02 de março

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
19/08/19 às 10h49 - Atualizado em 19/08/19 às 10h50

Restaurante comunitário do Riacho Fundo II é reaberto

COMPARTILHAR

Vice-governador almoçou no local com a comunidade. Pela manhã, esteve presente à solenidade de lançamento do selo comemorativo de 50 anos da Caesb

LUCÍOLA BARBOSA, DA AGÊNCIA BRASÍLIA
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

Após 15 dias de reforma, na tarde desta sexta-feira (16), foi reaberto o restaurante comunitário do Riacho Fundo II. Presente ao local, o vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto, representando o governador Ibaneis Rocha, conversou com a comunidade e serviu-se da tradicional feijoada, prato principal às sextas-feiras.

Durante o horário de funcionamento – das 11h às 14h – houve ainda apresentação musical do cantor Luís Fernando, que animou o ambiente com repertório de músicas sertanejas e da MPB. O restaurante, que abre para almoço de segunda a sábado tem capacidade para 500 pessoas sentadas.

Paco Britto verificou as novas instalações da unidade e saiu satisfeito. “A comida é de qualidade e saborosa”, garantiu. Também presente à reabertura, o secretário de Desenvolvimento Social, Eduardo Zaratz, informou que a maioria dos restaurantes comunitários do DF está sendo restaurada. “A última reforma [nesses estabelecimentos] foi há 12 anos.”, disse, acompanhado da administradora regional de Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva.

A imagem pode conter: 2 pessoas, texto
Fotos: Dênio Alves/Ascom Riacho Fundo II

Grupos de moradores aproveitaram o dia para colocar a conversa em dia e foram unânimes sobre a qualidade da comida e do atendimento do restaurante.

É o caso do policial militar da reserva, Antônio Carlos Batista Ferreira, 51 anos. Segundo ele, moradores de outras cidades, como Recanto das Emas, preferem almoçar no restaurante comunitário de Riacho Fundo II. “No meu caso, é opção, porque eu gosto da comida daqui. É saborosa”, disse.

O aposentado Lino Francisco dos Santos, 85 anos, contou que come no restaurante diariamente e ainda leva marmita para a casa.

A mesma ideia teve a professora aposentada, Evanilde da Conceição, 64 anos. “É prático pegar e levar. A comida é saudável, balanceada e boa”, opinou. Cada refeição custa R$ 2 com direito a sobremesa, suco e frutas.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros