local, para melhor atender aos feirantes e aos consumidores. A estrutura está pronta.
De acordo com o secretário executivo das cidades, Valmir Lemos, a ocupação pelos permissionários ocorrerá ao fim do processo seletivo, após a realização das análises de natureza jurídica, realizadas pela Secretaria Executiva das Cidades.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas em pé, texto que diz "REGÃR ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO RIACHO FUNDO Il GDF Eter"
Após conhecer as dependências da Administração Regional do Riacho Fundo II e elogiar o comprometimento da equipe de servidores pelos resultados alcançados em 2020, José Humberto, reafirmou o compromisso da obra de duplicação da Via N3, mais conhecida com 100 Dimensão. Além de anunciar obras importantes para a população, como a via de ligação Riacho Fundo I e II, construção de cinco escolas e duas creches, além do início das obras do viaduto Riacho Fundo II, Recanto das Emas. Conforme José Humberto, o início da obra está prevista para fevereiro de 2021. Construção da Praça na QN 34 e reforma dos equipamentos públicos como praças, quadras poliesportivas, campos e parquinhos são outras metas para 2021.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas
Na ocasião, a administradora, Ana Maria, aproveitou a visita para agradecer a atenção dos secretários, José Humberto, Walmir Lemos e ao presidente da Novacap, Fernado Leite. “Extremamente importante as presenças dos secretários aqui nas dependências da Administração Regional, se colocando a disposição para atender os anseios da nossa população. Essa visita nos deixa muito felizes e mostra o compromisso do governo do Distrito Federal para com a nossa região,” comenta, Ana Maria.

 

GALERIA DE FOTOS:
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé, texto que diz "ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO RIACHO FUNDO Il GDF"
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas sentadas, texto que diz "ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO RIACHO FUNDO II GDF sdaacio"
A imagem pode conter: texto que diz "ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO RIACHO FUNDO ADINSRCIA Il I GDF"

A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e natureza, texto que diz "SLV 32-01417"

Começou nesta segunda-feira (18/01) a instalação das novas lixeiras no Riacho Fundo II. Na primeira etapa, serão 96 novas papeleiras, nome técnico das lixeiras, que serão instaladas pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU), em pontos estratégicos e de maior circulação de pessoas na cidade. Aos poucos, as lixeiras farão parte da paisagem do Riacho Fundo II e serão úteis para a manutenção da limpeza em ruas e calçadas, além de facilitar o trabalho dos garis.

As novas papeleiras são feitas de plástico, pintadas na cor cinza, possuem o logotipo do SLU e são fixadas em postes, presas com uma alça metálica, ou em paredes. Cada uma possui 74,5 cm de altura, 42,5 cm de largura e 32 cm de profundidade, com uma abertura de 31 cm x 9,5 cm para o descarte de objetos de pequeno porte, apresentando capacidade volumétrica de cerca de 50 litros.

A Administração Regional do Riacho Fundo II conta com a colaboração dos moradores no sentido de preservarem estes equipamentos e utilizá-los da melhor forma possível, contribuindo para manter limpas as calçadas e vias públicas.

 

GALERIA DE FOTOS: 

Quase mil toneladas de lixo recolhidas no Riacho Fundo II
Para combater o descarte irregular, a Administração Regional do Riacho Fundo II disponibiliza áreas para a deposição regular dos resíduos da construção e demolição de pequenos geradores | Foto: divulgação GDF Presente

De leste a oeste, de norte a sul, o GDF Presente atua constantemente por todos os cantos realizando um trabalho cada vez mais impactante. Um exemplo foi o resultado atingido pelo Polo Sul do programa no Riacho Fundo II no fim da última semana: quase 1.000 toneladas de materiais recolhidos em ações de limpeza e três lixões desativados, em serviços realizados com a parceria da administração regional.

“Creio que tenha sido a maior ação de recolhimento e limpeza que eu já vi. Trabalhamos muito, o Polo e a Administração, e o resultado está aí”, avalia o coordenador do Polo Sul do GDF Presente, Germano Guedes. As ações de limpeza no Riacho Fundo II foram impulsionadas por 77 viagens de caminhão, que ao todo recolheram 925 toneladas de lixo, entulhos e inservíveis.

Muitos desses materiais foram retirados de três lixões, um na QN 8D e os outros no Caub II, que foram devidamente desativados. Para impedir a passagem de carros e caminhões que despejam o lixo irregularmente nessas áreas, as equipes recolocaram meios-fios e barreiras de pneus para impedir a passagem dos veículos, além de instalarem placas informando que é proibido o descarte naquela região.

Para combater o descarte irregular, a Administração Regional do Riacho Fundo II disponibiliza áreas para a deposição regular dos resíduos da construção e demolição de pequenos geradores. Os interessados em descartar até um metro cúbico de entulhos, inservíveis e resíduos recicláveis deve fazê-lo na Divisão de Obras, localizada na QN 27. O local funciona de segunda a sábado, das 8h às 18h (mais informações pelo telefone 99158-0499).

 

GALERIA DE FOTOS:

A Administração Regional em parceria com o Polo Sul do GDF Presente, continua adotando medidas para a prevenção e o combate ao mosquito Aedes Aegypti, que transmite dengue, zika e Chikungunya.
A imagem pode conter: céu, atividades ao ar livre e natureza, texto que diz "PROIBIDO JOGAR LIXO OU ENTULHO" 
Nesta quarta-feira (13/01), as equipes realizaram um importante trabalho: a desativação de duas área de descarte de lixão irregular, na QS 16 e Caub II . As áreas passaram por limpeza na última segunda-feira (11/01), mas a população insistiu em descartar resíduos nos locais. Com isso, o GDF Presente e a Administração Regional mudaram a abordagem.

A imagem pode conter: árvore, atividades ao ar livre e natureza
Os locais, onde antes eram descartados toneladas de entulhos e inservíveis diariamente, agora estão limpos e receberam   barreiras de pneus para impedir o acesso de carroceiros e carros particulares que realizavam o descarte irregular de materiais.
O coordenador do Polo Sul, Germano Guedes Leal, que comandou as ações, explica que a decisão de isolar as áreas usadas para o descarte irregular de lixo, é uma iniciativa da Administração Regional com apoio do polo. “É uma ação que tem dado certo e repercute muito bem entre a população”, avalia. 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, céu, atividades ao ar livre, close-up e natureza
Segundo José Waldir Ribeiro da Silva, morador do Caub II, o local era usado pela própria população para depósito de lixo e entulho. "Agora sim, com esse trabalho vai resolver o problema, pelo menos amenizar a proliferação de animais peçonhentos, e também eliminar focos do mosquito transmissor da dengue" comenta.


Área para Descarte:
Para combater o descarte irregular, a Administração Regional do Riacho Fundo II, disponibiliza áreas para a deposição regular dos resíduos da construção e demolição de pequenos geradores. O ponto e local de descarte de pequenos volumes de entulho (até 1 m³), grandes objetos (móveis, poda de árvores etc.) e resíduos recicláveis, fica localizado na QN 27, na divisão de obras, funciona de segunda a sábado, das 8h às 18h. Mais informações também podem ser obtidas pelo telefone, 61 9158.0499.

Documento faz parte da promoção de direitos das pessoas idosas e deveres da sociedade com essa população

Fonte: Defensoria Pública do Distrito Federal
 

Sabe-se que a longevidade é uma garantia constitucional que deve ser respeitada e protegida, motivo pelo qual a Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) produziu a "Cartilha da Pessoa Idosa", que apresenta e esclarece de maneira didática os direitos dos idosos e os deveres do restante da sociedade para com eles.

A Cartilha compreende, entre outros assuntos, as medidas de proteção, as políticas de atendimento, os crimes previstos no Estatuto do Idoso e os cuidados com golpes.

Além disso, evidencia a atuação da rede de atendimento e o papel da Defensoria Pública como mediadora e defensora dos interesses da pessoa idosa e difunde meios para que ela possa recorrer em caso de violação de direitos, destacando dados e informações atualizadas e sensivelmente úteis.

O objetivo é promover os direitos desse grupo que tanto necessita dos cuidados da sociedade.

Para ter acesso ao documento, clique aqui.


A Administração Regional do Riacho Fundo II, em parceria com o Instituto Brasília Ambiental (IBRAM), realizaram a revitalização de mais um ponto viciado de descarte irregular de lixo e entulho. Para isso, foram implantados piquetes de eucaliptos e plantadas 10 mudas de árvores frutíferas, das espécies Cajuzinho do serrado, Xixá e Pitomba e 19 espécies nativas da região, Pacari, ipês e Braúna. A área fica localizada as margens da via Sucupira, próximo ao Instituto Saúde Mental (ISM), no Riacho Fundo II. O plantio visa recompor a mata ciliar da região e auxiliar na preservação da Área de Proteção Ambiental.


Segundo Arnaldo Nascimento, morador do Riacho Fundo, diariamente veículos eram vistos na beira da estrada para descarregamento de lixo e resto de construção. "Agora sim, com esse trabalho vai resolver o problema, pelo menos amenizar" comenta, Arnaldo.


De acordo com a administradora Ana Maria, outros cinco espaços dessa natureza, degradados com despejo clandestino de restos de construção e lixos também foram recuperadas a partir de parcerias com outros órgãos do Governo do Distrito Federal. A experiência já eliminou pontos críticos de descarte ilegal de resíduos na QS 06, QC 06, QN 32, QN 21 e Sucupira.
A Administração Regional Realiza diariamente operação de limpeza no Riacho Fundo II que resulta na retirada de aproximadamente 30 toneladas de entulho todos os dias das áreas públicas da cidade, dos mais diversos, incluindo sofás e móveis velhos, resto de materiais de construção, uma tristeza. "A cidade pertence a todos nós, por isso precisamos fazer a nossa parte e descartar lixos e detritos em locais apropriados", comenta a administradora, Ana Maria.

Área para Descarte
Para combater o descarte irregular, a Administração Regional do Riacho Fundo II, disponibiliza áreas para a deposição regular dos resíduos da construção e demolição de pequenos geradores. O ponto e local de descarte de pequenos volumes de entulho (até 1 m³), grandes objetos (móveis, poda de árvores etc.) e resíduos recicláveis, fica localizado na QN 27, na divisão de obras, funciona de segunda a sábado, das 8h às 18h. Mais informações também podem ser obtidas pelo telefone, 61 9158.0499.

GALERIA DE FOTOS:

Corrida de Reis – Edição Riacho Fundo II que seria realizada no próximo dia 28 de novembro de 2020, será adiada devido ao aumento de casos do novo coronavírus (covid-19.

Nova data para o evento tradicional está sendo avaliada, com objetivo de garantir maior segurança dos inscritos, colaboradores e público em geral.

A decisão pelo adiamento leva em consideração a instabilidade do cenário atual e o decreto Nº 40.939, DE 02 DE JULHO DE 2020, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da Emergência de Saúde Pública de importância internacional decorrente do novo Coronavírus.

De acordo com a organização, a medida foi tomada em entendimento com a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal.

A Administração Regional do Riacho Fundo II avalia nova data para a Corrida de Reis e comunica que, todas os inscritos terão suas vagas e kits garantidos.

Em breve divulgaremos nova data em nossas páginas oficiais.

Corrida de Reis – Etapa Riacho Fundo ll. A edição 2020 está prevista para atender 200 pessoas, sendo 100 vagas para o percurso de 2km e outras 100 para o de 3km.

A largada será em frente a Administração Regional. No menor percurso de 2km, os participantes vão  até o balão da Casa Azul e retornam.

Nos 3km, seguem da Administração Regional até o final da avenida contorno, passando pela Casa Azul. Os dois trajetos começam a partir das 07h.

As inscrições com limite de 200 participantes, serão feitas de forma direta e online, pelo site: www.riachofundoii.df.com.br

O período para inscrição será até quinta-feira (26/11) ou até completar o limite. Link para inscrição: Corrida de Reis. No evento, serão organizados grupos de pessoas para a largada, o primeiro pelotão de corrida e após alguns minutos, o pelotão de caminhada, no intuito de não haver aglomeração.

O evento contará com o apoio da Secretaria de Esporte e Lazer, PMDF, DETRAN, DER e CAESB.

Corrida de Reis Etapa Riacho Fundo ll, em Homenagem ao Novembro Azul, é um evento promocional e participativo, sem fins lucrativos, que tem como objetivo proporcionar ao público uma atividade esportiva diferenciada, além de ter um toque de solidariedade, onde os participantes poderão doar brinquedos.

Todas as medidas de segurança necessárias por conta da pandemia de Covid-19 serão aplicadas no dia do evento conforme Decreto 41.214, de 21 de setembro 2020.

Link para inscrição: Corrida de Reis

 

 

 

Moradores esperaram por mais de duas décadas pela legalização dos lotes, que só foi possível porque o GDF articulou a doação de terrenos junto à União

ANA LUIZA VINHOTE, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: FÁBIO GÓIS
A partir do decreto, GDF vai poder investir em urbanização e infraestrutura em Riacho Fundo II | Foto: Agência Brasília

O governador Ibaneis Rocha assinou nesta quinta-feira (12) decreto que permite a regularização de mais de 5 mil moradias da QC1 à QC6, no Riacho Fundo II. A medida foi anunciada durante o evento do início das obras do primeiro residencial na cidade (confira no vídeo abaixo), que vai oferecer mais de 3 mil apartamentos no âmbito do programa Morar Bem, da Companha de Desenvolvimento Habitacional (Codhab-DF).

3 mil apartamentosserão

oferecidos no âmbito do programa Morar Bem

Segundo o chefe do Executivo local, a assinatura do decreto foi graças à parceria com o governo federal, que cedeu o terreno para o GDF. “Foi um trabalho em conjunto com a União. Agradeço ao presidente Jair Bolsonaro pela oportunidade de regularizar esses imóveis de milhares de famílias, que estavam na espera há mais de 21 anos”, destacou Ibaneis Rocha.

“Junto com os administradores e a CLDF estamos conseguindo colocar em prática um plano de habitação verdadeiro”

“Não imagino como deve ser a dor de cabeça de morar em um terreno, construir sua casa, ter seu patrimônio e não saber se aquilo é seu de verdade ou quando será. Junto com os administradores [regionais] e a Câmara Legislativa [do DF] estamos conseguindo colocar em prática um plano de habitação verdadeiro”, acrescentou o governador.

“Como disse o governador, é um absurdo que as pessoas não tenham tranquilidade dentro de suas próprias casas. Foi um processo demorado e difícil. Agora, esse problema está resolvido”Wellington Luiz, presidente da Codhab-DF

O presidente da Codhab-DF, Wellington Luiz, explicou que o governo local “pagou uma dívida”, ou seja, cumpriu um compromisso com aquela comunidade. “Como disse o governador, é um absurdo que as pessoas não tenham tranquilidade dentro de suas próprias casas. Foi um processo demorado e difícil. Agora, esse problema está resolvido”, reforçou.

Na avaliação do secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira, a regularização na cidade é mais um projeto fruto de um trabalho integrado de todo o governo.

“Assim como a preocupação dos órgãos do GDF de avançar com mais celeridade na regularização fundiária de lotes urbanos, especialmente daquelas áreas que desde 2009 já vêm aguardando essa possibilidade”, afirmou.

Residencial Maria Clara terá 44 apartamentos e beneficiará cerca de 3.033 pessoas | Foto: Paulo H. Carvalho / Agência Brasília

Nesta quinta-feira (12), foi publicado no Diário Oficial do DF o edital de licitação para os projetos básicos e executivos de pavimentação e drenagem e respectivos orçamentos para a execução de obras do sistema viário na região.

“Vamos transformar o Riacho Fundo II em uma cidade de verdade, licitando terrenos para que os comerciantes se instalem aqui. É cuidando do nosso povo que vamos cumprir a nossa missão no governo”, finalizou Ibaneis Rocha.

Mais moradias

Ainda nesta quinta-feira (12), pela manhã, o governador Ibaneis Rocha deu o pontapé inicial para o início da construção do Residencial Maria Clara, também na região. Em parceria com o Minha Casa Minha Vida, do governo federal, o prédio terá 44 apartamentos e beneficiará cerca de 3.033 pessoas. O investimento será de aproximadamente R$ 4,5 milhões, segundo a construtora Monteiro e Martinho, responsável pela obra.

Neste primeiro momento, o Residencial Maria Clara vai gerar 70 oportunidades de trabalho. Os interessados nos imóveis devem estar cadastrados nas cooperativas filiadas à companhia. O chefe do Executivo local também anunciou a construção de sete escolas e mencionou as obras das duas unidades de básicas de saúde (UBS) na região.

A publicação no DODF desta terça-feira (10) beneficia uma população estimada em 8 mil habitantes

AGÊNCIA BRASÍLIA * I EDIÇÃO: CAROLINA JARDON

O Projeto Urbanístico de regularização fundiária das Quadras QC 01, 02, 03, 04,  05 e 06, situadas no Riacho Fundo II , publicado no Decreto Nº 41.436, do DODF desta terça-feira(10), é a última etapa da regularização fundiária. A partir de agora, os proprietários dos lotes já podem dar entrada como pedido de registro no cartório.

A segunda etapa do Riacho Fundo II  é uma Área de Interesse Social (Aris) onde vive uma população estimada em 8 mil habitantes. O projeto urbanístico apresentado pela Codhab, e aprovado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), cria 1.766 lotes, destinados para residências, comércio, serviços e equipamentos públicos.

* Com informações da Seduh

Tapa-buracos, limpeza de boca de lobos e retirada de entulho foram os serviços mais solicitados

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: MÔNICA PEDROSO

A Administração do Riacho Fundo II chegou à marca de 1.000 ordens de serviço executadas a partir de demandas da população. A contagem, realizada do início do ano até o dia 5 de novembro, demonstra um bom retorno no atendimento às solicitações feitas via Ouvidoria do GDF, pelo telefone 162 e também pelas redes sociais.

Entre as ações mais solicitadas pelos moradores da região administrativa e atendidas pela administração, está o tapa-buracos com o uso de cerca de 258 toneladas de massa asfáltica para reparos nas avenidas. Além deste serviço, foram retiradas 2.894 toneladas de entulhos e inservíveis de toda a cidade. E quase 800 bocas de lobo limpas e revitalizadas. Um trabalho diário com o apoio das equipes do Programa GDF Presente.

Números comemorados pela administradora regional, Ana Maria. “Estar próximo da comunidade, ouvir suas demandas, trabalhar em conjunto e trazer a solução para os problemas da cidade é fundamental para que tenhamos um Riacho melhor para todos”, pontua.

Segundo Ana Maria, o objetivo é priorizar sempre uma gestão compartilhada em um canal direto com o público local. “Busco entender os anseios de cada morador, com o intuito de trazer cada vez mais melhorias na rua e no bairro onde ele mora”, acrescenta.

A Administração promoveu um pequeno evento para comemorar os resultados alcançados, em sua sede, na sexta-feira (6). O encontro, com a participação de servidores e reeducandos da Funap (Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso), órgão ligado à Secretaria de Justiça e Cidadania, teve um tom de agradecimento e ainda um momento para discutir as próximas metas.

A administradora Ana Maria, recebeu a visita do Superintendente de Patrimônio da União no Distrito Federal (SPU/DF), Renan Dias da Mata e sua equipe, para tratar de assuntos referente a via que liga o Riacho Fundo II ao Riacho Fundo I.

Na oportunidade, fizeram uma visita ao local, no intuito de avaliar a real situação e estudar uma solução definitiva junto ao IBRAM e Novacap, para a via.

A previsão é que logo em breve, a população receberá boas notícias!

Equipe da Administração Regional do Riacho Fundo II, esteve realizando o serviço de manutenção simples e paliativa na via Sucupira, por se tratar de uma pista inserida dentro de uma Área de Proteção Ambiental (APA), de responsabilidade do IBRAM. Por isso a pista não pode ser pavimentada.

O serviço teve como objetivo melhorar as condições da estrada para o tráfego de veículos na localidade.

O trabalho foi realizado com o auxílio de uma máquina motoniveladora (Patrol).

A obra de manutenção da estrada, é realizada sempre que necessário pela equipe da divisão de obras da Administração Regional, com apoio da Novacap.


A campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos do Distrito Federal teve início no último sábado (3). A primeira etapa da imunização é destinada SOMENTE para os animais da área rural e ocorrerá até o dia 23 de outubro. Em todas as sete Regiões de Saúde foram montados postos de vacinação. Após essa data, será a vez dos animais da zona urbana.

🐈🐕 Confira os postos de vacinação que estarão abertos durante a campanha no Riacho Fundo II:

ÁREA RURAL:

📍Centro Educacional no Caub I

📍Escola Classe no Caub II

⚠️ IMPORTANTE: Os animais devem ser conduzidos por pessoas com idade e porte adequados para o manejo e segurança. É recomendado levar os felinos dentro de caixas de transporte apropriadas. O condutor do animal deverá usar máscara e será necessário manter o distanciamento na fila.

A Companhia Energética de Brasília – CEB executou a troca de luminárias no Riacho Fundo II, na última quinta-feira (01/10). Nessa primeira etapa, foram substituídas 46 luminárias de vapor de sódio antigas por modelos de LED, sendo, 26 de 80 watts e 20 de 160 watts, com o intuito de aprimorar a visão dos moradores, comerciantes e pedestres que circulam na região.

A troca das luminárias se deu na quadra QN 11, em frente a QN 14 e 15, locais onde ocorre o maior índice de criminalidade com base em estudos e manchas criminais da Secretaria de Segurança Pública de DF.

Essa era uma reivindicação antiga dos moradores, que reclamavam da falta de segurança que a iluminação precária ocasionava.

De acordo com a administradora da cidade, Ana Maria, "A troca das luminárias por LED, já permite que a área fique mais iluminada, permitindo que a população se sinta mais segura. Nossa intenção é substituir todas essas lâmpadas por modelos de LED”, comentou.

Para Maria Adelaide Ferreira, moradora da QN 14 desde de 1986. "Aqui a iluminação era péssima. Agora, com as novas lâmpadas de LED, a iluminação de toda rua ficou ótima, uma maravilha e mais seguro, é claro”, comenta.
 

Com R$ 38 milhões investidos e previsão de gerar 200 empregos, estrutura também atenderá Gama, Riacho Fundo II e Santa Maria

ANA LUIZA VINHOTE, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: CHICO NETO

 

O pedido de construção do viaduto do Recanto das Emas atravessa mais de uma década, segundo moradores da cidade, mas agora a demanda antiga está cada vez mais perto de sair do papel. Com investimento de R$ 38 milhões e expectativa de gerar 200 empregos, entre diretos e indiretos, a nova via vai melhorar o fluxo de 60 mil carros que trafegam pela região diariamente.  Uma vez publicado o edital de licitação, a previsão é que a estrutura de 1 km, com três faixas –  a ser construída na Estrada Parque Contorno (EPCT) – comece a ser erguida ainda este ano.

60 mil
Número médio de veículos que circulam diariamente pela região

Responsável pela obra, o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF), Fauzi Nacfur, ressalta que não só os moradores do Recanto das Emas serão beneficiados, mas também a população de Santa Maria, Gama e Riacho Fundo II. “Será mais uma alternativa de via para os motoristas dessas cidades”, reforça.

O administrador do Recanto das Emas, Carlos Soares, lembra que a estrutura é reivindicação antiga. “É a obra mais esperada pela população local, que o governo está se empenhando para executar”, valoriza. “O engarrafamento não acontece só no horário de pico, mas a qualquer hora do dia. Isso acaba prejudicando o dia a dia das pessoas, que passam a maior parte do tempo paradas no trânsito”.

Expectativa dos moradores

“Esse viaduto é uma vitória para nós. Vai melhorar a vida de todos os moradores e até de pessoas de outras regiões”João Balduíno, caminhoneiro

Mesmo saindo de casa com antecedência, para acessar qualquer outro lugar, João Balduíno, 71 anos, enfrenta engarrafamentos. “São 40 minutos esperando para sair da entrada do Recanto das Emas – até de madrugada tem congestionamento”, reclama. “Esse viaduto é uma vitória para nós. Vai melhorar a vida de todos os moradores e até de pessoas de outras regiões”.

Se de madrugada há retenção de veículos, nos horários de pico a situação no trânsito é muito pior. A dona de casa Maria Aparecida da Silva, 56 anos, também aponta a dificuldade de viaturas do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar atenderem ocorrências. “Como esses veículos vão passar, se há uma fila de carros parada?”, questiona. “As pessoas podem acabar morrendo se forem esperar o engarrafamento passar. São vários os pontos positivos dessa obra, que esperamos há muitos anos”.

Recapeamento

O trecho de 2 km com duas faixas entre a BR-60, a partir do viaduto de Samambaia, até o balão da entrada do Recanto das Emas, foi recapeado pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). Ao custo de R$ 3,9 milhões – provenientes de emenda parlamentar e do Poder Executivo local –, esse trabalho foi realizado no ano passado.

“O trânsito também é intenso nessa região. A pista estava bastante desgastada, com muitos buracos”, relembra o diretor de urbanização da Novacap, Sérgio Lemos. “Estamos trabalhando para recuperar não só os trechos antigos do DF, mas toda a estrutura, cuidando de outros elementos, como meios-fios e bocas de lobo.”

A administradora regional, Ana Maria, preocupada em atender todas as demandas colocadas em pauta em reunião com representantes da regional de ensino e os diretores das escolas públicas do Riacho Fundo II, deu início a uma força-tarefa, denominada "Operação Volta às Aulas" para a limpeza das áreas externas das escolas da região administrativa. A operação segue durante todo o mês de setembro, para que os locais estejam aptos antes da volta às aulas. Para isso, os trabalhadores estão empenhados realizando limpeza, capina, recolhimento de entulhos, tapa buracos, entre outros serviços nos arredores das escolas. Com auxílio de uma pá carregadeira e 2 caminhões, o trabalho foi iniciado dia (31/08). As equipes de limpeza da divisão de obras já passaram:

✅ Centro de Ensino Fundamental- CEF 01 na QN 8
✅ Escola classe 01 na QC 04
✅ Centro de Ensino Infantil – CEI na QN 14
✅ Centro Educacional – CED 01 na Qs 18
✅ Jardim de infância na QN 8c
✅ Centro de Ensino Fundamental – CEF 01 Na QN 7
✅ Escola classe na QN 14.

A força-tarefa prosseguirá em todas as unidades de educação da cidade.

As ações estão ocorrendo em parceria com os diretores das escolas, que apontam onde tem uma desordem nas proximidades das escolas, em seguida a diretoria de obras da Administração Regional, estabelece as prioridades e monta o cronograma de trabalho. Hoje, a limpeza ocorreu no Centro de Ensino Fundamental CEF 02, na QS 18, conforme cronograma de trabalhos estabelecidos .

O diretor do Centro de Ensino Fundamental – CEF 02, Gilson Maroni, ficou super satisfeito com a sua demanda atendida e quis deixar o seu recado.

Na quarta-feira (16/9), a administradora Ana Maria, acompanhada pelo chefe de gabinete, Rafael Mazzaro, o coordenador de licenciamento, obra e manutenção, Oséias de Paulo, participou de uma reunião com o Superintendente de Patrimônio da União no Distrito Federal (SPU/DF), Renan Dias da Mata e a Secretária Executiva de Políticas do Esporte, Giselle Ferreira, representando a Deputada Federal Celina Leão. O encontro teve como objetivo, tratar de assuntos referentes a regularização fundiária das terras da União Federal, onde foram abordados assuntos de grande relevância, bem como a regularização do Caub I e II.


Segundo o superintendente, a união tem recebido a comunidade e suas demandas, assegurou que todas as demandas serão alinhadas em conversas com a Administração Regional. "É de suma importância esse diálogo com as administrações, para que haja um alinhamento entre os outros órgãos do Governo do Distrito Federal", ressaltou.


A administradora elogiou a iniciativa do superintendente da SPU/DF e afirmou que: “este encontro é importante e fundamental para o desenvolvimento da nossa cidade — uma parceria para a busca da regularização da nossa Região administrativa.”frisou.

Agradeceu o apoio e dedicação da Secretária de Esportes, Deputada Celina Leão, por sempre ter sido muito solícita, em atender às demandas e por sua preocupação com os moradores da cidade”, completou a administradora, Ana Maria.

A administradora enfatizou ainda, que desde o início de sua gestão, tem buscado soluções para fortalecer o trabalho em conjunto, visando unir esforço para a regularização fundiária de áreas de ocupação consolidadas em propriedades urbanas e rurais, públicas e particulares na cidade, é uma das prioridades de sua administração. 

A Administração Regional, segue com seu trabalho de limpeza e embelezamento nas praças da cidade. Hoje, dia 15/9, a ação seguiu na praça do trabalhador localizada na QC 01. Além da limpeza com capina, roçada, varrição e recolhimento de entulhos, o espaço está recebendo nova pintura nas mesas, bancos e meios-fios.  

Amanhã, a equipe da divisão de obra passará pela praça localizada na QN 7C.  Já passou por limpeza e pintura, recentemente, a praça da QN 7A.

Pedimos a colaboração de todos no cuidado e preservação dos espaços públicos. "Contamos com o apoio de todos para nos ajudar à fiscalizar e mater nossa cidade mais bonita e mais limpa", frisou a administradora, Ana Maria.

A meta da Administração, é preservar os espaços públicos da cidade, manter as áreas públicas bem limpas, para que sejam um espaço de lazer e conforto aos moradores.

A Administração do Riacho Fundo II, finaliza a semana com uma mega operação e recolhe 251 toneladas de entulhos das ruas, estradas e áreas públicas da Cidade. Com o lema, "Cidade limpa" é cidade linda. A Administração está fazendo a sua parte e está pedindo a população que ajude a preservar a nossa cidade limpa, linda e organizada.

A operação tem o apoio do programa GDF Presente nas ações, com ajuda e suporte de nove caminhões, uma patrola, uma pá carregadeira, uma retroescavadeiras e aproximadamente 20 pessoas empenhadas em fornecer uma resposta rápida às necessidades apresentadas pela população através da Ouvidoria e em conversas com a Administração Regional do Riacho Fundo II.

Entre os serviços oferecidos estão retirada de lixos, entulhos, volumosos inservíveis, limpeza de áreas públicas, poda de árvores, limpeza nas bacias de contenção, entre outros.

Ana Maria destacou a importância do GDF Presente na cidade e agradeceu ao governador Ibaneis Rocha, todos os órgãos e trabalhadores envolvidos e falou: "Com a ajuda de todos, vamos avançar muito nas melhorias que nossa cidade precisa. É o Governo do Distrito Federal fazendo a diferença em nossa cidade" ressalta.

Wilderson Nunes da Silva, morador do Caub I, quis deixar o seu recado e demostrar sua satisfação com a sua demanda atendida pela operação Cidade Limpa. " Hoje tive uma surpresa com vários caminhões e máquinas fazendo retirada de lixos e entulhos jogados nas vias públicas, a Administração tá fazendo um ótimo trabalho, deixando tudo limpo. Agradeço muito pelo trabalho, que evita o foco de dengue, ratos e deixa a cidade limpa" comenta.

"É gratificante receber o feedback positivo da população", completa Ana Maria.

Área de Interesse Social abriga população estimada em 8 mil habitantes

AGÊNCIA BRASÍLIA * | EDIÇÃO: FÁBIO GÓIS

Regularizações aprovadas pelo Conplan encerram demanda populacional de 20 anos | Foto: Agência Brasília

A regularização da segunda etapa do Riacho Fundo II foi aprovada nesta quinta-feira (3) pelo Conselho de Planejamento Territorial Urbano (Conplan), por videoconferência. A localidade, que abrange os conjuntos (QC) 1 a 6, é uma Área de Interesse Social (Arins) onde vive uma população estimada em 8 mil habitantes.

Clique aqui para conhecer os projetos

O projeto, apresentado pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab-DF), cria 1.750 lotes destinados a residências, comércio, serviços e equipamentos públicos. A regularização foi aprovada por unanimidade pelos conselheiros presentes.

A poligonal do projeto faz confrontação com a primeira etapa do Riacho Fundo II, ao norte; com a terceira etapa do Riacho Fundo II, ao sul; e, ao oeste, com a via Estrada Parque do Contorno (EPCT), que divide o Riacho Fundo II com o Recanto das Emas.

Pontas de Quadras em Ceilândia

Os conselheiros também aprovaram o projeto urbanístico denominado Pontas de Quadras, em Ceilândia (QNO 04, Conjunto N). De acordo com o planejamento da Codhab, serão regularizados 14 lotes que vão beneficiar 49 habitantes.

O presidente da Codhab, Wellington Luiz, afirmou que as regularizações aprovadas hoje encerram uma dívida de 20 anos com a comunidade e resgatam a confiança no poder público.

“A regularização é uma determinação do governador Ibaneis Rocha e demonstra sensibilidade e respeito com a população. É um gesto importante que mostra que, mesmo em tempos de pandemia, o governo continua trabalhando forte para atender à comunidade”, destacou o gestor.

Para o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Mateus Oliveira, o número de Arins regularizadas “é reflexo de um trabalho árduo, das áreas técnicas da Seduh, da Codhab, das concessionárias e do Instituto Brasília Ambiental [Ibram], que, juntos, têm atuado com celeridade e eficiência na análise dos projetos”.

 

* Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação

O objetivo dessa adequação é acomodar mais veículos nas proximidades da interseção da DF-001 com a BR-060 e ao acesso à Samambaia


Uma decisão conjunta da Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob) e do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF) resolveu, a partir da próxima segunda-feira (31), disponibilizar um trecho de 250 metros da faixa exclusiva de ônibus para o tráfego de veículos na DF-001, no trecho das proximidades do viaduto de acesso a Samambaia e Recanto das Emas.

A liberação deste trecho será nos dois sentidos da rodovia. No sentido Samambaia / Núcleo Bandeirante a liberação tem início 250 metros após a passarela de pedestres (localizada após a saída do Riacho Fundo II) e vai até após o Posto de Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRv). (Confira no croqui). 

Já no sentido Núcleo Bandeirante / Samambaia a liberação começa em frente ao 3º Distrito Rodoviário do DER, antes do Posto de Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRv) e vai até 250 metros antes da passarela de pedestres e do acesso à Samambaia (Confira no croqui). 

A nova configuração já foi totalmente sinalizada com pintura e instalação de placas informativas, além do posicionamento de Painéis de Mensagens Variáveis (PMV’s), que auxiliarão os motoristas sobre a permissão de utilização do novo trecho.

Essa adequação será permanente para aliviar o fluxo de aproximadamente 90 mil veículos que trafegam pela via diariamente. 

A Codeplan publica mais uma edição do Prêmio Codeplan.

Confira o edital e demais normativos da VI Edição do VI Prêmio Codeplan de Trabalhos Técnico-Científicos, cujas inscrições estarão abertas de 1º de setembro a 15 de outubro de 2020.

VI Prêmio Codeplan de Trabalhos Técnico-Científicos

Histórico

Em 2015, a Codeplan criou o Prêmio Codeplan de Monografias, com o objetivo de estimular as pesquisas socioeconômicas, sobre as políticas sociais e urbano-ambientais, áreas-fins da Instituição, voltadas para o Distrito Federal e a Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE).

Em 2016, em sua segunda edição, passou a denominar-se Prêmio Codeplan de Trabalhos Técnico-Científicos, mas manteve seu escopo original de fomento à pesquisa e às questões relevantes para o desenvolvimento do Distrito Federal.

Em 2017, em sua terceira edição, os vencedores do concurso foram revelados no dia 04 de dezembro e os trabalhos publicados ao longo de 2018.

A edição de 2018 teve seus vencedores revelados em dezembro de 2018 e os trabalhos premiados foram publicados ao longo de 2019, na página da série Texto para Discussão.

A edição de 2019 (V Prêmio) está em fase de publicação de seus trabalhos na série acima mencionada. Já estão publicados os trabalhos classificados em 1º e 2º lugares.

Fonte: Codeplan DF. 

Os credores que aguardam para receber precatórios do Distrito Federal — débitos do governo em face de condenações na Justiça — poderão fazer acordos para recebê-los de forma mais rápida. 

Trata-se do Quarto Chamamento de Interessados para Celebração de Acordo Direto de Pagamento de precatórios, modalidade em que, uma vez obedecidos os requisitos do regime, o credor é excepcionado da lista cronológica e recebe seu pagamento de forma antecipada, mediante deságio de 40%.As regras para participação constam do Edital nº 2/2020, publicado no Diário Oficial do DF de 4 de agosto.  

Podem aderir ao acordo direto os titulares de precatórios expedidos em face do Distrito Federal ou de qualquer uma de suas autarquias ou fundações até o dia 31 de dezembro de 2018. Também é exigido que os precatórios não tenham sido cedidos, total ou parcialmente, nem oferecidos em processo de compensação tributária. A lista cronológica de credores, organizada pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios, inclui também os precatórios emitidos pelo Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região. 

O prazo para aderir à conciliação é de 5 de agosto a 4 de setembro de 2020. Nesse período, a PGDF espera receber propostas de acordo que resultem no pagamento de até R$ 150.000.000,00. Para requerer o pagamento antecipado, basta reunir a documentação exigida e apresentar a proposta de acordo direto de forma eletrônica, mediante requerimento a ser preenchido no sítio www.acordoprecatorio.pg.df.gov.br, bem como o protocolo do respectivo arquivo no Sistema de Peticionamento Eletrônico – SISPE, acessível por meio do mesmo sítio. 

 O edital de chamamento, informações sobre documentação, apresentação da proposta de acordo, atualização de cálculos, pagamento, constam do site da Procuradoria-Geral do DF, no endereço www.pg.df.gov.br . Na página há, ainda, área de perguntas frequentes para consulta dos interessados. 

Quarta Rodada conta com chat de atendimento 

Devido à pandemia de Covid-19, esta quarta etapa não contará com atendimento presencial, mas será disponibilizado aos credores um sistema de interação (chat on line), no próprio sítio eletrônico do Acordo Direto (www.acordoprecatorio.com.br), para auxiliar os interessados que tenham dúvidas sobre os procedimentos de preenchimento e protocolo dos requerimentos. 

Pagamento da Terceira Rodada 

Quanto à terceira rodada de Acordo Direto, conforme dispõe a Portaria Conjunta TJDFT nº 72/2020, o pagamento está autorizado a se iniciar no dia 31/08, desde que a situação da pandemia não se agrave. 

Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF publica edital para a eleições dos Conselhos Regionais do DF

Estão abertas as inscrições para as eleições dos Conselhos Regionais de Cultura do Riacho Fundo II, Recanto das Emas, Gama e Santa Maria. Se inscreva no chamamento público para a escolha dos Conselheiros Regionais de Cultura da sua cidade para o triêncio 2021/2024.

O processo de eleição será online, incluindo as inscrições, habilitações, recursos, cadastro de eleitores, votação e resultados.

 

Cronograma:
Inscrição de candidaturas: 17 julho a 17 de agosto de 2020;
Diligências e habilitação das candidaturas válidas:  17 de agosto a 31 de agosto de 2020;
Divulgação das candidaturas habilitadas: 01 à 04 de setembro de 2020 às 22h00;
Recebimento de recursos: 07 a 11 de setembro de 2020
Divulgação das candidaturas válidas: 14 a 18 de setembro de 2020;
Realização das eleições On Line: 21 de setembro a 02 de outubro de 2020;
Homologação do resultado das eleições: 05 a 12 de outubro de 2020;
Publicação DODF dos Eleitos 13 outubro a 13 de novembro de 2020;
Posse WEB/Presencial 16 de novembro a 08 de janeiro de 2021;

 

Acesse o edital
Acesse os formulários: Formulários Word Formulários PDF
Inscreva-se:https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe7LDTew-I-1cp_G1gTZzE3GEDUaooZQOhRreEYpESxLXzhxg/viewform
Dúvidas entre em contato por e-mail: conselhodecultura@cultura.df.gov.br

CRONOGRAMA:
04/08/2020 – MACRORREGIÃO 05
Conselheiras Elizabeth Fernandes (titular) e Fernanda Morgani (suplente)
Horário: 19h00
Link de acesso: https://meet.google.com/wrr-drnr-qbc

05/08/2020 – MACRORREGIÃO 04
Conselheiras Fernanda Morgani (titular) e Érica Lewis (suplente)
Horário: 19h00 às 21h00
Link de acesso: https://meet.google.com/ihm-kgpa-tnd

07/08/2020 – MACRORREGIÃO 01
Conselheiro Wellington Abreu (titular) e Conselheira Sol Montes (suplente)
Horário: 20h00
Link de acesso: https://meet.google.com/rru-hnmz-fco

10/08/2020 – MACRORREGIÃO 02
Conselheiras Sol Montes (titular) e Rita Andrade (suplente)
Horário: 19h00 às 21h00
Link de acesso: https://meet.google.com/fmh-omuv-qcc

10/08/2020 – MACRORREGIÃO 08
Conselheiras Iara Alves (titular) e Wellington Abreu (suplente)
Horário: 19h00
Link de acesso: http://meet.google.com/myt-crgc-uht

11/08/2020 – MACRORREGIÃO 03
Conselheiras Rita Andrade (titular) e Elizabeth Fernandes (suplente)
Horário: 19h30 às 22h30

Link de acesso: https://meet.google.com/igo-wonf-szb?authuser=0
12/08/2020 – MACRORREGIÃO 04
Conselheiras Fernanda Morgani (titular) e Érica Lewis (suplente)
Horário: 19h00 às 21h00
Link de acesso: https://meet.google.com/ihm-kgpa-tnd

CARTA ABERTA
Brasília, 16 de julho de 2020
Assunto: Eleições 2020 dos Conselhos Regionais de Cultura do DF.
Aos interessados e integrantes do Sistema de Arte e Cultura do Distrito Federal:

O Conselho de Cultura do Distrito Federal vem a público informar que a partir do dia 17/07/2020, será lançado o regulamento da chamada pública para composição dos (as) representantes da sociedade civil nos Conselhos Regionais de Cultura do DF – triênio 2021/2024.
Os (as) candidatos (as) interessados (as) poderão se inscrever de 17 de julho a 17 de agosto de 2020. Reiteramos que todo o processo de eleição será online, incluindo as inscrições, habilitações, recursos, cadastro de eleitores, votação e resultados.
O Conselho de Cultura do Distrito Federal, por meio das parcerias e negociações realizadas junto à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF, não tem medido esforços para garantir o funcionamento e existência política e social de uma das instâncias de participação mais importantes da sistemática do SAC/DF, os Conselhos Regionais de Cultura.
Entende-se que este tem sido um período difícil para o segmento cultural e para a continuidade de políticas públicas, em decorrência da necessidade de distanciamento e isolamento social impostos pela pandemia do coronavírus, e por isso, as escutas, diálogos e encontros passaram a ser virtuais, aumentaram de intensidade e frequência.
Chegou a hora de definir quem fala, delibera, defende e luta pela identidade cultural da sua região no Sistema de Arte e Cultura do DF em um formato inédito e de construção coletiva.

Todas as Regiões Administrativas do Distrito Federal precisam ser envolvidas neste processo, e para tal, todos seremos multiplicadores de informação e sensibilizadores daqueles (as) que tem perfil e interesse em se candidatar a função de Conselheiro (a) Regional de Cultura.
É um momento para unirmos forças para que este processo chegue ao máximo de pessoas e comunidades, vamos juntos multiplicar o conhecimento de como eleger um (a) Conselheiro (a) Regional de Cultura, o que ele faz, quais são os benefícios e impactos em uma comunidade.
Contando com a compreensão de todos(as), os membros do Conselho de Cultura do DF reiteram o comprometimento com a realização das eleições 2020 de todos os Conselhos Regionais de Cultura com mandatos já vencidos.
Este é um processo que está sendo desenvolvido para atendimento às premissas de participação social no DF, princípios jurídicos e administrativos exigidos pela Lei Complementar nº 934/2017 e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF.

Wellington Abreu
Presidente do Conselho de Cultura do DF
Sobre o Conselho de Cultura
Segundo a Lei Orgânica da Cultura – Lei nº 934, de 07 de dezembro de 2017, Artigo 10, o Conselho de Cultura do Distrito Federal – CCDF, é um órgão colegiado deliberativo, consultivo, normativo e fiscalizador, com composição paritária entre o Poder Público e a Sociedade Civil, constitui o principal espaço de articulação e participação social de caráter permanente na estrutura do SAC-DF. A Secretaria de Cultura presta apoio técnico e administrativo ao CCDF.

Mais informações estarão disponíveis no site da Secretaria de Cultura
http://www.cultura.df.gov.br/.

No Riacho Fundo II, o Polo Sul do GDF Presente finalizou nesta sexta (31) um importante trabalho: a desativação de um lixão irregular na QC 06. A área passava por limpezas constantes, mas a população insistia em descartar resíduos no local. Com isso, o GDF Presente e a Administração Regional mudaram a abordagem.

 O local, onde antes eram recolhidos 25 toneladas de entulhos e inservíveis diariamente, agora está limpo e recebeu uma barreira de pneus para impedir o acesso de carroceiros e carros particulares que realizavam o descarte irregular de materiais.

 Morador da região há 18 anos, José Bernardino de Araújo solicitou o serviço e agora está esperançoso por uma situação melhor:“Pela experiência do que foi feito no CAUB, onde não há descarte irregular de lixo há dois meses, a gente espera que agora aconteça o mesmo aqui”, relata.


Preocupada com possibilidade de epidemia de dengue na região, a administradora regional, Ana Maria, pede por conscientização dos carroceiros e da própria população que insistem em descartar resíduos em locais inapropriados do Riacho Fundo II, "assim mantemos a cidade limpa e organizada e livre do foco de dengue" comenta.

"A cidade pertence a todos nós, por isso precisamos fazer a nossa parte e descartar lixos e detritos em locais apropriados", completa, Ana Maria.


Um grande aparato de segurança foi empregado nesta última quarta-feira (29/07), no Riacho Fundo II. O reforço no policiamento faz parte da Operação Prioridade 2. O objetivo é proporcionar maior sensação de segurança à população e reduzir ainda mais os índices criminais na região administrativa.

Nesta edição da Operação foram empregados policiais militares de diversas unidades da PMDF, como Rotam, Batalhão de Policiamento de Choque, Batalhão de Trânsito, Regimento de Policiamento Montado,Moto Patrulhamento Tático, entre outras.


Coordenada pelo 2°Comando de Policiamento Regional Sul, a operação teve início às 16h com concentração no estacionamento da QN 9A, Conjunto 01 do Riacho Fundo II e contou com a presença do comandante do 28° BPM, Major, Elisson Gonçalves, do comandante do Comando de Policiamento Regional Sul (CPRS), coronel Alencar e da administradora regional do Riacho Fundo II, Ana Maria.

.

Estatísticas:

Conforme se extrai dos relatórios produzidos pela Subsecretaria de Gestão da Informação/SSPDF, referentes aos meses de janeiro a junho de 2019 e 2020, ocorreu redução nos crimes de homicídio em 20% (de 05 para 04), redução de 28,5% em tentativa de homicídios (de 07 par 05), redução de 34% em roubo a transeunte (de 305 para 201), redução de 20% de roubo de veículo (de 25 para 20) redução de 64,2% de roubo em comércio (de 14 para 05) e redução de 33% de furto em veículos (de 30 para 20). Nota-se ainda que no mesmo período houve aumento da produtividade da Unidade do 28º BPM, em relação à quantidade de atendimentos, quantidade de flagrantes realizados, quantidade de PAAI, quantidade de Termos Circunstanciados PMDF, quantidade de armas de fogo apreendidas e quantidade de maiores de idade autuados em flagrante. Além disso a Unidade recebe reforço de policiamento das Unidades do II CPRS, Complexo Administrativo e Especializadas.

Para o comandante do 28° BPM, major Elisson Gonçalves, além da redução dos indicadores de criminalidade, houve aumento das ações da Polícia Militar. "Para que haja maior redução dos casos de crime, principalmente em relação aos crimes contra o patrimônio, é de suma importância a adoção de comportamento preventivo por parte da população. Evitar fazer caminhada ou qualquer outro deslocamento ostentando aparelho celular, evitar ficar desatento no interior do veículo, evitar deixar objetos que chamem a atenção no interior de veículos, evitar lavar carros na rua com o portão aberto e ainda observar a circulação de pessoas antes de entrar ou sair de casa. Acionar a Polícia Militar em caso de verificar pessoas estranhas rondando as residências, disse o comandante do 28° BPM, Major Elisson.

"Com essas ações reduziremos mais ainda os crimes", completou.

A "Caravana de São João – O melhor forró itinerante do DF", passou nesta última segunda-feira (27/07) pelo Riacho Fundo II. O trajeto do caminhão palco teve início às 16h, o cantor Paulo Portela, Carlos Silva, Trio Forrojada, Trio os Originais do Forró, tocaram nas quadras QN 07,10,12 e 14. O trajeto do veículo ainda incluiu o Parque Riacho.

O projeto é uma parceria entre a Associação dos Defensores das Culturas Regionais (ADCR) com a Secretaria de Estado e Economia Criativa do DF. O caminhão levará música, diversão e cultura a 23 regiões administrativas até o dia 22 de agosto, entre elas Riacho Fundo, Recanto das Emas, Gama, Santa Maria, Ceilândia, Taguantinga, Samambaia, Brazlândia e Sobradinho.

Após implementação e ajustes por conta da pandemia, o Centro de Ensino Fundamental 01 (CEF 01), do Riacho Fundo II, passa a funcionar com o modelo compartilhado de ensino. A escolha pelo novo formato foi feita comunidade escolar em outubro do ano passado.

 

Doze militares – sendo seis bombeiros e seis policiais – farão parte da equipe disciplinar pedagógica. Desde junho, eles estavam dando o suporte necessário para o corpo docente e administrativo da escola na retomada das aulas pelo sistema on-line. “Assim como nos outros nove colégios com o modelo, os militares estavam dando suporte, tanto no ambiente virtual como na entrega de materiais para aqueles alunos que não tem acesso à internet. Além disso, mesmo sem aulas, neste período eles têm contribuído com a segurança das instalações dessas escolas”, contou o subsecretário de Escolas de Gestão Compartilhada, coronel Alexandre Ferro.

 

 

Para o secretário de Segurança Pública, o delegado Anderson Torres, ter mais uma escola funcionando no modelo compartilhado de ensino é ter a certeza que a realidade de mais estudantes será transformada por meio da Segurança Pública. “Essa é mais uma etapa importante no processo de mudança das escolas em situação de vulnerabilidade. A estratégia da gestão compartilhada tem sido efetiva no apoio ao sistema de ensino local e se adaptou em meio à pandemia, dando o suporte necessário”.

 

A confiança da comunidade escolar no modelo será importante para que alunos e professores tenham tranquilidade pedagógica e de aprendizado em sala de aula, como afirma a diretora da escola, Edilma Moreira. “É uma honra para todos nós a consolidação da gestão compartilhada de ensino em nossa escola. Agradecemos o empenho da Segurança Pública em mobilizar os militares, mesmo diante da pandemia. Tem sido essencial o compartilhamento de experiências aqui na escola, que se destacava pelo alto índice de violência e baixo rendimento escolar. Essa realidade será diferente”.

 

A medida é comemorada por pais dos alunos, que estiveram na escola para buscar o material de suporte para aulas online. Para Evelyn Lopes, mãe de uma das alunas da escola, a expectativa é que a disciplina contribua com a formação da filha, que tem 8 anos. “Vejo esta iniciativa de forma muito positiva e espero que juntos – escola, militares e família – possamos contribuir com a disciplina e que ela possa levar esses ensinamentos para toda a vida”.

 

Coronel Ferro, a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, secretário Anderson Torres e a diretora da escola Edilma Moreira

 

 

A opinião é compartilhada pela aluna E.S., de 13 anos. “Estou ansiosa para o retorno das aulas, pois quero muito saber como o novo modelo vai funcionar. Acredito que vai contribuir não apenas com a disciplina, mas também com o aprendizado. Além disso, toda a comunidade se sentirá mais segura com a presença dos policiais”.

 

O coordenador pedagógico, o policial militar Fabrício Teixeira, desde que chegaram à escola, identificaram a necessidade do suporte da Segurança Pública. “Desde q chegamos identificamos que a região necessitada desse suporte. A iniciativa da escola passar a ter esse modelo de gestão é louvável. Queremos contribuir com a transformação desses alunos”.

 

Colégios Cívico Militares

Em outubro do ano passado, foi publicada uma portaria que regulamenta o modelo compartilhado de ensino. Feita por um grupo de trabalho com representantes das secretarias de Segurança Pública (SSP/DF) e de Educação (SEE), a portaria deu uniformidade às escolas do projeto. Com a mudanças, as Escolas de Gestão Compartilhada passaram a ser denominadas de Colégio Cívico-Militar do Distrito Federal – CCMDF. São elas:

 

Centro Educacional 03 de Sobradinho;
Centro Educacional 308 do Recanto das Emas;
Centro Educacional 01 da Estrutural;
Centro Educacional 07 da Ceilândia;
Centro Educacional Condomínio Estância III de Planaltina;
Centro Educacional 01 do Itapoã;
Centro de Ensino Fundamental 19 de Taguatinga;
Centro de Ensino Fundamental 01 do Núcleo Bandeirante;
Centro de Ensino Fundamental 407 de Samambaia.

 

Edição: Lanna Morais

Foto: Felipe Oliveira

Com ajuda da população, mais de 270 solicitações foram atendidas somente neste ano 

ROSI ARAÚJO | EDIÇÃO: FREDDY CHARLSON

Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília
Mais de 150 endereços foram mapeados e 40 toneladas de massa asfáltica foram utilizadas nas operações desde o dia 15 de junho. Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

O compromisso de zerar as solicitações de tapa-buraco por meio da Ouvidoria, solicitações da população e vistorias no Riacho Fundo II será concluído até esta sexta-feira (2). Mais de 150 endereços foram mapeados e 40 toneladas de massa asfáltica foram utilizadas nas operações desde o dia 15 de junho. Nesta quarta-feira (1º), os serviços de manutenção ocorrem para bater a meta nas Quadras 4 e 6. As ações melhoram a qualidade de vida dos moradores, além de darem mais fluidez ao trânsito. 

De acordo com a Administração Regional do Riacho Fundo II, o serviço executado foi duas vezes superior ao estimado. A Ouvidoria informou que havia 273 pedidos relacionados a tapa-buracos e manutenção de vias públicas até junho.

A administradora Ana Maria da Silva fez visitas pela cidade para compreender melhor as necessidades. Numa delas os moradores da quadra QC 6 Conjuntos 9 e 10, solicitaram a manutenção da via. “Os buracos da rua faziam aniversário. Até sinalizei um deles, mas o sofrimento acabou”, comemorou o aposentado Expedito Ferreira de Lima, 71 anos.

Além das vias, o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) sinalizou, entre janeiro e junho, cinco faixas de pedestre e 48 lombadas. E instalou 16 placas verticais. A partir da próxima semana, o Detran realizará mais serviços de sinalização. Ana Maria da Silva reconhece que ainda há trabalhos a serem concluídos. 

Metas 

A administração regional já foi premiada pelo desempenho da ouvidoria. Cinco servidores são responsáveis pelo mapeamento dos buracos e execução dos serviços. A participação da população é considerada fundamental. “Precisamos que as pessoas registrem as demandas na Ouvidoria do GDF. Para nossa administração não é um problema, temos o percentual de 98% de resolutividade”, declarou a administradora.

Responsabilidade

A diretora de Obras da Administração Regional, Ana Carolina Toledo, explica que a preparação para tapar os buracos é estratégica, porque a massa asfáltica utilizada é quente e depende de alguns fatores para ser manuseada. Quando ela esfria, por exemplo, não pode ser reutilizada. “Não podemos pedir um quantitativo sem antes ter a noção de quantos pontos vamos tapar. Não podemos desperdiçar a massa, ou o dia de trabalho” afirmou. 

Serviço:

Para registrar pedidos de tapa-buracos, coleta de entulhos ou outra demanda, o morador pode ir na Administração Regional do Riacho Fundo II, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, ou ligar para o número 162. Outra opção é acessar o site da Ouvidoria do GDF.

 

A ação desta sexta-feira (26) contou com a participação da Vigilância Sanitária, Polícia Militar, servidores da Administração Regional e da Secretaria Executiva das Cidades. A força-tarefa percorreu a principal avenida da cidade, ponto central dos comércios, com o objetivo de saber se os donos dos estabelecimentos e a comunidade estavam seguindo à risca, o decreto de segurança do GDF no combate à Covid-19.

Teve gente que foi flagrado circulando sem máscara e levou um puxão de orelha dos fiscais. “A obrigatoriedade da máscara é importante porque protege não apenas você, mas quem está do seu lado”, alertou o agente para um pedestre. O jovem, que circulava sem o uso de equipamento de proteção, chegou a pedir desculpas à equipe.

A operação percorreu farmácias, pet shops, barbearias, mercados e outros tipos de comércio. Em cada um desses locais, máscaras eram distribuídas e orientações eram repassadas pelos servidores da fiscalização do GDF.

Para o farmacêutico José Geraldo Viera Martins, 63 anos, a iniciativa do governo é mais do que válida porque fortalece, diariamente, uma corrente de conscientização importante. “Inclusive, nos ajuda a lidar com a clientela. Algumas pessoas insistem em entrar em nossos estabelecimentos sem máscara, o que pode ser um problema”, lamenta. “Já deixei de vender porque o cliente não estava usando máscara”, garantiu José Geraldo.

De um modo geral, a população do Riacho Fundo II tem aderido às determinações do governador Ibaneis Rocha, bastante criterioso nesse tipo de situação e com direito à cobrança por uma atuação enérgica e intensiva dos órgãos de fiscalização e apoio. De acordo com a administradora regional, Ana Maria da Silva, a população local tem atendido ao apelo do governo.

“É de suma importância o trabalho educativo e a abordagem que fazemos diariamente junto à comunidade. A população foi absorvendo a necessidade do uso de máscara e do isolamento”, avalia. “As pessoas têm que aprender a cuidar melhor de suas vidas e da vida dos outros”, concordou a aposentada Socorro Dias da Silva, 63 anos.
 

Ibaneis Rocha sentiu clima e necessidades das regiões administrativas do Riacho Fundo, Riacho Fundo II, Recanto das Emas e Santa Maria.

Além da vistoria em obras, ideia da visita é levantar problemas e necessidades das regiões administrativas | Foto: Renato Alves / Agência Brasília
 

O governador Ibaneis Rocha voltou às ruas do Distrito Federal nesta quarta-feira (24) para visitar cidades e ficar ainda mais perto da população. Depois de visitar São Sebastião e Paranoá na terça (23), desta vez ele passou por Riacho Fundo, Riacho Fundo II, Recanto das Emas e Santa Maria a fim de fiscalizar obras e levantar problemas e necessidades desses locais.

“Em tempos de Covid-19 trabalhamos juntos para a comunidade crescer unida”Ibaneis Rocha, governador do DF

O passeio teve início no Riacho Fundo. Na região administrativa, o chefe do Executivo percorreu quadras da cidade e se dirigiu ao Centro de Saúde nº 3. Lá, conversou com profissionais de saúde e ouviu sobre demandas. Ele prometeu estender o contrato dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de vigilância ambiental após um pedido de duas funcionárias. Na cidade, também sinalizou a ampliação da Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade, que é de pequeno porte.

“Estamos aqui olhando os equipamentos públicos e verificando as necessidades juntos dos secretários para trabalharmos juntos”, destacou o chefe do Executivo, acompanhado dos titulares da Saúde, Francisco Araújo; da Economia, André Clemente; e de Esporte e Lazer, Celina Leão.


No Riacho Fundo II, equipe do GDF visitou posto de Saúde da Família abandonado | Foto: Renato Alves / Agência Brasília

No Riacho Fundo II, um olhar aguçado para a saúde. Ibaneis visitou as obras da Unidade Básica de Saúde (UBS) e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), ambas com previsão de entrega em 2021.

Ele também ouviu dos moradores a necessidade de uma agência bancária na cidade. O pedido foi prontamente aceito e uma agência do Banco de Brasília (BRB) será viabilizada na região administrativa. Enquanto conversava com moradores, o chefe do Executivo distribuiu máscaras. “Em tempos de Covid-19 trabalhamos juntos para a comunidade crescer unida”, disse o governador.

Ainda no Riacho Fundo II, Ibaneis verificou as condições do posto de Saúde da Família, que está abandonado. Localizado na QN 8D, o espaço será demolido e reconstruído do zero.

 

A população do Riacho Fundo II recebeu, nesta quarta-feira (27/05), um mutirão para reforçar o combate à pandemia provocada pelo coronavírus (causador da Covid-19) e doenças causadas por arboviroses, como dengue, zika, febre amarela e febre chikungunya, promovido por mais uma edição do programa SANEAR/DF. Coordenada pela Secretaria Executiva das Cidades e a Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde (Dival) com apoio do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) e Administração Regional do Riacho Fundo II.
A força-tarefa teve como objetivo higienizar espaços públicos de grande circulação, como postos de saúde, restaurante comunitário, administração regional, entre outros. E contou com reforços de carros da Vigilância Ambiental e agentes com máquinas acopladas nas costas para pulverizar o produto, semelhante a água sanitária.

As ações fazem parte do programa Sanear-DF. Proposto pela Secretaria Executiva das Cidades (Secid) e pela Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival) em função do Decreto nº 40.550, de 23 de março, que dispõe sobre as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrentes do novo coronavírus.

 

GALERIA DE FOTOS:

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e texto
A imagem pode conter: 1 pessoa, carro e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé e texto

 


A recuperação das estradas da Área Rural tem sido um trabalho constante na região do Caub I, II e Granja Modelo. O objetivo é oferecer condições de tráfego nos acessos entre as propriedades destas regiões para que os produtores, moradores que utilizam as estradas tenham segurança e conforto durante o tráfego.
Nesta semana os trabalhos estão concentrados nas estradas secundárias do Caub I. As obras consistem em patrolamento, serviço de limpeza, colocação de cascalhos e compactação.

Desde o ano passado, com a ajuda das equipes do GDF Presente, a Administração Regional conseguiu recuperar mais de 25 km de estradas rurais do Caub I e II e Granja Modelo, com serviços que vão de nivelamento dos terrenos à construção de bolsões, canaletas e desvios de água pluvial. A ação tem mudado a realidade dos moradores das localidades.


A moradora rural, Maria Antônia Evangelista, conta que há 35 anos, ela mora com a família na região. “Aqui já teve tempo de passar anos e anos sem manutenção, em época de chuva, a enxurrada invadia o meu lote e matava minhas galinhas. Agora, não. Vieram o ano passado e agora, estão voltando para ajeitar o que a chuva estragou”, completa.


De acordo com a administradora, Ana Maria, a administração regional vem trabalhando incansavelmente na recuperação das estradas rurais do Riacho Fundo II. “Sabemos dos transtornos que o período de chuva traz para essas áreas, agora, marca o início do período mais seco, vamos recuperá-las, deixando elas em boas condições de tráfego, buscando promover assim melhorias das condições de vida dos moradores da área rural”, destaca a administradora.

Estas ações de recuperação serão realizadas em todas as estradas vicinais do Riacho Fundo II, garantiu o Coordenador de licenciamento, obras e manutenção, Oséias de Paulo, que já traçou as rotas e estradas que receberão a manutenção nos próximos dias, atendendo de forma priorizada aos locais mais danificados.






A Administração Regional realizou em parceria com o programa GDF Presente, a revitalização de um ponto viciado de descarte irregular de lixo e entulho na QS 06, do Riacho Fundo II.
O local que era utilizado para o descarte, se tornou um lugar limpo e aspecto agradável.
O descarte irregular é considerado crime ambiental, prevê a aplicação de multas para quem for pego jogando lixo em área pública que pode variar de R$ 114 a R$ 11 mil. Além disso, é considerado crime jogar em terrenos baldios ou becos qualquer tipo de resíduo, seja domiciliar, comercial, industrial, entulho de obra, restos de poda de árvores e plantas, entre outros, conforme Lei Distrital nº 972, de 11 de dezembro de 1995, que dispõe sobre à limpeza pública.

Para combater o descarte irregular, a Administração Regional do Riacho Fundo II, disponibiliza áreas para a deposição regular dos resíduos da construção e demolição de pequenos geradores.
O ponto e local de descarte de pequenos volumes de entulho (até 1 m³), grandes objetos (móveis, poda de árvores etc.) e resíduos recicláveis, fica localizado na QN 27, na divisão de obras, funciona de segunda a sábado, das 8h às 18h. Mais informações também podem ser obtidas pelo telefone, 61 99248.7729.

A Administração Regional Realiza diariamente operação de limpeza no Riacho Fundo II que resulta na retirada de aproximadamente 30 toneladas de entulho todos os dias das áreas públicas da cidade, dos mais diversos, incluindo sofás e móveis velhos, resto de materiais de construção, uma tristeza. “A cidade pertence a todos nós, por isso precisamos fazer a nossa parte e descartar lixos e detritos em locais apropriados”, comenta a administradora, Ana Maria.
Preocupada com possibilidade de epidemia de dengue na região, a administradora regional, pede por conscientização dos carroceiros e da própria população que insistem em descartar resíduos em locais inapropriados do Riacho Fundo II, “assim mantemos a cidade limpa e organizada e livre do foco de dengue” completou.


A restauração da via N3, saída do Riacho Fundo II pela (EPNB / DF-075), está recebendo os serviços de fresagem e recapeamento asfáltico, além de reparos localizados nos 935 metros de sua extensão.
A operação teve início nesta quarta-feira (06/05) e contou com um caminhão, 12 toneladas de massa asfáltica, bobcat e de um rolo compactador. Esta medida visa acabar com os buracos e alcançar a maior condição possível de trafegabilidade na via.
A administradora, Ana Maria, afirma que a área constantemente passa por reparos e que já existe o projeto de duplicação, aguardando apenas aprovação do projeto de sinalização. “É um dos maiores gargalos (da cidade), e que a duplicação da via resolverá definitivamente um dos principais problemas dos moradores do Riacho”, frisou.

Além da força-tarefa, equipes Administração Regional percorrem as ruas da cidade para monitorar áreas que estejam com buracos e necessitando de reparos. Outro critério adotado é atender todas as demandas feitas pela população nos canais da Ouvidoria. Moradores que queiram registrar pontos da cidade que precisam de reparo podem fazer a queixa por meio do telefone 162, pelo site: www.ouv.df.gov.br.

Podas de árvores, recolhimento de entulho e lixo foram alguns dos “presentes” que a cidade ganhou


A Região Administrativa do Riacho Fundo II completou 25 anos e de presente de aniversário ganhou manutenção em várias áreas. O Programa GDF Presente tapou buracos, podou árvores, recuperou estradas rurais e recolheu entulho e lixo. “A grande comemoração que está acontecendo são as melhorias em várias frentes de trabalho para a cidade”, declarou a administradora da RA, Ana Maria da Silva.

Os números da ação impressionam: 114 toneladas de entulhos; 16 toneladas de massa asfáltica e 50 árvores podadas e, também, limpeza da bacia de contenção no Caub I. “Está mais limpa [a cidade], organizada e com poucos buracos. Consigo perceber a diferença nas melhorias, declarou a aposentada Alzira Ramos de Oliveira, de 57 anos.

Outro ponto relevante da ação é que os reparos na parte asfáltica, principalmente na Via N3 – conhecida como Via 100 Dimensão -, estão sendo feitos com material de qualidade, o que reduz a chance de manutenção em breve ou até mesmo retrabalho. “Assim conseguimos prestar um serviço de qualidade e com redução de custos, porque não precisaremos refazer em breve”, afirmou a Diretora de Obras, Ana Carolina Toledo.

Por: Rosi Araújo/Agência Brasília

Convênio entre Codhab e Terracap vai dar base para permitir construções unifamiliares e multifamiliares, além de lotes institucionais e equipamentos públicos

O Governo do Distrito Federal trabalha para construir mais três mil unidades habitacionais no Riacho Fundo II, na terceira etapa do empreendimento. Antes disso, porém, a região precisa receber obras de infraestrutura e urbanização. Um convênio entre Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) e Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) vai viabilizar drenagem, pavimentação, água, esgoto e iluminação.

A ordem de serviço autoriza a execução da obra de implantação do sistema de abastecimento de água potável e esgotamento sanitário nas áreas das QS 01 até QS 31 do Riacho Fundo II – 3ª Etapa e foi assinada na tarde desta quinta-feira (30). Com investimento de mais de R$ 9,5 milhões (exatos R$ 9.525.502,56), um consórcio vai tocar os trabalhos a partir do próximo mês. A obra já havia sido licitada, com resultado publicado em agosto de 2019.

Presidente da Codhab-DF, Wellington Luiz explica que essa estrutura é essencial para dar início às obras de mais de três mil unidades habitacionais multifamiliares e unifamiliares, além de 28 lotes institucionais e 16 equipamentos públicos. “Há muito tempo aguardamos esses recursos que agora chegam pela Terracap, que terá imóveis da nossa carta para investimento como contrapartida”, diz.

À frente da Terracap, Izídio Santos esclarece que, como diz o nome da companhia, a ideia é assumir o papel de agência de desenvolvimento econômico e social de interesse do DF. Nesse caso, com investimento em infraestrutura para receber os imóveis que serão distribuídos a moradores de baixa renda. De acordo com ele, é preciso complementação das redes e equipamentos urbanos de infraestrutura para que as unidades tenham serviços mínimos para habitação.

Sonho

Atualmente, existe infraestrutura parcial até a QS 18, sendo inexistente no resto da região. A previsão é que as intervenções comecem nos locais onde já há moradores. Os demais imóveis serão erguidos apenas após conclusão da infraestrutura e urbanização. São previstas 3.033 unidades habitacionais que atenderão famílias das faixas de renda 1,5 (de R$ 1.800,01 a R$ 2.600,00) e 2 (de R$ 2.600,01 a R$ 4.000,00), conforme determina a Lei Distrital 3.877/06.

Administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria garante que a medida é de grande relevância para a cidade. “O investimento irá beneficiar as famílias que sofrem com a falta de Infraestrutura. É mais uma conquista importante, que chega para beneficiar quem realmente precisa.”

“Estou muito feliz, porque hoje é o início da realização de um sonho. Não só para mim, mas para diversas pessoas. Para que possamos finalmente nos mudar e construir nossas casas com toda a infraestrutura necessária”, declarou Vilma Mesquita, representante da Associação Amigos Solidários (ASHAS), e que foram contemplados na área da QS 13 a 19.

Leia também

Riacho Fundo II, Brasília, DF, Brasil 9/5/2017 Foto: Tony Winston/Agência Brasília. No sábado (6) o Riacho Fundo II completou 22 anos. A região administrativa surgiu em 1995, quando pioneiros acaparam na área buscando moradia.
Governo libera R$ 43 milhões para obras no Riacho Fundo II

Riacho Fundo II ganha recapeamento de rua

Pistas de skate serão liberadas no Riacho Fundo II
A terceira etapa do Riacho Fundo II está prevista no Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) há 11 anos como integrante da estratégia de oferta de áreas habitacionais com objetivo de atender à demanda habitacional a partir de projetos e programas de iniciativa pública voltados a diferentes faixas de renda. Conforme o texto, isso deve ser promovido mediante urbanização de novos núcleos ou otimização de locais com infraestrutura subutilizada.

Em 2011, 2013 e 2017, a Codhab lançou editais para construção de habitação de interesse social no local, com 2.733 unidades coletivas e 300 unidades unifamiliares. São previstas 3.033 unidades habitacionais, com previsão populacional de dez mil moradores na área de 148,34 hectares. Também foram realizadas duas licitações para água e esgoto, drenagem e pavimentação. No entanto, os contratos não puderam ser assinados por falta de dotação financeira.




Jessica Antunes, da Agência Brasília*
*Com informações da Codhab

Serviço, efetuado pela administração regional com apoio da Novacap, era uma demanda antiga dos moradores

O GDF atendeu a uma demanda que, embora tenha chegado à atual gestão somente na semana passada, foi feita há cerca de 12 anos pela população do Riacho Fundo II.

Nesta segunda-feira (27), funcionários da administração da cidade, com apoio de equipes da Novacap, concluíram o recapeamento de uma rua na QN 14 F.

O serviço, que começou na sexta-feira (24), também acabou com possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya.

Morador do Conjunto 5 da quadra, Matheus Roque e Silva, 41 anos, conta que o asfalto que havia na rua acabava antes do meio-fio, formando uma espécie de vala que chegava a transbordar quando chovia.

“Esse asfalto passa em frente à minha casa”, aponta. “Foi um serviço malfeito. Aquele buraco acumulava água e tinha tudo quanto era bicho ali. Além das larvas, que a gente via a olho nu, tinha muita muriçoca.”

Velha reivindicação

Desde que se mudou para o Riacho Fundo II, Matheus procura a administração na tentativa de resolver o problema. “Todos os administradores prometeram recapear a rua, mas entra e sai governo e ninguém nunca tinha feito nada”, relata.

Na semana passada, porém, a história mudou. Na manhã de quinta-feira (23), Matheus passava de ônibus e viu a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, na rua. Ela estava com sua equipe acompanhando o serviço de desobstrução das bocas de lobo da cidade.

Matheus desceu do coletivo, foi ao encontro dela e falou sobre o problema. “Ela ficou de resolver, mas não pensei que fosse ser tão rápido”, diz o morador. Naquela mesma tarde, um engenheiro esteve no local e vistoriou o asfalto da rua.

Equipes em ação

Na sexta-feira (24), o maquinário da administração arrancou o asfalto velho. Nesta segunda (27), as equipes jogaram a massa asfáltica, cedida pela Novacap, e recapearam a rua. “Essa administradora está de parabéns”, comemora. “Moro aqui há dez anos, mas meu vizinho mora há 12 e o problema já existia”, elogia.

A preocupação com o mosquito Aedes aegypti, lembra a administradora, foi reforçada pela Vigilância Ambiental, que também pediu para o problema ser solucionado. “A água parada ali podia ser um foco de dengue”, observa Ana Maria, que mora na cidade há 22 anos. “Não é um serviço grande, a rua tem apenas 12 metros, mas é muito importante para a comunidade. Acho que o fato deu morar na cidade facilita muito.”

Por: Gizella Rodrigues – Agência Brasília

A cidade foi atendida pela equipe de higienização e teve 22 abrigos limpos e higienizados. A ação tem como objetivo de combater a proliferação do mosquito Aedes Aegypti

A Semob contratou uma empresa, por dispensa de licitação, para fazer o serviço emergencial de limpeza nas lajes de 660 paradas, a fim de evitar que o acúmulo de lixo e de água propicie a proliferação do mosquito da dengue.

Ao todo, o serviço será realizado nas 26 regiões administrativas que possuem abrigos de concreto do Tipo C, cujas estruturas facilitam o acúmulo de lixo e de água na parte superior. Essas paradas passarão por três processos de limpeza no prazo de 45 dias.

Os locais para executar a medida foram escolhidos levando-se em consideração o maior índice de incidência de casos de dengue, de acordo com dados da Secretaria de Saúde.


O serviço de poda de árvores da Novacap ganhou um importante reforço. Mais 25 equipes forão integradas ao trabalho, elevando, assim, de 12 para 37 os grupos que vão executar a tarefa em todo o Distrito Federal.
No Riacho Fundo II a empresa terceirizada para realizar o serviço é a Palmácea Jardins, Paisagismo e Urbanização, que além de fazer a poda dos galhos, ficam incumbidas de recolher o material e triturá-lo até ele virar serragem. Do pó de serra é feita a compostagem (adubo) para a agricultura familiar por meio de uma parceria com a Emater-DF.
O modelo de contratação das empresas é por produtividade. Diariamente, elas são avaliadas, para que a Novacap autorize o repasse do recurso público referente ao serviço contratado.

Iudeu José da Silva, empresário e morador da região desde 2004, fez questão de elogiar pelo serviço prestado. “Já tivemos diversos problemas aqui, eu mesmo solicitava todos os anos e nunca fui atendido, agora com essa gestão as coisas estão diferentes, enfim, estamos sendo atendidos” frisou.

Vale ressaltar que a Novacap não executa podas de árvores em áreas privadas e nem em órgãos públicos que têm contrato específico para este tipo de serviço. Exceto em casos de risco de desabamento que resultem em ação da Defesa Civil.
As equipes de podas da Novacap são proibidas também de realizar serviço em rede de energia elétrica ou a cinco metros dela por questão de segurança. Quem faz esse serviço é a Companhia Energética de Brasília (CEB).

Serviço:
Para solicitar o serviço da equipe de poda de árvore da Novacap basta ligar para o telefone da Ouvidoria da companhia (3403-2626) ou para a Ouvidoria do GDF (156).


A Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), em parceria com a Terracap e o Governo do Distrito Federal, assinaram convênio para viabilizar obras de infraestrutura em áreas destinadas a projetos habitacionais. Decisão foi publicada no DODF dessa quarta-feira (15).

Inicialmente, o contrato irá atender ao Riacho Fundo II – 3ª Etapa, onde serão feitas obras de água e esgoto, drenagem, pavimentação e energia elétrica para possibilitar a construção das futuras unidades habitacionais previstas.

Como meio de capitalização de recursos para cobrir os investimentos nas obras, a Codhab irá fornecer terrenos de sua propriedade para a Terracap para serem objetos de alienação.

O convênio também poderá ser estendido para qualquer local destinado à habitação de interesse social que não dispõe de infraestrutura básica. O intuito é garantir que os projetos a serem desenvolvidos estejam de acordo com as exigências da Política de Habitação, proporcionando qualidade, segurança e salubridade.

Obra será localizada na Estrada Parque Contorno e terá mais de 62 mil metros.

O Instituto Brasília Ambiental concedeu Licença Ambiental Simplificada (LAS) para a implantação do viaduto que liga as regiões administrativas do Recanto das Emas e do Riacho Fundo II. A licença foi concedida ao Departamento de Estradas e Rodagens (DER), responsável pela obra. Tem duração de dez anos. É uma reivindicação antiga dos moradores da Região e visa a melhoria do trânsito, onde circulam uma média de 60 mil veículos diariamente.

“A LAS tem efeito das três licenças padrões, que são a Prévia (LP), a de Instalação (LI) e de Operação (LO). É um procedimento administrativo no qual é avaliada de uma só vez a localização, viabilidade ambiental, condições de instalação e operação de um determinado empreendimento ou atividade classificada como de pequeno potencial de impacto ambiental”, explica Alison Neves, superintendente de Licenciamento Ambiental do Instituto.

Neves ressalta, ainda, que a obra é considerada de baixo impacto ambiental por estar sendo realizada em uma área já antropizada, que conta com rede de drenagem e infraestrutura pública instalada, observando o tratamento estabelecido da resolução 001/2018 do Conselho de Meio Ambienta (Conam). “Não se trata de uma área nova, não haverá supressão de remanescentes de vegetação nativa, afugentamento de fauna, aumento de impermeabilidade de solo, entre outras questões que gerariam maior impacto ambiental, e que, normalmente, ocorrem quando a área do empreendimento é nova”, esclarece.

O viaduto terá extensão aproximada de 62,790 metros, e ficará localizado na Estada Parque Contorno (EPCT), que é a mesma DF-001, próximo ao parque do Recanto das Emas. A renovação da licença deve ser requerida com antecedência mínima de 60 dias do seu vencimento. A partir desse requerimento, ela está automaticamente renovada até manifestação definitiva do Brasília Ambiental.

*Com informações do Brasília Ambiental

Estamos em quarentena, mas os trabalhos não param!

Estamos prontos para atendê-los(as).

GABINETE: ANA MARIA DA SILVA
Funcional: Gabinete: (61) 99153-1189 / Ana Maria: (61) 99247-4190
E-mail: ana.silva@riachofundo2.df.gov.br

CHEFE DE GABINETE: RAFAEL RODRIGUES MAZZARO
Telefone: (61) 99239-5983
E-mail: rafael.mazzaro@riachofundo2.df.gov.br

ASSESSORIA TÉCNICA: MARCELA SANTOS
Telefone: (61)
E-mail: marcela.santos@riachofundo2.df.gov.br

ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO: ANDRÉ LUIZ FAGUNDES MANSUR
Telefone: (61) 99344-3116
E-mail: andre.mansur@riachofundo2.df.gov.br

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO: DÊNIO MARCIO TEIXEIRA ALVES
Telefone: 961) 99158-7965
E-mail: ascom@riachofundo2.df.gov.br e denio.alves@riachofundo2.df.gov.br

OUVIDORIA: FÁBIO MONTEIRO CARNEIRO
Telefone: (61) 99345-3095
E-mail:.ouvidoriariachofundo2@riachofundo2.df.gov.br e ouvidoria.admriachofundo02@gmail.com

COORDENADOR DE LICENCIAMENTO,OBRAS E MANUTENÇÃO: OZEIAS DE PAULO MARQUES
Telefone: (61) 99248-7729
E-mail: ozeias.marques@riachofundo2.df.gov.br

DIRETORIA DE OBRAS: ANA CAROLINA BARBOSA TOLEDO
Telefone:
E-mail: ana.toledo@riachofundo2.df.gov.br

DIRETORIA DE APROVAÇÃO E LICENCIAMENTO: FLAVIO SILVA PENHA
Telefone: (61) 99156-4958
E-mail: flavio.penha@riachofundo2.df.gov.br

COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO: IVAN SILVA DE CARVALHO JUNIOR
Telefone: (61) 99195-7806
E-mail: ivan.junior@riachofundo2.df.gov.br

DIRETORIA DE ARTICULAÇÃO: NEMIAS CARVALHO RIBEIRO
Telefone: (61) 98547-0287
E-mail: nemias.ribeiro@riachofundo2.df.gov.br

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO E ORDENAMENTO TERRITORIAL: OSNI BUENO DE FREITAS
Telefone: (61) 99608-5477
E-mail: osni.freitas@riachofundo2.df.gov.br

GERÊNCIA DE GESTÃO DO TERRITÓRIO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: CLÁUDIO CAETANO DA SILVA
Telefone: (61) 99946-0506
E-mail: : claudio.silva@riachofundo2.df.gov.br

COORDENAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO GERAL: CHARLES ROBERTO DE LIMA JUNIOR
Telefone: (61) 99158-0499
E-mail: charles.junior@riachofundo2.df.gov.br

GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO: ALINNE DANIELLE DA SILVA MACHADO DE ALMEIDA
Telefone: (61) 99282-7322
E-mail: alinne.almeida@riachofundo2.df.gov.br

NÚCLEO DE ATENDIMENTO, PROTOCOLO E ARQUIVO: IRANILDE MENEZES DE SOUZA
Telefone: (61) 99282-3564
E-mail: irenilde.souza@riachofundo2.df.gov.br

NÚCLEO DE INFORMÁTICA: MARCELO MARCIEL DE OLIVEIRA
Telefone: (61) 99155-9926
E-mail: marcelo.maciel@riachofundo2.df.gov.br

NÚCLEO DE MATERIAL E PATRIMÔNIO: LAUDETE PEREIRA RODRIGUES
Telefone: (61) 99241-9584
E-mail: laudete.rodrigues@riachofundo2.df.gov.br

GERÊNCIA DE PESSOAS: MARCOS ANTÔNIO DE JESUS FONSECA
Telefone: (61) 98412-8784
E-mail: marcos.fonseca@riachofundo2.df.gov.br

GERÊNCIA DE ORÇAMENTO FINANÇAS: SHEILA SOUZA MARINHO MIGUEL
Telefone: (61) 98508-1476
E-mail: sheila.miguel@riachofundo2.df.gov.br

Medida excepcional sugerida pela SDE vai reduzir custos e beneficiar 135 mil microempreendedores individuais (MEIs) do Distrito Federal

Os Microempreendedores Individuais (MEIs) do Distrito Federal terão prazo até 31 de dezembro de 2020 para emitir notas fiscais por meio do Sistema de Emissão de Nota Fiscal Avulsa (Senfa). Adotada a pedido da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a medida deverá beneficiar os mais de 135 mil microempresários que se utilizam deste serviço.

A prorrogação do prazo foi definida pelo governo do DF para ajudar os empreendedores a superar a crise provocada pela pandemia do Coronavirus e precisam reduzir seus custos.

A emissão de notas fiscais, um serviço gratuito, iria terminar no dia 31 deste mês, março, mas o titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), Ruy Coutinho, encaminhou um pedido de prorrogação à Secretaria de Economia, que foi aceito.

A prorrogação deverá ser anunciada no início desta semana.

“Esta medida vem em boa hora porque precisamos ajudar essas categorias que já estão tendo dificuldades com seus negócios”, disse o Subsecretário de Relações com o Setor Produtivo da SDE, Márcio Faria Júnior.

Caso o prazo não fosse prorrogado, os MEIs seriam obrigados a arcar com novos custos, visando adquirir programas de emissão de notas e certificado digital.

O problema com os MEIs foi detectado pela SDE por meio de pedidos encaminhados ao Programa Simplifica PJ, administrado pela Secretaria. O Simplifica é destinado à desburocratização do atendimento às empresas, aos empresários e aos futuros empreendedores do DF.

Seu principal objetivo é evitar que o empreendedor tenha que se deslocar a diversos órgãos para obter orientações e serviços às empresas (pessoas jurídicas), relacionados principalmente ao registro e licenciamento das atividades econômicas, desburocratizando e acelerando esses processos.

“Por meio dos nossos canais de atendimento do Simplifica PJ compreendemos a necessidade de serem tomadas medidas rápidas destinadas a atender este pleito”, disse Faria Júnior.

O Simplifica continua atendendo normalmente as demandas dos empresários. Para encaminhar pedidos, os usuários podem enviar e-mail.

* Esse texto foi atualizado às 10h47 de 30/3/2020

* Com informações da SDE

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

Equipes da Administração Regional em caráter de urgência, iniciou neste sábado, 28, um trabalho paliativo de tapa-buraco no balão da QN 08, (Feira Permanente ). A medida visa amenizar o problema e prevenir acidentes e oferecer segurança para os pedestres e condutores que por ali trafegam. De acordo com a administradora, Ana Maria, durante a semana recebeu o reforço do programa GDF Presente e vários buracos receberam reparos. "Esse buraco estava no cronograma da operação que foi realizada durante toda a semana, mas o período chuvoso impediu que o serviço de recomposição asfáltica continuasse. A equipe realizou a operação paliativa na via com o uso concreto e assim que pararem as chuvas a operação retomará e o problema será sanado em definitivo" frisou Ana Maria.

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

Nesta semana parte dos trabalhos foram concentrados nas Estradas Rurais. A Administração Regional do Riacho Fundo II, buscando sempre dar uma qualidade de vida para os moradores da cidade, iniciou nesta última sexta-feira (27), os trabalhos na recuperação de trechos intransitáveis e fechamento de buracos na estrada Sucupira, atendendo as reivindicações de chacareiros e moradores da região que reclamavam do trajeto.

No início da semana foram recuperados trechos da estrada rural que liga o Riacho Fundo II ao Riacho Fundo I, na região da Granja Ipê. A manutenção de estradas rurais inclui serviços de limpeza, terraplanagem, readequações e limpeza de caixas de contenção de águas pluviais, colocação de cascalhos e compactação em alguns trechos das pistas.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre
A administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria, ressalta a importância da recuperação das estradas para os chacareiros que residem na região. “Estamos trabalhando ao máximo para darmos conta de atender todas as demandas que a comunidade rural vem reivindicando, estradas rurais em boas condições são essenciais para melhorar as condições de tráfego nos acessos entre as propriedades destas regiões, facilitando o escoamento da safra e o transporte de chacareiros e alunos da zona rural, mantê-las nestas condições é uma obrigação da Administração e graças ao apoio do GDF Presente, entre outros órgãos do Governo do Distrito Federal, estamos atendendo mais essa solicitação’’. comentou a administradora

Nenhuma descrição de foto disponível.
Equipes da Administração Regional do Riacho Fundo II com reforço do GDF Presente, recolheram restos de material de construção, dentre outros materiais dispensados pelos moradores.
Preocupada com possibilidade de epidemia de dengue na região, a Administração Regional pede por conscientização da comunidade para evitar jogar lixo e entulho em lugares inapropriados, assim mantemos a cidade limpa e organizada e livre do foco de dengue.

A imagem pode conter: atividades ao ar livre
Nenhuma descrição de foto disponível.
A imagem pode conter: 1 pessoa, atividades ao ar livre e natureza

Nenhuma descrição de foto disponível.

Todas as crianças matriculadas nas creches conveniadas do Distrito Federal terão direito ao cartão Bolsa Alimentação.
A Secretária de Educação do Distrito Federal elaborou um cronograma detalhado por regional de ensino e creche, com datas, horários e locais para que mães, pais e responsáveis façam a retirada do cartão com segurança e sem a formação de aglomerações.
Conforme o cronograma, os beneficiários vão começar a buscar os cartões a partir de sexta-feira (27), que começa a ser distribuído na Regional de Ensino no Núcleo Bandeirante, no dia 30 de março, das 14h às 18h.

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre
A Administração do Riacho Fundo II com esforço do programa GDF Presente, vem trabalhando em regime de plantão, com equipes reduzidas para atender as demandas emergenciais da cidade. Contudo, vem realizando serviços de limpeza e melhorias na infraestrutura do RF2. A medida acompanha as decisões do Governo do Distrito Federal para garantir a segurança da população e evitar a proliferação do Coranavirus/Covid-19.

A imagem pode conter: céu
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
Nenhuma descrição de foto disponível.
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
 

 

A imagem pode conter: texto
Diante do enfrentamento ao coronavírus, a campanha de vacinação contra a gripe seguirá algumas recomendações importantes para evitar aglomerações.

Também será oferecido atendimento de vacinação "Drive-Thru" (vacinação dentro do veículo). A Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal estabeleceu que o atendimento nas UBS's aos idosos sejam realizados em ordem alfabética. Ou seja, a cada dia da semana, um grupo específico será vacinado.

O governo de Distrito Federal estabeleceu três fases para a estratégia de imunização contra a influenza. Pessoas com 60 anos ou mais terão todo o período da campanha para se vacinar. Na primeira semana, de 23 a 27 de março, a vacinação será exclusiva para os idosos distribuídos por ordem alfabética do primeiro nome.
.
Confira o calendário de atendimento e local de vacinação no Riacho Fundo II:

A imagem pode conter: texto

A imagem pode conter: texto

A Administração Regional do Riacho Fundo II, com intuito de evitar aglomeração de pessoas e prevenir a disseminação do coranavirus/covid-19, pede a compreensão do comerciante local, para que mantenha sua porta fechada, conforme DECRETO N° 40.539, publicado na terça-feira (19 de março de 2020).

Neste momento, o seu lar é o local mais seguro.
Você pode ficar em casa? FIQUE!

Agradecemos a compreensão.
Estamos juntos na luta contra a coronavirus/covid-19.

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre
A estrada rural que liga o Riacho Fundo I ao Riacho Fundo II, na região da Granja Ipê, passará por uma série de melhorias. Os trabalhos para nivelamento da via, recuperação de trechos intrafegáveis e fechamento de buracos tiveram início nesta quinta-feira (19/3) e serão finalizados até o início da próxima semana. A ação conta com o apoio da Novacap, Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Secretaria da Agricultura, Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Secretária de Obras e Infraestrutura e das Administrações Regionais do Riacho Fundo I e Riacho Fundo II, entre outros órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF).
A pista faz parte do trajeto diário de alunos da Escola Classe IPÊ, onde os ônibus que transportam as crianças frequentemente atolavam. A manutenção da estrada também era uma demanda antiga dos chacareiros e moradores locais.
Nenhuma descrição de foto disponível.
Para a administradora do Riacho Fundo I, Ana Lúcia Melo, as benfeitorias mostram o trabalho integrado dos órgãos do GDF para o bem-estar, segurança e comodidade da população. “Essas melhorias mudarão para melhor a vida de todos na região, especialmente dos alunos da Escola Classe IPÊ. Temos um carinho muito grande pela área e ficamos muito felizes em contribuir para que esse serviço essencial seja executado”.

A administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria, ressalta que um dos principais objetivos da reestruturação da estrada é melhorar a qualidade principalmente para veículos escolares, veículos de transporte coletivo e particulares.
“Estamos trabalhando ao máximo para darmos conta de toda a demanda. Lembrando que já são aproximadamente cinco anos que a comunidade rural vem reivindicando a respeito de melhorias para a referida estrada e, graças ao apoio do GDF e as equipes envolvidas, estamos atendendo as solicitações’’.

O modelo de gestão adotado pelo atual governo permitiu ao Riacho Fundo II, avançar em qualidade de vida, trabalhado em diversas frentes de serviços, atendendo os anseios e as reivindicações de vários anos da população.
Mesmo diante de poucos recursos, a Administração Regional, vem avançando e melhorando em itens como transporte público, infraestrutura, saúde, educação e lazer, entre outros.



No transporte público, avançamos com a implantação da linha que liga Riacho Fundo ao Riacho Fundo II, ampliação da linha 806.8, criação de novos horários na linha 870.9, criação da linha 087.5, implantação de aplicativo de transporte para miniônibus, além de instalação de 33 novos abrigos.

Avançamos na infraestrutura com 610 toneladas de massa asfáltica utilizadas em tapa-buracos em toda cidade; Recuperação de mais 15 km de estradas rurais no Caub I e II e Granja Modelo;  desobstrução e limpeza de 2.534 bocas de lobo; 6.000 toneladas de entulhos retirados das ruas; Revitalização do Restaurante Comunitário, a readequação da Feira Permanente, aguardando vistorias técnicas dos Bombeiros, CEB e CAESB e a liberação pela Novacap para reinauguração,  a readequação das cinco pistas de skate que apresentavam problemas desde 2018, o plantio de 2 mil árvores do programa de arborização, que tem o objetivo de manter ativas as áreas verdes do Riacho Fundo II, além de incrementar a paisagem e melhorar a qualidade de vida da população.


Avançamos na licitação do posto de combustível e agora aguardamos o início da obra pela empresa contemplada.
Avançamos com o projeto de duplicação da via "100 Dimensão", uma reivindicação antiga da população, que nem projeto tinha. Já fizemos o projeto e agora estamos aguardando apenas liberação da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação-(Sedhu) e de recursos através de emendas parlamentares. 


Avançamos na Educação com a implantação da gestão compartilhada no CEF 01 e a melhoria na mobilidade para alunos das escolas, CETELB, CEM 01, EC 02, CEF 01, EC 01, CEF 02, CED 01 e CED AGROURB. A região administrativa do Riacho Fundo II conta com 9 unidades de ensino, para atender da creche ao ensino médio, além de um Centro Interescolar de Línguas. O plano de obras prevê a construção de mais duas Creches, de um Centro de Ensino Fundamental-(CEF) e um Centro de Ensino Integrado-(CEI).


Avançamos na saúde com a ampliação do horário de atendimento da Unidade Básica de Saúde (UBS) 1, e a retomada da obra da UBS 5 e a conquista de uma futura UPA. A região administrativa do Riacho Fundo II conta com cinco unidades básicas de saúde para atender à população da localidade.

A administradora, Ana Maria, sabe dos anseios da população e ressalta. "Estamos trabalhando pontualmente em cada uma dessas reivindicações para colocar o Riacho Fundo II, em uma posição de destaque e deixar a cidade ainda mais agradável de se viver”, afirmou a administradora, Ana Maria.
"Não tenho dúvidas, que será um ano de muitas conquistas. Com a ajuda da população, vamos construir a cidade dos nossos sonhos. Todos juntos por um Riacho melhor", completou!

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, texto que diz "OPERAÇÃO BURACO ZERO GDFPresente GDF Administração Regional do RIACHO FUNDO"

Equipes da Administração Regional do Riacho Fundo II, com o reforço do GDF Presente, realizaram durante toda à semana os trabalhos de revitalização das principais vias e ruas da cidade, a fim de consertar os estragos causados pelas chuvas fortes das últimas semanas.
A ação começou pelas localidades que apresentavam mais problemas, conforme mapeamento feito pela equipe da Administração Regional com ajuda da comunidade. Durante a operação foram utilizadas 26 toneladas de massa asfáltica, dois caminhões, uma fresadora de asfalto, Bob Cat e um rolo compactador.

Diariamente a Administração tem recebido feedbacks positivos da população sobre as ações de melhorias na infraestrutura da cidade. A exemplo do morador pioneiro da QC 01, senhor José Maria, que comentou, "O Governo do Distrito Federal, mostrando que está trabalhando e trazendo soluções imediatas para nossa cidade, nós moradores, estamos muito felizes com essas pequenas obras que estão acontecendo", frisou.

O Administrador substituto, Rafael Mazzaro, seguirá atento aos pedidos da população: "Estaremos atentos e preparados para agir com rapidez para solucionar o aparecimento de novos buracos”, explica.

Em 2019 foram utilizadas 577 toneladas de massa asfáltica em tapa-buracos em toda cidade do Riacho Fundo II. A região foi a primeira cidade a concluir o desafio do Buraco Zero – graças ao trabalho que tem sido feito na cidade por meio do programa GDF Presente.

 

GALERIA DE FOTOS:
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: atividades ao ar livre, texto que diz "GDF Presente GDF Administração Regional do RIACHO FUNDO"
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre


Foi realizada, ontem (13/02) na QN 29, conjunto 04, lote 13, do Riacho Fundo II, a reunião da Rede de Vizinhos Protegidos do Riacho Fundo II, com o propósito de informar aos presentes todas as estatísticas criminais dos meses anteriores comparados com o mesmo período de 2019 e 2020, com resultados muito satisfatórios
A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e texto.
A reunião contou com a presença do comandante do 28° Batalhão, Major Elisson Gonçalves, representantes do Conselho de Segurança, lideranças comunitarias e a comunidade.
.
A rede de vizinhos é um programa adotado pela Polícia Militar que consiste em uma filosofia voltada a aproximação entre polícia e comunidade. As pessoas passam em seus respectivos conjuntos, ruas ou quadras, identificar qualquer atividade suspeita e repassam tanto para os vizinhos, que estão em Rede, quanto para a polícia. De forma que cada um passa a ser uma “câmera viva”, “são os olhos” da Polícia Militar em todas as localidades do Riacho Fundo II.

Uma força-tarefa criada pela Terracap vai elaborar diagnóstico e formulae de propostas de regularização do CAUB-1, no Riacho Fundo. Ela funcionará dentro da Central de Regularização, grupo constituído pelo Decreto nº 39.720/2019, e é composta por membros de diversas secretarias. 
A imagem pode conter: 12 pessoas, pessoas em pé e área interna

A proposta desses órgãos e entidades mapear e esclarecer a situação fundiária da área, inclusive quanto à titularidade e ao uso atual, e elaborar relatório com propostas de regularização num prazo de 90 (noventa) dias. 

Para Leonardo Mundim, diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico da Terracap, a iniciativa demonstra a união do GDF em prol da solução de problemas. 

Segundo Mundim, o CAUB-1 é uma área complexa sob o aspecto fundiário, pois combina área urbana com zona rural, e apresenta parte de propriedade da Terracap, parte de propriedade da União e parte de área pública do Distrito Federal. “O objetivo, determinado pelo governador Ibaneis Rocha, é avançar na regularização da região.”

 

Fonte: Agência Brasília

 

A administradora Ana Maria, acompanhada pela deputada Celina Leão, o presidente da Codhab, Welington Luiz, o diretor de regularização social e desenvolvimento econômico da Terracap, Leonardo Mundin e pelos presidentes de associações e de cooperativas habitacionais, participaram de um almoço em comemoração às conquistas do Riacho Fundo II.
O encontro aconteceu nesta quinta-feira (13), no Restaurante Embaixada de Minas, no Caub I.
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas, pessoas comendo e mesa
Na ocasião foram tratados sobre assuntos pertinentes à regularização fundiária da QC 1 à QC 6, e do Caub.
A Deputada Federal, Celina Leão e o Presidente da Codhab, Welington Luiz, com o apoio da Terracap e o governo do Distrito Federal, tem tratado com prioridade as questões relativas à regularização das referidas áreas. .

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas, mesa e comida
O Presidente da Codhab contou que o processo de regularização já está em andamento. "Em breve estaremos dando um presente para aquela comunidade que há muitos anos esperam, porque foram esquecidos pelas gestões anteriores, mas que o nosso governo vai dar uma atenção para regularização dessas áreas".
.
A imagem pode conter: 8 pessoas, pessoas sentadas, pessoas comendo, mesa e comida
A deputada Celina Leão, completou lembrando, que essa é uma situação que já se arrasta por muitos anos no Riacho Fundo II. "A população vai receber essa notícia com muita alegria, porque são vários anos de reivindicações e agora vamos conseguir concretizar finalmente essa regularização" frisou a deputada. .

A imagem pode conter: 12 pessoas, pessoas em pé e área interna
Para a administradora Ana Maria, "O Riacho Fundo II completará 25 anos e esse será um presente muito especial para a população", comemora.
No atual governo, as solicitações de vários anos dos moradores vêm sendo, enfim, atendidas.

É tempo de ação!


Diariamente temos recebido feedbacks positivos da população sobre as ações de melhorias na infraestrutura da nossa cidade. A exemplo do morador pioneiro da QC 01, senhor José Maria, que comentou, "O Governo do Distrito Federal mostrando que está trabalhando e trazendo soluções imediatas para nossa cidade, nós moradores, estamos muito felizes com essas pequenas obras que estão acontecendo", frisou.

Esse é um trabalho conjunto com a comunidade, a Administração Regional e o programa GDF Presente, que seguem no atendimento às demandas que mais afetam a vida da população

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros